29.7.08

Sombras, Nada Mais

Há uma tese, segundo uma fonte do blog, que explicaria o forte stress político que acomete o governo paroara, além das questões de gestão, é claro.
Tudo começou no final do ano passado, quando as articulações de alianças e enfrentamento em todo o país entraram na fase de definição.
De olho em 2010, Lula teria optado pela reeleição dos atuais governadores da base aliada e não pela sorte dos senadores ou postulantes. Como aqui no Pará tanto lhe fazia ser o Sobrancelhudo, Duciomar ou Paulo Rocha, o presidente teria topado crismar uma aliança em que o PT indicaria o vice de Duciomar, que sairia para o Senado dois anos depois e entregaria a Prefeitura de mão beijada para o PT, de preferência para alguém da DS, claro, contrariando expectativas de Brasília. Talvez até mesmo na DS nacional.
Jáder ficaria com a outra vaga para o Senado e Paulo Rocha seria descartado.
Sabendo do arranjo, Paulo enfrentou Ana Júlia na eleição do diretório municipal do partido, quando articulou um ampla frente, derrotou a DS, e implodiu a aliança com Duciomar.
Ana Júlia então teria lavado as mãos e concentrado seus esforços nas candidaturas da DS nas prefeituras e vereanças. Acertou-se com Ganzer e seguiu limando Paulo Rocha.
Se a limagem for bem feita, o deputado federal petista pode ser prejudicado a ponto de ensarilhar as armas. Mas, dependendo de fatores como o resultado da eleição em Ananindeua, Jader pode querer que Paulo seja seu companheiro de aliança, alternativa que as bases peemedebistas adorariam.
Neste caso, há uma rasteira a vista. Na governadora Ana Julia.
Enquanto isso, em Nova Déli, o candidato petista Mário Cardoso pode estar se encaminhando em direção à cruz.

------

No outro lado do balcão da política paroara, as interrogações ficam por conta da suposta aliança entre o senador tucano Mário Tapiocouto para o governo, Vic Pires Franco na vice, e de novo Duciomar para o senado. Ou, alternativamente, Jatene recuperaria a maioria perdida no PSDB e assumiria o lugar do senador na cabeça da chapa majoritária, sem alterações no restante da composição.

------

Cenários sombrios continuam espreitando o estado do Pará.

24 comentários:

Anônimo disse...

Ei Juvêncio... esqueceram de combinar o jogo com o dono da bola que é o povo... Em Belém, você sabe disso, é sempre: remo x paissandu; amarelo x vermelho. Nosso povo polariza sempre nas eleições.. Então que se preparem os analistas de plantão, porque o prato principal será com certeza Mário x Duciomar... ou Mário x Valéria.
Um abraço.

Oswaldo Chaves
Administrador

Anônimo disse...

Juca,

Temos 28 meses de governo Ana Julia pela frente. Me assusta a idéia de que o governo Ana Julia "acabou".

O que mais me assusta é a tristeza e a falta de esperança de muitos petistas, gente que passou muito tempo da vida construindo este partido. Eu falei tristeza, desesperança.

Isso é ruim para o governo, para o PT mas também é muito ruim para o Pará ou para a maioria dauqeles que moram neste estado e dependem das ações de governo para dispor de acesso aos serviços de saúde, educação, e outros.

O Estado precisa de governo, de um bom governo e é plenamente possível ajustar o rumo dessa prosa.

Anônimo disse...

Enquanto as comadres brigam, fazem as pazes, traem umas às outras, acertam-se, todas preocupadas unica e exclusivamente com suas peruíces, vantagens e privilégios, o Pará continua indo para o brejo, acumulando o lixo de tanta inapetência política. Vergonha na cara, que é bom, nadica de nada.

Juvencio de Arruda disse...

Oswaldo, vc pode estar com a razão. Faltou combinar com os russos.
Abs e obrigado.

Das 2:53, seja Ana Julia ou qualquer outro (a) governante, concordo com vc: é muito ruim acabar um governo faltando 28 meses para tal.
Talvez diminuindo a prosa, quem sabe?

Anônimo disse...

Juca,

Um breve comentário sobre o andamento da gestão governamental do estado do Pará.

Será que não houve, e continua havendo, um desbalanceamento entre "um esforço muito grande para contrução das condições necessárias a boa governabilidade" e "uma razoável desatenção com questões relacionadas as condições necessárias a boa governança"?

Lembrando que estas coisas não estão desarticuladas, pelo contrário,guardam um grau acentuado de conexão.

Muitas vezes o descopanso entre governança e governabilidade, leva a fragmentação da atuação do governo. Isso é especialmente relevante quando o processo de planejamento e coordanação geral de governo não é muito bem azeitado.

