29.5.08

Os Boatos e Seus Fundos

Dois falsos boatos - copyright by Village - varreram a cidade de Nova Déli ontem. A queda do secretário de Comunicação do Pará, Fábio Castro, e a ida do deputado verde Gabriel Guerreiro para a Sema.
Mas o secretário de Formação Bruta de Capital Fixo, digo, Ciência e Tecnologia, Maurílio Monteiro, pode ser um nome, se o secretário Walmir Ortega deixar o posto.
Falou-se de seu irmão para o cargo, o secretário do Nada, digo, Estudos Estratégicos, Marcílio Monteiro, mas as fontes do blog dizem que na Sema tem muito trabalho para a pouca disposição do moço.
Mas é verdade que estuda-se a criação de uma agência regulatória - argh! - para cuidar do licenciamento ambiental.
Não é verdade que irá se chamar Agência do Liberô Gerau.

12 comentários:

Anônimo disse...

Luluquefala:
A dupla Monteiro está atrás de quem inventou o trabalho.
Pra matar... e cremar... pra não voltar.

Alex Lacerda disse...

Juvêncio, o Marcílio acha que a área ambiental tem muito conflito, coisa que quando foi Gerente do IBAMA evitou ao máximo, como todo político.
Gabriel Guerreiro também não tem o perfil que o cargo requer neste momento, a não ser que a política ambiental do Estado vá mudar.
Enquanto e SEMA não estiver estruturada, com escritórios no interior do Estado, capacitação de servidores e seriedade, coisa que acredito que o Ortega tem de sobra, não haverá avanço no licenciamento, que aliás SEMPRE esteve atrasado, até antes da questão florestal ser competência da antiga SECTAM.
Uma investigação sobre os motivos reais do atraso no licenciamento iria bem.

Quaradouro disse...

Professor, bom dia!
Já viu o Quaradouro? Espie... Mas essa é também para indagar se o governo Ana Júlia jamais sairá desse desajustamento interno que seguramente afeta qualquer projeto administrativo. Alguma esperança?

Juvencio de Arruda disse...

Espiei tanto que até linkei, professor.
A esperança é a última que morre.

Poster disse...

Juca,
Ortega está igual aos téncicos de futebol quando estão na corda bamba, mas a diretoria do clube nega que estejam assim. Para treinadores nessa situação, os cartolas costumam dizer que estão "prestigiados".
Você sabe a solidez desse prestígio.
Abs.

Anônimo disse...

Ô quaradouro, tu pegaste tanto sol na corda que teu cérebro derreteu, rs,rs,rs

Anônimo disse...

A cada dia, nós petistas, vemos ocorrer (com pesar!) no Governo do Estado, parte do que ocorreu no Governo Federal. Perda ou desprestígio de bons quadros (Charles, Carlos, Ortega...); intervenções efetivas de inimigos históricos em políticas públicas cujo acúmulo do PT também é histórico, mas desconsiderado; ascenção de novos quadros com visões mais pragmáticas e afinadas com práticas clientelistas da direita; falta de coragem (e de interesse!) pra enfrentar inimigos públicos do Estado (como esse mais que corrupto ex-secretário de meio ambiente). Deve-se tudo à governabilidade necessária e imposta pelo atual sistema político (que o Governo Federal do PT poderia propor mudanças e ainda está em cima do muro). Compreendo. Lamento. E ainda acredito que Ana Júlia - bom quadro do nosso partido - restará só com os únicos petistas que a apoiarão (e continuarão a mal influenciá-la): seu ex-marido, ex-cunhado, comadre, e uns poucos necessitados e os sanguesugas de direita que sequer se dão conta de que, a despeito de tudo, moram e criam seus filhos no Estado do Pará (que desconhecem, desprestigiam e dilapidam no exercício de seu mister). Pobre Pará! Sem uma reforma política, o PT hoje se resigna em ser o que todos os outros foram, com ainda significativas diferenças que me fazem lá permanecer.... Até quando??!! (Bom, isso é assunto pessoal)

Anônimo disse...

