13.7.08

Gilmar na Fita.

No site de Paulo Henrique Amorim, os intestinos vindo à tona, lentamente.

No dia anterior, o cunhado e sócio de Dantas, Arthur Joaquim Carvalho, fala com Verônica Dantas (*), irmã do banqueiro. Ela avisa que ‘o ministro é Sidnei Beneti’ (do Superior Tribunal de Justiça) e diz que Carvalho ‘precisa passar os detalhes sobre a legislação para o Madeira que é amigo do Gilmar’ e ‘isso pode parar na mão dele’ (Gilmar). Para a PF, tratava-se do Ministro (Supremo) Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal.”

. É o que se lê na página A4 do Estadão de hoje – “Greenhalgh antecipa voto do STJ – petista adianta para executivo do Opportunity como ministro (Beneti) votará” (clique aqui para ler).
. Lá embaixo, escondido, atrás da moita, aparece essa informação sobre um “Gilmar”, já que a coisa pode “parar na mão dele”.
. Segundo o jn, Daniel Dantas teria dito que o problema dele era na primeira instância – o Juiz De Sanctis, aquele de que todo brasileiro se orgulha.
. Porque no STJ e no STF Dantas desfrutava de “facilidades”.
. “Facilidades” ? Deve ser isso aí que o Estadão não destacou.
. “Facilidades”.
. O que tem a dizer o Ministro Beneti do STJ ?
. Ele faz parte das “facilidades” ?
. Quem é o Madeira ?
. Ele é amigo do Gilmar ?
. Que Gilmar ?
. (Ah ! Deve ser o "Gilmar" dos Santos Neves, o maior goleiro do Brasil de todos os tempos. Tudo parava na mão dele. Ah ! Está tudo explicado ...)
. O Juiz Beneti votou como Greenhalgh previu que ia votar.
. E “Gilmar” ?
. Gilmar Mendes, o Presidente Supremo, recebeu os advogados do Opportunity antes de votar os dois habeas corpus ?
. Gilmar Mendes, uma vez, disse que Gilmar Mendes não era ele, mas um homônimo.
. “Gilmar”, amigo do Madeira, nas mãos de quem isso “pode parar”, também é um homônimo ?
. Ou o pessoal da PF que fez o grampo não passa de um conjunto de “gangsters” ?
. E sobre a reportagem de cima da mesma página do Estadão, Presidente Supremo Gilmar Mendes: “Dantas espionou juizes paulistas, afirma PF” ? (
Clique aqui para ler).
. Isso não é motivo para mandar o Dantas de volta para cadeia ?
. Presidente Supremo, o senhor sabe que já entrou para o livro Guiness dos Records ?
. Não é pelo fato de ser o magistrado que, no Planeta Terra, melhor conhece o Direito alemão.
. É porque o senhor soltou o mesmo ladrão duas vezes em 48 horas !
. Os advogados do Cacciola, o outro banqueiro, não podem perder tempo: daqui a pouco os dez ministros do STF (seis indicados pelo Presidente que tem medo, Luiz Inácio Lula da Silva) voltam das merecidas férias ...
. (*) Verônica Dantas passou uma noite no PF Hilton. Foi ela quem, em nome do irmão, investiu milhões de dólares numa empresa de internet da filha de José Serra, em Miami (
clique aqui). Por falar nisso, quando é que os grampos sobre o presidente eleito José Serra vão começar a aparecer ?

7 comentários:

Val-André Mutran disse...

Mais heavy impossível heim mestre?
Isso vai parar no colo de quem?

Anônimo disse...

André, isso vai parar na primeira rodada de pizza que já está no forno do STF.
Enquanto isso, nós, pobres mortais esperamos anos para q nossos processos (onde requeremos alguns direitos q nos foram surrupiados) se movimentem por lá...

Anônimo disse...

Olha eu estou torcendo para isto chegar aqui no OESTE do PARÁ e vai chegar,já tem uma matéria assinada pelo Hudson Correa na FSP de 13/07/2008 que foi transcrita para o site do IHU(www.unisinos.br),Juv~encio o Paulo"mensaleiro"Rocha deve está no maior aperreio,porque ele sabe o que ele andou fazendo em 2006 em relação as terras citadas na matéria.

Juvencio de Arruda disse...

A matéria é essa qui, e não menciona o nome do deputado mensaleiro.

A Operação Satiagraha investiga se o grupo empresarial de Daniel Dantas lavava dinheiro por meio do império do agronegócio montado no sul do Pará. O grupo informa possuir 600 mil hectares de terras (equivalente a três vezes e meia a cidade de São Paulo) e meio milhão de cabeças de gado. O avanço do banqueiro no setor é recente, tendo começado em 2005. A reportagem é do jornalista Hudson Corrêa para o jornal Folha de S.Paulo, 13-07-2008.

O projeto agropecuário recebeu no ano passado R$ 270,2 milhões da Araucária Participações, empresa citada na investigação cujo endereço é a sede do Opportunity no Rio e que tem como sócia, segundo a Polícia Federal, a irmã de Dantas, Verônica Valente Dantas, presa na Operação Satiagraha.

