15.5.08

Ordinários, Marchem

Não há o que tergiversar da decisão do juiz Torquato Alencar em relação à greve dos professores. Cabe apenas o recurso que o advogado Walmir Brelaz impetrará em defesa dos grevistas.
Mas a PM não precisava sentar a macacaúba nos grevistas.
A governadora precisa enquadrar a PM.

5 comentários:

Anônimo disse...

Antigamente, dizia-se "Decisão de Justiça não se questiona, cumpre-se"Hoje, na fala da Nobre Chefe da Defensoria Pública, diz"Decisão de Justiça não se qustiona, recorre-se", Pergunta-se. Quando serão cumpridas (todas)as decisões judiciais. Por isso eu falo "Professores, continuem sua greve,sempre haverá RECURSOS.

Sergio Lopes disse...

Juca, falta dialogo a esse governo, tratar a demada dos professores como caso de polícia e justiça, não acrescenta nada a difícil equação orçamento público x rermuneração justa.É preciso experiência politica e uma dose de paciência para solucionar a questão. Parece que o governo deseja resolver tudo na base da violência e força policial , desta forma não vai dar.

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia,Sergio. Faltou mais habilidade e mais transparência na discussões. E o episódio da porradaria da PM é grave, e deveria ter sido esclarecido imediatamente.

Anônimo disse...

A PM não vai para lá porque quer, alguém no governo manda.
Quem?

Blog do Alan Wantuir disse...

Ei caro amigo Juva, o que falta entre as pessoas é diálogo e amor. Ninguém conversa mais, e se conversa é somente pra falar mal dos outros. Todos (a maioria) estão somente de olho no poder e se esquecem dos príncipios basilares que norteiam a vida aqui na terra, que é Amar ao próximo. Parecem que todos se odeiam quando se fala de interesses, onde vamos parar com essa leva de políticos que só querem saber de si mesmos? Só Deus sabe!