21.6.08

Sucessão na UFPA

Num encontro em dezembro de 2007, com o Forum dos Dirigentes da UFPA, que reúne semestralmente os principais gestores da instituição, o reitor Alex Fiúza conclamou os participantes a amadurecer um nome à sua sucessão que emergisse de uma discussão coletiva e antecipou que não indicaria nomes.
A partir daí seguiram-se tentativas de construção de um candidatura que, pelo menos, agregasse a ampla maioria do Forum. Da Administração Superior, dois nomes se colocaram à disposição do grupo, desde que representassem o consenso, além do professor Carlos Maneschy, que já havia se lançado.
Os diretores de todos os institutos decidiram ouvir todas as candidaturas, menos a da professora Ana Tancredi. Depois dessas rodadas, concluiu-se que nenhum dos candidatos representaria integralmente o perfil desejado pela maioria dos dirigentes, embora a melhor participação tenha sido a da vice Reitora, professora Regina Feio, que depois declinou da candidatura por razões de foro íntimo, o mesmo acontecendo com o pro Reitor de Pesquisa e Pós Graduação, Roberto Dalla'Agnol.
Restaram os professores Licurgo Brito, pro Reitor de Ensino de Graduação, Carlos Maneschy, diretor do Departamento de Pós Graduação, e Marlene Freitas, ex vice Reitora, que ainda não defendeu sua tese de doutoramento, o que deverá acontecer em setembro, considerado algo tardio para o processo eleitoral pelo colegiado dos dirigentes.
Eles avaliaram ainda, que Licurgo não preencheria todos os requisitos importantes ao cargo, sobretudo no item firmeza e rapidez de decisão.
Já em relação à Maneschy, os dirigentes consideraram que sua candidatura foi lançada à revelia de uma discussão coletiva.
Passaram então a discutir a possibilidade de uma terceira via, que pudesse dispor de quatro qualidades: visão acadêmica de universidade, excelência na biografia acadêmica, capacidade de decisão e pulso firme na condução da instituição, e compromisso com o atual modelo de gestão implantado na UFPA, a modo de evitar solavancos no percurso do modêlo, embora Maneschy tenha afirmado à este poster, em encontro recente, que não é um candidato de oposição.
Aí o diretor do Instituto de Ciências Biológicas, José Luis Nascimento, sugeriu o nome do professor Luis Carlos Silveira, diretor do Núcleo de Medicina Tropical, responsável pela implantação do único mestrado e doutorado em Saúde em toda a Amazonia. De imediato, seis dos doze dos dirigentes, acataram a sugestão e convocaram uma outra reunião, do colegiado e mais os dirigentes setoriais da área de Saúde.
Hoje, Luis Carlos Silveira tem a maioria no colegiado, que tem a idéia de levar o nome até o reitor Alex Fiúza.
O processo sucessório na UFPA entra em fase de definição.

25 comentários:

Anônimo disse...

ak diz
Juca: parabéns pelo texto claro, imparcial e, principalmente, dando nomes de quem está participando do processo. Está ficando raro ver isso na imprensa.
afonso klautau

Juvencio de Arruda disse...

Ôba, Ak, obrigado. É sempre bom ouvir um elogio do professor.
Grande abs e bom findi.

Cris Moreno disse...

É verdade, Juca. O Afonso tem razão. Perfeito o post. Parabéns.

Beijos.

Juvencio de Arruda disse...

Oi, ris. Tks. Bjs e bom almoço.

Juvencio de Arruda disse...

O que enlameia a trajetória acadêmica de alguém é a improdutividade, a desonestidade científica, a falta de generosidade no ensino.
Não é o caso de Luis Carlos Silveira.
Passe fora daqui com essa baixaria.

Flanar disse...

Já começaram de novo as baixarias?
É impressionante como tem gente que não sabe ter atitude na vida virtual.
O que dizer da vida real?

Juvencio de Arruda disse...

Nem na real, Flanar, quanto mais na virtual, e de forma embuçada.

Anônimo disse...

Juvencio,
"quatro qualidades: visão acadêmica de universidade, excelência na biografia acadêmica, capacidade de decisão e pulso firme na condução da instituição, e compromisso com o atual modelo de gestão implantado na UFPA!
Esse é o Maneschy.

Anônimo disse...

Caro AK,
O Juca tem um dos melhores textos do mercado, mas este me pareceu mais uma nota oficial de politiburo.

Anônimo disse...

Juvencio,
Quem dera que as coisas da vida e da politica fossem tao lineares assim.
A realidade é bem mais complexa, os processos traumaticos e as consequencias imprevisíveis.
Este forum dos diretores nao é assim tao organico, nao marchará unido e nao tem toda esta bola na hora da onça beber agua.

Juvencio de Arruda disse...

Ahahaha...tá certo, das 9:14, e muito obrigado pelo imerecido elogio. Fico só com a crítica.

