23.6.08

Brasil Diz Não à Homofobia


Pesquisa realizada pelo Datasenado revela que a maioria do povo brasileiro quer a criminalização da homofobia, proposta de Lei Complementar da deputada Yara Bernardes, do PT de São Paulo, com relatoria da senadora Fátima Cleide, do PT de Rondônia.
Leia matéria completa, com índices por região e credo religioso, aqui.

12 comentários:

Bia disse...

Boa tarde, querido:

pois é, assim, devagarinho, quem sabe um dia, defendendo todos os direitos individuais e coletivos, nós seremos uma grande nação.

Beijão.

Juvencio de Arruda disse...

Dá sim.
É assim que nos tornaremos uma sociedade viável.
É mehor ir se preperando, pois se vc der um olhar desses, falar alguma coisa dessas que não assina, e outros quetais, quem abe vc inaugura e legião de apenados por esse crime nas cadeias superlotadas?
Não misture as coisas, e respeite as orientações sexuais e seus problemas no convívio social.
Vc tem idéia do quanto as minorias sofrem?
De quantos são asassinados por gente que pensa na tangência de suas idéias.
Se manque!

Bia disse...

Boa noite, Juca querido:

alguém comentou bobagem.

Foi isso?

Beijão.

Anônimo disse...

Estou preocupado, daqui a pouco vai ser obrigatório...

Esqueçamos a graça, a realidade é que o projeto está mal redigido, e dá gancho para a oposição a ele deitar e rolar.

Quem lê a atual redação da proposta sai com a impressão de que se eu der uns beijos mais quentes na minha mulher num lugar público, posso ser enquadrado por um atentado ao pudor qualquer, mas se eu estiver numa relação homoerótica, tudo bem, a lei me protege!

Acertando um pouco o texto, acho que dá para aprovar.

Anônimo disse...

Grande Juvêncio !
vpf

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

agora, com a ordem inversa dos comentários, consegui entender sua resposta.

Ocomentário do anônimo das 11:02 pretende ser embasadíssimo, discutindo exageros e falhas do projeto-de-lei, mas só reflete mesmo aquilo que você tão bem colocou.

Mas, como eu disse acima, devagarinho,destacando e apoiando direitos individuais e sociais, a gente ainda vira uma nação. Porque a fome não é só de pão. É de grandeza. Humana.

Beijão. Enorme.

Juvencio de Arruda disse...

Grande vpf!
Abs

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...Bom dia,queridona.
Vc é uma figura!
É essa grandeza que precisamos buscar.
Outro maior pra vc.

Anônimo disse...

O comentário do anônimo das 11:02 mostra muito bem como funciona a pequenez de algumas (felizmente agora só algumas) mentalidades fascistas do nosso país. Mas, pela preocupação dele, acho que o problema mesmo é o medo de se assumir.

Anônimo disse...

Não sou o comentarista das 11:02, mas tenho que concordar que a matéria está mal redigida, é só ler no "site" do Senado. De boas intenções o caminho do inferno está assoalhado. E a sucessão de ataques a posição do 11:02, chamado de pessoa de mentalidade pequena, de fascista e de enrustido (rsrsrs), só demonstra que a intolerância e o autoritarismo com que alguns respondem a uma opinião contrária aos seus interesses não é privilégio, nem é exclusivo de uma opção sexual qualquer. Quem defende maior tolerância e aceitação para os "gays" tem a obrigação de dar o exemplo também com quem pense o contrário.
Ah! E um dado cultural (o desconforto com uma opção sexual minoritária) não se muda com legislação, ainda mais se a Constituição, o Código Civil e o Código Penal já dispõe de mecanismos eficientes para coibir qualquer ofensa a dignidade da pessoa humana.

Anônimo disse...

Anõnimo das 3:31, tolerância é uma coisa, aceitar comentários engraçadinhos eivados de preconceito é outra. Quem não concorda com a lei que, segundo os "experts" como voce está mal redigida ( quem sabe a gente contrate um literato para isso), que faça a crítica dentro de parâmetros civilizados, não com piadinhas machistas. O desconforto com qualquer posição minoritária, seja ela sexual, religiosa, política ou até esportiva acaba no momento em que se respeita a diversidade. Impedir a criminalização da homofobia com a alegação de que os Códigos Civil e Penal coibem qualquer ofensa à (com crase, se voce quer coisas bem redigidas) dignidade da pessoa humana é justificar os constantes assassinatos de homossexuais, sem qualquer consequência para os assassinos.

Anônimo disse...

Anônimo das 1,36, ser engraçadinho (para usar sua expressão), não é crime, pelo menos na última vez que eu consultei o Código Penal.
Mas os estalinistas e mal-humorados de plantão não cansam de me surpreender, aparecendo mesmo nas fileiras do movimento homossexual.Ofender a dignidade da pessoa humana, é outra coisa. Stalin, como aliás o Che (cuja efígue tantos simpatizantes de sua causa usam na camiseta), achava que um bom remédio para a diversidade sexual era o paredão...
Não adianta, a lei é bem ruinzinha, não por questões de sintaxe, mas por querer criar uma distinção especial para um grupo dentro da sociedade.
Nem venham com paralelos entre este projeto e a Lei Maria da Penha, ou a criminalização do racismo, argumentos até inteligentes, que esperava que você reproduzisse, mas continua preferindo os ataques pessoais ultra-rábicos.
Continuo achando o projeto inconstitucional, inadequado, incoveniente quanto ao mérito, e que não melhora ou atenua o problema a situação dos gays que procurar endereçar, que é o da aceitação social plena dos homessexuais na sociedade.
Isto só será resolvido num processo social e histórico, que já apresenta grandes melhoras nos últimos tempos, tem dúvida? O resto é patacoada.
E, anônimo das 11:02h, por onde você anda, fui bancar o paladino do direito da livre expressão das idéias, e estou aqui sofrendo o fogo de barragem dos seus amigos de post. Apareça e conte mais umas piadas.
Quem não sabe rir de si mesmo, não merece ser levado a sério.