16.7.08

Furo

A manchete da folha sobrancelhuda de ontem, motivo de orgulho na coluna principal do jornal na edição de hoje, está desde sábado antecipada no blog do Bogéa, que alcançou a marca de 100 mil acessos.

9 comentários:

Anônimo disse...

Quanto a essa história de acessos, uma coisa eu não entendo; como pode o blog do barata se jactar de mais de 300 mil visitas e, quase nunca, seus comentários passarem de uma dezena. E o seu, por exemplo, sempre super comentados - aqui e acolá - não divulgar os (milhares) números de acessos? Aí tem... Superfaturamento de visitas??? Acho o número do Hiroshi muito mais honesto e confiável. Parabéns a ele, portanto.

Juvencio de Arruda disse...

Tento explicar.
Nem sempre o número de acessos guarda relação direta com o núimero de comentários.Isso depende da relação entre o blogueiro e os comentaristas, depende da pauta do blog, de sua rapidez na moderação dos comentários e da atualização das postagens, dentre outras.
Como assim meu blog não divulga seus acessos? É so vc clikar em cima do Site Meter, abaixo do rol de postagens, que vc terá acesso às mesmas informações que eu tenho do meus comentaristas.
Superfaturamento de visitas? Com que objetivo?
Não seja precipitado.
Parabéns ao blog do Hiroshi!

Anônimo disse...

Quanto ao barata, como escreveria o Anselmo Góis, é, poder ser.

Por outro lado, acabo de ver as estatísticas de visitação do "Quinta" e, daqui não tenho dúvidas. Rumo as 300 mil... Vida longa, um milhão.

Anônimo disse...

Por quê não em Barcarena, Juvêncio, já que, pelo visto, esse projeto exige a conclusão das eclusas ?

Anônimo disse...

O Juca ainda vai comemorar um bilhão de acessos antes de a governadora plantar o mesmo número de árvores.
Não que a proeza (de Ana Julia) seja impossível, pois especialistas garantem que um bilhão de árvores cobrirão apenas cerca de 20% do que já foi desmatado e torrado no Pará.
Para o Juca, um bilhão de acessos também cobrirá, infelizemente, apenas ínfima parcela da população nutrida que ainda pode se dar o luxo de ler e refletir.

Anônimo disse...

A Vale vai continuar enfrentado protestos caso queira instalar essa siderurgica a margem do Rio Tocantins qcomo está previsto. Bem que ela podia fazer tal investimento no DIM - Distrito Industrial de Marabá, como fica mais viavel pela questão do transporte...ela vai ter que se explicar nas variadas ocupaçoes apos as eleições...

te cuida Vale!!!

Juvencio de Arruda disse...

Das 10:38, desculpe a demora em responder à sua pergunta. Barcarena ou Marabá, tanto faz. Estaos trazendo mais miséria para o estado. O desatre é o mesmo. Enquanto não forem revistas as normas para licenciamento de projetos como esse a pressão demográfica vai exponenciar a mispéria do sudeste paroara, ou mesmo da região de Barcarena.
Veja, a propósito, este post do Quinta:
http://quintaemenda.blogspot.com/2008/03/e-o-social.html

Quanto a Barcarena, espere os impactos da usina de carvão vegetal.

Juvencio de Arruda disse...

Das 2:05, obrigado por seu otimismo...rs
Abs

Anônimo disse...

Juca!
Uma coisa é fato: o barata é o único que, além de postar, comenta! hehehehe