-----

Das 9:20, o post traz uma só visão, bem explicitada no texto: a do Forum. Vc está certo: não há lienaridades na política e eu não defenderia tal tese. Há muitas outras forças na UFPA - e fortes - e o post não afirma que o Forum marchará unido.

Anônimo disse...

Amigo Juca em primeiro lugar saudações bicolores,quanto a pauta tenho a dizer que está estoria de que Alex não vai indicar ninguem isso é abobrinha que estão passando para você,o Reitor bem que está tentando mais não consegue e está estoria de Silveira é outra conversa fiada vai ser mais um a passar vergonha eleitoral dentro da academia.Caro amigo inteligente como você é já deu para perceber que a cupula e seus nobres cientistas ligados ao Reitor estão nunhuma sinuca de bico,e você sabe que diretor de unidade dentro da Academia nunca foi fator de decisão para eleger candidato a Reitor,exemplo do que lhe apresento a propria eleição de Alex em seu primeiro mandato.
Agora dizer que Maneschy é candidato da oposição é bricadeira de mau gosto,oposição a que e contra quem!meu prezado os nobres assessores politicos de Alex tem que entender que o problema está dentro da propria equipe do magnifico que passado quase sete anos de mandato não tiveram o cuidado de trabalhar um nome entre eles mesmo para substituir o chefe,agora que está ficando claro para nós que fazemos a academia no diadia é o que segue:
1)Alex não tem candidato a sua propria sucessão
2)Alex não descarta a chapa Carlos Maneschy e Licurgo Brito para vencer as eleições.
3)Tem assessor falando ao Reitor que a paridade nós votos entre as tres categorias deve acabar e que a lista triplice deve novamente ser instituida.
4)O interdito proibitorio a Maneschy é real,não só da parte de Puty e Bila,mais também de meia duzia de aloprados que nenhem em sua unidades são aceitos como liderança.
5)Um lider como Maneschy que é bem votado nas tres categorias sempre será lembrado para chefiar a Academia e Alex sempre soube disso.
Portanto caro amigo quem vos fala aqui é uma pessoa que ajudou a eleger o Dr.Alex duas vezes para Reitor da Academia,eu mesmo lhe digo se esses aloprados dirigentes que seguem as orientações dos pertubados da DS empurrarem a candidatura Maneschy para os braços da oposição tradicional ai eu lhe afirmo quem nenhem o Dr.Lutifala salva o sussessor de Alex em Brasilia,amigo não me tome como uma a pessoa inconsequente apenas relato a você o que tenho visto no diadia da academia.

Anônimo disse...

Juca,
Nem de longe você pode ser taxado de stalinista, prova disto é o nome de seu Blog, 5 Emenda, mas devo confessar que tem razão o anônimo das 9:14.
Eu tenho uma historia da URSS publicada pela Editora MIR da época do Bresniev, comprei-o em uma liquidação da Jinkings, era tudo mais ou menos assim como a nota em questão.
Havia um comitê central que programava tudo, sabia de tudo que era bom para o povo e para o país, era muito equilibrado, tinha princípios bem definidos, traçava com régua e compasso o futuro da humanidade.
Acabou na ditadura do Putin.
Será que estes diretores, acreditam mesmo no que esta escrito nesta nota?

Juvencio de Arruda disse...

Caríssimos da madrugada (sds ao anônimo bicolor) meu cordial bom dia.
Vou responder com vagar as colocações de ambos, ao longo do dia. E amanhã publicarei o que acho de vossas opiniões.

Anônimo disse...

Mas antes de enfatizar a suposta maioria de um Colegiado "ampliado", seria importante atentar para o fato de que a candidatura já nasce dividindo o grupo dos doze e deixando à mostra a falta de consenso em torno do nome de Silveira. Se é verdade que a decisão final cabe ao Reitor, sugiro que o professor Alex leia os comentários sobre a candidatura de Silveira que estão postados no Barata e no Tiquin. A rejeição ao nome de LC é evidente e os (fortes) argumentos guardam uma sintonia interessante. Insistir em um candidato pesado como o Silveira será desastroso para a situação e uma festa para a oposição. O Silveira precisa mesmo é de um amigo de verdade para dizer a ele que o prejuízo pessoal será irreversível. De cientista renomado a maluco derrotado. O problema é a vaidade.

Bom domingo aos ufpeanos.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado e bom domingo pra vc também.

Flávio disse...