Estou apenas levantando uma hipótese, mas gostaria de ouvir sua opinião.

Prof. Ludovico

Juvencio de Arruda disse...

Olá, professor.
Sua hipótese levanta uma excelente pauta.Vou consultar os universitários e amanhã darei a mnha opinião a respeito.
Obrigado pela sempre proveitosa visita.

Anônimo disse...

Égua meu ! Me tiram do baú, pra ser vice ?
VPF

Anônimo disse...

me assusta saber que as chapas para 2010 já andam assim tão adiantadas, se é assim, de fato governo anajuliano acabou mesmo, isso quando sequer as eleições municipais terminaram
só não acredito que essa ingerência de brasília seja tão forte e que paulo rocha amigo de lula tenha sido rifado dessa forma pelo próprio
a vitória do rocha foi municipal será se repete no estadual onde a composição de forças é diferente e se lança ao senado com jáder?
do outro lado, jatene deve despontar como a melhor alternativa na oposição contra julia, se o governo dela de fato já acabou, como voce diz
tu já pensou mario couto governador do pará? isso é o fim meu caro, tristeza da braba aos petistas e não petistas
será que o nível decaiu a esse ponto de termos um ex-bicheiro no governo?
não acredito que jader, jatene e o próprio paulo rocha admitam um desvario desse naipe, embora engulam duciomar que é outro contraventor - como eles?
ass: Zacarias de Assumpção (direto da cova)

Juvencio de Arruda disse...

Zacarias, parodiando o filósofo, o governo só acaba quando termina.
Eu não dise que o governo AJ acabou.
Volte pra cova e descanse em paz...rs

Anônimo disse...

Um contraventor no governo estadual, era só o que faltava para esse pobre estado.

Anônimo disse...

Já pensou se a Valéria vencer essa eleição para prefeito, e ainda vai querer colocar o seu marido na chapa majoritária de 2010 ?

Juvencio de Arruda disse...

Mas das 4:00, vc não leu o comentário de VPF às 3:13, se manifestando sobre a questão?
Vcs adoram sacudir o deputado, hein?...rs

Prof. Alan disse...

Juvencio, Mano Velho, Tapiocouto no Governo, ninguém merece. Nem Hitler e Gengis Khan, se paraenses fossem, mereceriam ser governados por tal coisa! A herança maldita de Almir já inclui Jatene, Duciomar, Flexa Ribeiro, Pepeca e Tapiocouto. Não pára de sair coisa ruim desse cano furado?

Porém, do jeito que andam as coisas no governo AJ, não é de se espantar se esse for o destino do Estado, apenas de se lamentar.

E eu continuo me perguntando: até quando vamos amargar essas gestões desastrosas, que só olham pro próprio umbigo?

Juvencio de Arruda disse...

Parente, é como disse, os cenários continuam sombrios.
E que pena o desencontro.
Tomava café ( na mesa ) ao lado de Duda Mendonça no Grand Hotel São Luís no final de semana...rs
Mas na próxima tamos aí!
Abs

Anônimo disse...

De tanto dizerem que eu brigo fácil, fica muito difícil eu ser vice de alguém, né não ?
Já pensou eu querendo esgoelar o titular no meio de uma discussão ?
Vai que eu pegue a fama do Helinho ...
Prefiro a carreira solo.
VPF

Prof. Alan disse...

A propósito, Mano Velho: AJ que se cuide. Saiu a pesquisa sobre a sucessão na Prefeitura de Fortaleza. Luizianne Lins está tecnicamente empatada com Moroni Torgan e Patricia Saboya. E no 2º Turno leva cacetada dos dois, nas simulações feitas...

A coisa não tá fácil pro PT. É bom a vermelhada se espertar, e botar o governo na rua, mostrar serviço, senão a cumpanhêrada da DS vai ter que procurar emprego em 2010...

Anônimo disse...

Discussão polémica, ein??

Só sei que se eu fosse esse vice do Duciomar aí indicado da Ana Júlia, eu não me filiaria a algum partido miúdo, da base de apoio a governadora. Algo como PTN, PMN...

E deixaria a chapa do PT concorrendo só pra constar. E aí, será que não existe algum acerto entre Ana Júlia e o secessionista Anivaldo Vale?

Bia disse...

Boa noite, Juca querido:

o post lembra, de novo, o livro do Ricardo Lessa: "A que hora vem o povo?". Foi assim, achando que tudo estava combinado, que o MR-8 virou MR-4, MR-2 e MR-0,5. E assim também, com grupelhos, divergindo sobre o poder de síndico.

