13.7.08

Conflito Iminente

O confronto entre o ministro Gilmar Mendes e o juiz federal Fausto Martin De Sanctis no caso Daniel Dantas pode evoluir para um conflito institucional e é certo que haverá iniciativas na esfera do Ministério Público Federal, prevendo-se representação criminal por suposto crime de responsabilidade de Mendes. Podem ser apenas sinais do calor da hora, mas dificilmente o episódio tenderá para uma acomodação, pelo fato de a queda de braço ter causado um mal-estar como há muito não se via.
O presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, Romualdo Sanches Calvo Filho, afirma que o episódio deixou "a população e o mundo jurídico perplexos".


Mais aqui, na Folha de SP.

9 comentários:

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Fermer les jeux, Madames.
Fermer les jeux, Monsieurs.

Juvencio de Arruda disse...

Oui,monsieur.

JUNIOR disse...

Juca independente do resultado deste caso do dito mafioso Dantas,a corte maior o Supremo foi afetado sim em seu procedimento de imparcialidade como corte suprema da nação brasileira,espera-se que os institutos juridicos devidamente organizados possam tomar os devidos procedimentos cabiveis neste caso com vista a assegurar e manter a credibilidade da suprema corte.

Anônimo disse...

O Supremo foi afetado em seu procedimento de imparcialidade. Espera-se que a sociedade organizada possam tomar os devidos procedimentos cabiveis.
Simples: o juiz De Sanctis manda prender o ministro Mendes. Sem ninguem acima dele para providenciar um habeas corpus, Mendes permaneçerá na prisão por tempo indeterminado.
Sendo um ministro nomeado pelo nefasto FHC, em nada prejudicará a democracia brasileira.
Livre para fazer justiça, De Sanctis pode mandar prender também os jornalistas e a midia manipulada.

Cristina Nascimento disse...

Caro Juvêncio,
Há muito teu blog passou a fazer parte da minha leitura diária. E tenho que te agradeçer por isso!
E, também há muito me resignei a comentários, por sentir-me em parte, contemplada pelos seus leitores, ou por, em verdade, não ser tão incomodada como a questão que se apresentava.
Mas, no caso, com todo o respeito ao mestre Alencar, não! Não se pode jamais fechar esse jogo agora, nem no contexto poético exposto.
Estou arrasada com a postura do bambambam da estrutura do judiciário brasileiro. Que horror!!! A toga só é para os que se tocam com ela.

Lafayette disse...

Juva, anota aí...

...não vai dar em nada!

De mesma banda. Observe que já estão mudando de assunto, e o DanDan vai passando ao largo... só se deliciando!

Anônimo disse...

Santo Deus!!! Quem espera IMPARCIALIDADE do judiciário???? Esse povo anda lendo o quê? Gibi!!???

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Menos, anônimo, menos.
Em tese - e sempre em tese - caberia habeas corpus sim.

Anônimo disse...

Fermer le jeux, mesdames, fermer le jeux, messieurs, si é pra falá franceis.