Documentos mostram que o capital social da Araucária Participações subiu de R$ 25 mil em dezembro de 2006 para R$ 650 milhões em maio de 2008. Só nesse último mês, o acréscimo foi de R$ 200 milhões. O OPP I FIA, fundo do Opportunity, tem subscrito as ações para o aumento de capital, segundo ata de assembléia presidida por Verônica. O estatuto da empresa diz que ela está autorizada a aumentar o capital até o limite de R$ 10 bilhões.

No fim de 2007, o estoque de gado do grupo estava avaliado em R$ 256 milhões e o complexo de fazendas, em R$ 374,9 milhões. Duas empresas, que receberam recursos da Araucária Participações, tocam os empreendimentos agropecuários. São a Agropecuária Santa Bárbara Xinguara, com sede em Amparo (SP), e a Alcobaça Consultoria e Participações, de Três Rios (RJ).

Citada como uma das empresas investigadas na Operação Satiagraha da PF, a Xinguara está sob comando de Carlos Bernardo Torres Rodemburg, ex-marido de Verônica, que também teve a prisão decretada pela Justiça, mas não chegou a ser preso, sendo depois beneficiado por habeas corpus.

A Alcobaça, também citada na investigação, assinou em julho de 2006 escritura para comprar 18 fazendas por R$ 77,8 milhões, dos quais R$ 64,5 milhões começam a ser pagos em parcelas semestrais a partir de 2009, conforme documentos do cartório de registros de imóveis de Xinguara (PA), obtidos pela Folha.

A atuação de Rodemburg está voltada, conforme consta na decisão da Justiça que levou à prisão de Dantas, "à execução de investimentos efetivados nos setores do agronegócio e mineração com indícios de perpetração de delitos de "lavagem" de valores na aplicação dos recursos destinados a estas modalidades de negócios". Ainda segundo a decisão da Justiça, "em diálogo mantido com Verônica, observam-se tratativas para aquisição de uma fazenda [...], mais uma vez demonstrando que o grupo [de Dantas] atuaria em diversos seguimentos do mercado, mas, aparentemente, valendo-se de práticas espúrias".

Esses trechos da decisão da Justiça, baseados no relatório de apuração da PF, estão no capítulo chamado "identificação dos supostos responsáveis por práticas delitivas". A investigação diz que Dantas tem "poder de mando" sobre acusados.

"É uma coisa que nunca houve na região do sul do Pará. Uma concentração de terra em tão curto espaço de tempo. Trabalhadores rurais reclamam que ele [Dantas] pode estar comprando terras que seriam da União e em áreas próximas à [unidade de conversação] da Terra do Meio", diz José Batista, advogado da Comissão Pastoral da Terra em Marabá (PA).

Batista afirma que a região continua sendo palco de conflitos agrários, embora o número de invasões de terras tenha diminuído nos últimos anos. Ele não descarta, porém, que as fazendas de Dantas passem a ser alvo de sem-terra como efeito da Operação Satiagraha.

Juvencio de Arruda disse...

Ok, das 6:15.
Suas acusações são muito graves para serem publicadas sem identificação, embora compreeenda as razões do anonimato.
Podem ser verdadeiras sim, pois fazem nexo. Sugiro encaminhá-las ao MPF aí de Santarém, que concentra ações contra essa sem vergonhice que foi, digamos, assentada no INCRA do Oeste do Pará.

Anônimo disse...

Vigilante diz - As leis são como teias de aranha, só pegam os insetos. Jamais um rinoceronte ou uma anta. Quanto a lentidão e inércia da justiça> Sou exemplo vivo: estou tentando resolver uma perlenga de divórcio no TJE, que só se arrasta por falta de juízes ou sei lá o quê, por meses. Pobre justiça brasileira, que usa as leis para barrar os fracos (como a teia). É por isso que, INFELIZMENTE, começam a fazer as leis com as próprias mãos ou surgem os tribunais marginais, nos morros e subúrbios. Valha-nos quem ????

Anônimo disse...

Juvencio O pior é que o MPF de STM operou para esta quadrilha e para as mineradoras e O INCRA não fez o que a quadrilha queria por isso é que o MPF DE STM não conseguiu provar nada contra a direção do INCRA de STM.Aí é que esta o X da questão.O INCRA foi acusado de fazer assentamentos para madereiras,quando na verdade foi o MPF de STM quem obrigou o INCRA a ceder 40.000ha de terra para uma madereira alemã (PRECIOUS WOOD) no Município de Pacajá.E que o incra FEZ FOI DESTINAR 12.500.000ha de terras da UNIÃO para ASSENTAMENTOS COLETIVOS,o que contrariou os interesses da ALCOA,RN e VALE que estão de olho em uma reserva mineral do porte ou maior que Carajás,que está situada na CALHA NORTE NO PERÍMETRO DE TERRA SANTA A PRAINHA.ass anônimo das 6.15