As lições da história a gente aprende ou a história nos apreende, nos captura, como uma gigantesca máquina fotográfica de instantâneos imutáveis, que se repetem, repetem, repetem. E, como o retrato de Itabira, doém.

E, Professor Alan, de quem eu divirjo sempre, mas a quem gosto de ler sempre...rsrsrs...os dutos e canos furados da nossa política, parecem aquela propaganda da TIGRE, pois qual não despeja sobre nós resíduos que nunca se desmancham no ar? O PT do Paulo Rocha? O PMDB de Jáder? O PTB de Duciomar? O PSB do Ademir Andrade? Não há crias, professor, que sobrevivam sem alimento. E temos dado muita ração a elas. todos nós. Cada um a seu jeito.

Abraços, professor.

Beijão, Juca.

Cássio disse...

Os analistas de plantão, esquecem a diferença entre conjuntura política e política conjuntural. Análises econômicas e políticas precipitadas costumam não se sustentar na concretude dos fatos. É verdade que blogs não podem aprofundar elementos e indicadores, mas é preciso cautela nas análises conjunturais, principalmente em se tratando de eleições e crises de governos. É nesse patamar que as conjunturas políticas quase sempre se dissociam das políticas de conjunturas. Antecipar o fim do governo de Ana Júlia é tão inconsistente e prematuro quanto determinar 2º turno entre Duciomar e Valéria ou parodiar o "fim da história". Quanto ao governo, esperem as dinâmicas de procedimentos das obras licitadas ou em licitações e já previstas em suas arrancadas para 2009 nos 143 municípios do Pará. São obras de infraestrutura e de forte impacto social acompanhadas por alterações em curso nos setores-chaves da administração estadual, notadamente no setor de transportes e saneamento básico. Não esqueçam que o Pará não é só RMB! Quanto ao cenário eleitoral em Belém, vamor mediar os indicadores eleitorais de dois momentos cruciais, seguindo a trajetória histórica de nossas campanhas recentes: a última semana de agosto e a primeira etapa da quinzena final de setembro. Nesses dois momentos, se define a tendência eleitoral. O resto, é ciência política de baixa intensidade com recheios de "camarão rosé" eleitoral. Parabéns pelo blog e quanto ao profº Ludovico, primeiro tem que aprender a redigir com menos erros gráficos. Segundo, menos confusão entre conceitos e categorias. Retorne aos clássicos (só não vale REMO x PSC). Quanto ao Zacarias, concordo com o mediador, volte ao descanso eterno repetindo o velho slogan: "ASSUMPÇÃO, BARATA NÃO!"

Anônimo disse...

Juvêncio, boa noite

Vc disse que na convenção municipal o deputado ganhou da governadora. Ufa! Até que enfim ele ganha uma...até hoje só fez o que ela mandou e no final recebeu um belo chute na traseira...
Talvez depois dessa eu ainda acredite em rock roll. E por falar nisso, velinha tá vindo aí....dia 15.08

JUNIOR disse...

Juca respeito todas as opiniões acima colocadas inclusive a do deputado,mas caro amigo aqui dou uma sugestão a todos apartir de outubro deste ano observem se possivel mais de perto tres atores que já estão construindo o pleito de 2010 no Pará,são eles:Jader Barbalho,Paulo Rocha e Simão Jatene.Quanto aos demais acredito que a grande surpresa das eleições municipais será mesmo Dona Valeria Pires Franco e explico:Markentin politico de facil aceitação,uma boa desenvoltura no trato c/o povão,muito destemida com as causas humanitaria que cercão o povo da periferia e sua condição de mulher.Atenção essa pode ser a mulher que sabe governar.

Anônimo disse...

difíííííííícillllllllllllll....
e por falar nisso, ô das 9:50, Papai Noel e Coelhinho da Páscoa existem, viu?

Raphael Teixeira disse...

Juca, é bom vir aqui como eleitor comum e poder ter acesso as idéias de gente que entende do riscado!

É triste quando agente passa a querer concordar com os chavões de que são todos farinha do mesmo saco, mas olhando pra esse cenário de nomes e combinações restam poucas opções.

Há algo de muito podre no reino da Dinamarca. Nosso Estado não merece isso. Como bem lembrou alguem acima, um Estado precisa de Governo, dos bons! Não o temos, nem perspectiva.

Só resta esperar mesmo que essa turma toda complete a sua grande obra, a de saturar a paciência do Povo, e que este resolva a parada. Isso não é acretidar no quanto pior melhor, é esperar que do meio deste esterco todo brote algo de novo e bom!

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, Raphael. Fique certo que este prazer dos leitores não é menor que o do poster, pela presença.
Abs