Oi Juvencio,
Eu, Elna, Biá, Ana Lea e Emanuel do Fórum Landi ficamos te esperando na inauguração do Café Dom João, que está funcionando na sede do Fórum durante a exposição Siza. Perdeste, o cardápio é de primeira: pataniscas e filhós de bacalhau, bacalhau na brasa e doces portugueses, mas o grande sucesso da noite foi a “punheta de bacalhau”, surpreendente. Tem que provar.
Agora queria comentar a nota “Sucessão na UFPA”.
Quase que concordaria inteiramente com o texto se ficasse absolutamente claro que esse fórum dos dirigentes da UFPA, quando se reúne para discutir candidaturas, é apenas mais uma corporação no âmbito da universidade, a que reúne a alta burocracia da instituição. Além desta “corporação”, existem ou podem existir outras (sindicatos e associações, DCE, grupos de pesquisadores, etc.), que, com igual legitimidade, podem lançar seus candidatos. Mais ainda, qualquer professor pode se lançar candidato e apresentar sua plataforma submetendo-a a apreciação dos eleitores.
Por ser apenas um dentre tantos outros fóruns discutindo a sucessão na UFPA é que “os diretores de todos os institutos decidiram ouvir todas as candidaturas, menos a da professora Ana Tancredi” o que não desmerece sua candidatura nem a torna menos legítima.
Da mesma forma por se comportar como “partido” ou corporação é que este fórum de dirigentes pode, em relação ao professor Maneschy, considerar “que sua candidatura foi lançada à revelia de uma discussão coletiva”, o que não quer dizer, que em outros coletivos, igualmente legítimos esta candidatura não esteja sendo discutida.

Flávio Nassar

Anônimo disse...

Eu serei o primeiro cabo eleitoral do Silveira, se assinassem uma nota de apoio a sua candidatura, nao esses diretores que nem o conhecem direito e que estão sendo mobilizados por um apelo ao “espirit de corpe”, mas por seus pares, pesquisadores de igual gabarito cientifico: Horacio Schineider, Paula Cruz, Ricardo Ishac, Cristovao Diniz, João Guerreiro.

Juvencio de Arruda disse...

Olá, meu querido.
Que pena que não pude ir, embora daqui a pouco vá comer um pernil a casa de pessoas amigas...eheh.
Concordo com vc. Mas lembro que o post - e meus comentários nesta caixinha - é bem claro: eu fiz um relato do processo sob o espectro do Forum, que é uma das forças presentes na campanha.
De forma alguma a preferência da mAioria do Forum desprestigia ou retira, de seu candidato Maneschy, quaquer daquelas condições que o Forum entendeu necessárias ao cargo de reitor.
E se lá ele eventualmente não obtiver grandes apoios, decerto não faltarão outros foruns igualmente representativos da vontade da comunidade.
Abração e até mais.

Flávio disse...

To indo comprar a cerveja.

Anônimo disse...

Tem razão o professor Nassar, estava parecendo que o Forum de Diretores era uma instacia altruistica que paira sobre as demais da UFPA.
So para refrescar a mente, no pleito que se elegeu o prf. Alex, ele nao saiu como o candidato dos diretores, o candidato dos diretores era o Prof. Guerra cuja candidatura explodiu e seus escombros foram parar ou na candidatura Alex ou na Maneschy.
Foi um foro do Forum.

Professor ufpiano atento disse...

Caro Jovêncio,

A sua nota é esclarecedora. Destoa da série de meluquices publicadas em outros blogs e que, à minha maneira de ver, não correspondem à realidade dos fatos.
Acho que o reitor Alex não é ingênuo (muito menos em política): suas duas eleições o provam. A pergunta central é: por que o reitor não lançou candidato próprio??? Esta pergunta precisa ser respondida!
Maneschy sempre desejou ser reitor, desde 2001 (quando perdeu o pleito para o Alex). Trata-se de uma aspiração legítima, que precisa demonstrar que não é meramente personalista. Luis Carlos Silveira desponta como candidato de vários diretores - o que tb é legítimo - e precisa demonstrar que, além de execelente acadêmico que é, pode vir a ser um bom administrador e político na cabeça da instituição. O fato é que o maior desafio é dar-se prosseguimento ao trabalho que começou a ser implementado pela atual administração, cujos efeitos positivos são inquestionáveis e colocou a UFPA, em destaque, no canário nacional e internacional nos últimos anos. É por isso que a candidatura de Ana Tancredi ou qualquer outra que emerja do PSOL ou PSTU não ganhará fôlego. A UFPA mudou nos últimos anos e a sua cultura acadêmica interna. Talvez seja isso o que o reitor mais zela: impedir que esses malucos venham a assumir a academia. Daí não poder ser contra Maneschy e incentivar uma outra boa candidatura - de perfil acadêmico - que venham a polarizar o processo eleitoral de forma "sadia" e positiva para o projeto que defende, de longo prazo.
Não seria essa a resposta à pergunta acima???
Só o reitor poderá responder. Por que será que ninguém lhe entrevista?!!!

Juvencio de Arruda disse...

Das 4:16, entre tantos acertos em seu comentários, uma excelente proposta de pauta : uma entrevista com o Reitor. Vou pedi-la ao prof. Alex. Se ele concordar vou recolher sugestões dos leitores do blog e fazê-la.
Obrigado.

Anônimo disse...

Isso é que é uma versão em off-cial...

Anônimo disse...

Espero, sinceramente (estou torcendo) que professor Alex concorde com a entrevista.
Boa tarde de segunda para nós, ufpeanos.