A cada dia, nós petistas, vemos ocorrer (com pesar!) no Governo do Estado, parte do que ocorreu no Governo Federal. Perda ou desprestígio de bons quadros (Charles, Carlos, Ortega...); intervenções efetivas de adversários históricos em políticas públicas cujo acúmulo do PT também é histórico, mas desconsiderado; ascenção de novos quadros com visões mais pragmáticas e afinadas com práticas clientelistas da direita; falta de coragem (e de interesse!) pra enfrentar inimigos públicos do Estado (como esse mais que corrupto ex-secretário de meio ambiente). Deve-se tudo à governabilidade necessária e imposta pelo atual sistema político (que o Governo Federal do PT poderia propor mudanças e ainda está em cima do muro). Compreendo. Lamento. E ainda acredito que Ana Júlia - bom quadro do nosso partido - restará só com os únicos petistas que a apoiarão (e continuarão a mal influenciá-la): seu ex-marido, ex-cunhado, comadre, e uns poucos necessitados e os sanguesugas de direita que sequer se dão conta de que, a despeito de tudo, moram e criam seus filhos no Estado do Pará (que desconhecem, desprestigiam e dilapidam no exercício de seu mister) e que na primeira oportunidade de volta ao poder, defenestrar-nos-á (petistas e afins), sem qualquer cerimônia e em consonância com a coeR~encia que tanto nos faz falta!. Pobre Pará! Sem uma reforma política, o PT hoje se resigna em ser o que todos os outros foram, com ainda significativas diferenças que me fazem lá permanecer.... Até quando??!! (Bom, isso é assunto pessoal)

Anônimo disse...

Se esse boato da saída do Fábio Castro se concretizar, o governo, mais uma vez, estará tirando o sofá da sala, jogando fora a criança com a água da bacia. Enfim, errando de alvo. O problema do governo não parece ser a gestão da comunciação, mas a geração de pautas. Não existe comuicação eficiente se as fontes de notícias não geram fatos positivos. A Comunicação do governo vive apagando incêndio, correndo atrás do prejuízo. Essa não é uma comunicação que ajuda a construir uma imagem do governo, se vive reparando erros, corrigindo rumos, desatanto nó, dando explicação. A comunicação não é eficiente quando não tem pautas positivas.
Podem por teóricos, iluminados, doutores como Fábio, que não funciona se os executivos não olharem a comuncicação como um instrumento de gestão. Se a comunicação não é entendida como uma ferramenta da gestão, nenhuma estrutura funcionará com eficiência. É tempo e dinheiro perdidos. Um exemplo concreto: a imprensa foi convocada para uma coletiva com a então ex-secretária Lúcia Peneedo no dia seguinde à publicação do decreto de exoneração dela. Era para falar do GP de Atletismo. Segundo fontes da SEEL, a SECOM não sabaia que o DOE publicaria o decreto (aliás, a secretária só soube da sua exonoeeração porque uma funcionária do gabinete da SEEL soube, por uma fonte do DOE, que amanheceria publicado o decreto). Pode? Não pode. Sinal de canais assoreados dentro da alta estrutura de gestão do próprio gabinete da governadora. Assim não tem comunicação que funcione. Ou a estrutura é integrada à gestão ou ela fica correndo atrás do prejuízo, mesmo.

Anônimo disse...

Essa é a competência do PT: convocar uma coletiva com uma pessoa exonerada, uma exoneração na véspera do principal evento da secretaria, e por aí vai. Gente, não se iluda: esse povo que hoje está no comando nem assistia aula na UFPA nos dourados anos 80. Perderam a lição, se formaram nas coxas, sempre estavam em manifestações, assembléias, conchavos (uma expressão da época, mas que ainda vale). São bons em conversa de botequim (ah, eles adoram um pé-sujo) e só. E nós é que na época éramos chamados de esquerda festiva...O Fábio, coitado, na época estava ainda no primeiro grau, inocente...
Quanto tempo falta pra esse povo saír? Proponho um cronômetro de contagem regressiva em praça pública!

Anônimo disse...

Olha sou petista, e fico muito triste com cada saída de grandes figuras históricas do PT, no atual governo Vera Tavares, Charles, Aparecida, espero que a Governadora lembre que vem a releição, fica a pergunta será que vai valer a pena lutar de novo por um governo que está cheio de gente com nariz em pé?

Anônimo disse...

Dizem por aí que a adjunta da secult também vai pro beleléu,tá ficando dificil pra turma da Edilza.