12.7.08

Santa Casa: a Saúde Manipulada

A cobertura de O Liberal à evidente crise de gestão na Santa Casa ilumina (ou escurece de vez, conforme a ótica) o tratamento das questões públicas no infeliz Estado do Pará e na triste cidade de Belém. Nos três primeiros dias, o jornal tratou com alguma discrição e objetividade a questão. A partir daí, porém, abriu espaço cada vez maior para matérias cheias de qualificativos (embora carentes de informação), escritas pela maior quantidade de repórteres mobilizados nos últimos tempos para uma única cobertura, e fotos de fetos guardados em geladeira e de enterros de indigentes, exibidos sem qualquer pudor ou comiseração humana, como se fossem uma mercadoria qualquer. Tornara-se nítido o propósito de escandalizar, chocar e, talvez, pressionar, intimidar. A Santa Casa se tornou o bode expiatório da saúde pública e a campanha, como sói acontecer em iniciativas desse tipo promovidas pela folha da família Maiorana, parecia servir a outros propósitos que não o bem-estar e a vida dos pobres.

Trecho do artigo de Lucio Flavio Pinto sobre a crise da Santa Casa de Misericórdia do Pará, da mais nova edição do Jornal Pessoal, nas bancas de Nova Déli.
Na íntegra aqui, do site Pará Negócios.

6 comentários:

Anônimo disse...

Caro amigo Juvêncio.
Em primeiro lugar, perdão pela intimidade de lhe considerar amigo, mas pessoas que assumem compromissos com valores republicanos como vc eu tenho como amigo.
Sei que o comentário que agora faço deveria ser feito em outro post do seu (nosso, na verdade) blog. Refiro-me à Operação Satiagraha. Mas nada me impede de misturar os casos Sta. Casa e a operação da PF, afinal, são interesses públicos que estão envolvidos.
Acho que falta alguém se referir à conduta do delegado Hugo Rodrigues Alves Ferreira, que recusou UM MILHÃO DE DÓLARES do Daniel Dantas. Mais uma centena de servidores públicos como ele e o Brasil tem chances de, enfim, levantar do berço explêndido e de reconhecer que bebês pobres também são humanos, por exemplo.

P.S. Gostaria muito de exercer meu direito de cidadão e não recorrer ao anonimato para expressar-me. Mas, sou servidor público...de uma república de bananas.

Juvencio de Arruda disse...

Vc tem toda razão, amigo anônimo. Ótimo registro.
Não é qualquer funcionário público que recusa 1 milhão de dólares para facilitar a vida de um bandido. Imagine quanto poderia receber uma alta autoridade para fazê-lo.
Obrigado pelo comentário.

guilherme marssena disse...

Parabéns ao Lúcio.Uma pena que muita gente não leia este artigo.Tá aí fazer arranjo eleitoreiro.nada de errado em dar a SESPA para o PMDB,o problema é que não se vestabeleceu que política se queria para a SAÚDE.Quem foi eleita foi a ANA JÚLIA e não o PMDB,outro problema que o PT ainda não conseguiu ter uma proposta clara em relação ao SUS,se realmente público ou um mero repassador de recursos públicos para a iniciativa privada que abastece campasnhas eleitorais.Um grande exemplo é de dos Hospitais Regionais todos serem administrados seja por OS ou OSCIPES,artifícios criadosd pelos TUCANOS entreguistas.Tá na hora da base dos movimentos sociais que milita no PT e que não tenha se vendido por DAS ir á luta e chamar todos que lutaram pela construção do SUS e não permitir que estes fariseus que o Lucio aponta tenham dividendos políticos.

Anônimo disse...

Juca!
Perfeito seu comentário.
Imagina se você soubesse o que a pocilga, segundo fontes confiabilíssimas, queria para dar outra tratativa ao caso.
Mas, indubitavelmente, você imagina!
O Vigiador.

Juvencio de Arruda disse...

rsrs..imagino o indubitável, Vigiador.
Abs

Anônimo disse...

Essa turma do PDMB faz mal à saúde mesmo.
As indicações de Sobral com distribuição de cargos da saúde, para agroNônomos e apaniguados que somente mostram que sabem dilapidar o erário, tem o efeito colateral imenso em destruir tudo que o remédio pode curar.
O problema é que não se pode fazer política com a SESPA e nem com a SEFA, porque o efeito é danoso para todos nós.
cada dia me convenço que o Jader Faz mal à saúde.
Será que essa doença não tem cura?