8.7.08

Corre, Malandro, Corre!

O desespero bate às portas dos candidatos ficha suja do TCU. Eles começam a entrar na Justiça Federal para tentar anular os acórdãos condenatórios do TCU, às vésperas da eleição.

9 comentários:

Anônimo disse...

Dos 88 congressistas candidatos 11 tem ação penal

DOS 11 O PARÁ TEM DOIS: ASDRUBAL (PMDB) E LIRA MAIA (DEM)

Dos 88 congressistas que são candidatos nestas eleições, 11 são réus em ações penais. Há também um que está na lista de inelegíveis do TCU (Tribunal de Contas da União), que inclui agentes públicos acusados de desvio de dinheiro público.

Se estivesse em vigor o critério defendido pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) esses congressistas, que respondem por vários crimes, como estelionato, formação de quadrilha e desvio de verbas, poderiam ser impedidos de participar da disputa.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) se opõe ao veto por entender que, pela Constituição, até o julgamento final da ação ninguém pode ser punido ou culpado, mas a AMB tenta assegurar sua posição no STF.

No Congresso, também se discute o veto aos candidatos "ficha suja". A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado pode votar hoje ou amanhã projeto que impede condenados em primeira instância de disputarem eleições.

Da lista de 11 deputados que são réus, 7 também respondem a outros processos ainda em investigação. É o caso dos deputados Lira Maia (DEM-PA), Paulo Maluf (PP-SP) e Aline Corrêa (PP-SP). Candidato à Prefeitura de Santarém (PA), Maia é investigado em dez processos e réu em dois deles: um por crime de improbidade administrativa e outro por crime de responsabilidade. Maluf e Aline disputam na mesma chapa a prefeitura paulistana. Candidato a prefeito, ele é investigado em sete processos e réu em outros três que tramitam no STF: dois por crime contra o sistema financeiro e um por crime de responsabilidade e desvio de verbas. A vice de Maluf é ré em ação penal no STF por formação de quadrilha, falsificação de documento público e crime de lavagem de dinheiro.

O coordenador da campanha Eleições Limpas da AMB, Paulo Henrique Machado, diz ser "expressivo" o fato de haver 11 congressistas-candidatos réus em ações penais, dois na Justiça Federal e o restante no STF. "É significativo se considerarmos que para o STF receber denúncia é mais difícil que para um juiz. Se [o STF] recebeu, há indicativo de indício consistente pelos fatos que [os denunciados] estão respondendo."

O deputado Asdrúbal Bentes (PMDB-PA), candidato à Prefeitura de Marabá, também é acusado de troca de votos por cirurgias de laqueadura em 2004. A Ação foi movida pot Tião Miranda (PTB) a quem Asdrubal nestas eleições queria o apoio.

Juvencio de Arruda disse...

Faltou dar o crédito: Folha online, edição de hoje...eheh

Anônimo disse...

Em 2010 é a vez de Jáder Barbalho virar notícia, encabeçando todas as listas sujas da justiça.
Primeiro lugar absoluto em todas as paradas criminais.
Um meliante genuinamente nacional, que suja e emporcalha a representatividade do Pará no Congresso Nacional.
VPF

Anônimo disse...

Os meliantes podem dormir sossegados, porque, no Brasil, a Justiça anda a passos de cágado, enquanto as eleições se sucedem a jato. Além do que, os juízes têm pavor de condenar figurões, afinal, prisões foram feitas para ladrões de galinha. É só ver a reação do presidente do STF à prisão dos megacriminosos Daniel Dantas, Nagi Nahas e Celso Pitta: um absurdo!

Anônimo disse...

O Lira Maia não figura na lista do TCM, emitida em 7/7, como também muita gente boa de Prainha e Almerim.
Alguém pode explicar?

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

não me refiro especificamente ao Deputado Lira Maia, que o anônimo acima questiona não estar na relação do TCM.

Refiro-me ao papel desempenhado pelos TCs, pois desde que as notas fiscais sejam corretas, que o preço unitário esteja de acordo com o preço total que a quantidade "comprada" ou "servida" indica, a prestação de contas - pimba! - está aprovada.

Competiria às Câmaras Municipais e Assembléias Legislativas, já que os TCs não assumem que analisar prestação de contas não é atividade buocrática mas moral, fazer o confronto entre o que se diz que se fez e pagou e o que foi realizado. Qem faz isto?

Por isso, muitos gestores que pecam por ignorãncia ou por assessoria ruim são condenados, e os larápios, que têm "assessoria" para obedecer estritamente o que os tribunais analisam, são cidadãos acima de qualquer suspeita. O mérito destes é saber exatamente como apresentar uma prestação de contas "correta".

Por isto, a nota da Folha é precisa: para chegar ao STF o supeito tem quer ser muito, excessivamente, incrivelmente suspeito.

Beijão.

Bia disse...

Ei, querido,

falando tanto em suspeito, lembrei da música do Arrigo barnabé. Conhece?

E lembrei que o Arrigo anda sumido. Sabe o que ele anda fazendo?

Beijão.

PS: quintaemenda, o meu MSN ...rsrsrs...

Juvencio de Arruda disse...

Claro que conheço o Arrigo!
A última notícia do cara, de uns tres anos talvez, era de que comandava a montagem de uma orquestra no sul do país.
Acho que no RGS.

E o MSN tá do cacête...ahahaha

Bjão, queridona.

Anônimo disse...

Asdrubal trocando votos por laqueadura.
Gente porque até agora não pegaram um deputado estadual médico que se elege as custas extamente desta prática.
O cara é safo na safadeza.