27.6.08

Regimento Ilegal, Constrangimento Legal

O Seventy, na edição de hoje da folha nariguda, volta a entrar na campanha da UFPA, aliás na campanha contra o reitor da instituição, antigo alvo das maledicências e diatribes do grupo que ficou nacionalmente conhecido pela escandalosa fraude no IVC.
Cabe lembrar que nem em 2001, quando foi eleito pela primeira vez, nem em 2005, quando afastou-se do cargo tres meses antes das eleições que o reelegeram, e das regras que a comandaram, Fiúza envolveu-se na elaboração das regras do regimento eleitoral.
Fiúza, consultado pelo blog, diz que não concorda com nenhuma regra que seja contra a lei que rege as eleições nas universidades, sob pena de expor o processo eleitoral à impedimentos de ordem legal.
"Qualquer falha no regimento eleitoral pode anular o processo", diz o reitor," como se tentou em 2001 na UFPA e recentemente, na última eleição da UFRGS. O pior que pode acontecer é o esforço da comunidade ser anulado por um fato jurídico, o que desmoralizaria a UFPA"
Cada um defende as regras de acordo com a sua conveniência eleitoral, a partir da avaliação do cenário eleitoral mais interessante para as pretensões de cada candidatura, embora devessem - todos! - fazê-la de acordo com a lei.
É um péssimo indicativo defender um regimento ilegal.
Quem o faz demonstra que seus próprios interesses, e de seus grupos, estão acima do respeito e preservação da estabilidade da própria instituição. Demonstra, ainda, a presunção da incapacidade de se ver competitivo numa disputa eleitoral dentro da lei, daí a tentação em subvertê-la, embora isto não seja nenhuma novidade.

16 comentários:

Raphael Teixeira disse...

O fato é que o grupo ORM age com a nossa Federal do Pará como a oposição em relação ao governo: torcendo para as desgraças acontecerem!

Fico me perguntando se há alguma outra instituição da qual este Estado deva sentir mais orgulho do que a Universidade, e da mesma forma, se há algum outro grupo que mereça a repulsa da sociedade paraense tanto quanto os maioranas.

Isto não isenta a Universidade, como órgão público, de ser acompanhada de perto pela sociedade, e em especial pela imprensa. Mas as manifestações do grupo ORM nos últimos tempos, buscando sempre atingir e denegrir a imagem da UFPA nos levam desacreditar de qualquer coisa que se diga da Universidade nas páginas narigudas.

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia Rafhael.
Sem reparos ao seu cometário.
Abs

Anônimo disse...

Conheço muito bem as atitudes do Senhor Fiuza de Mello, no seu primeiro mandato implantou uma gestão interventora no Campus de Marabá sob alegação de que o processo hove falhas gravissimas no regimento.

Houve empate das duas candidatas pstulante ao cargo de coordenação e Fiuza e sua tropa (BILA, Marlene e Edilza Fontes) impuseram um Coordenador INTERVENTOR por dois anos.

Quem conhece a figura do Alex não se engana. Marabá conhece a tratorada que ele deu em cima deum processo democratico que ja se havia implantado a muito tempo no campus, inclusive sendo o voto universal, estudantes e professores com o mesmo peso.

Juvencio de Arruda disse...

Às cachorras que à falta de argumentos agridem o poster: qualquer denúncia contra o mesmo deve tomar o caminho legal: Polícia e MPF.
Até anônimamente podem ser feitas, tal como se dirigem ao blog.

Juvencio de Arruda disse...

Sinal da coerência dele nas questões regimentais de processos eleitorais. A defesa do voto unversal bem espelha a indigência acadêmica que campeava por aí.
Estudantes e professores como mesmo pêso? Só se for o pêso da vagabundagem, de alunos e professores.
É bem diferente o campus e Marabá, antes e depois de Alex...eheh

----

Vumbora, o que mais?

Janjão disse...

Caro Juca, é muito fácil esconder-se atrás do anonimato para sair acusando as pessoas, acho que é uma covardia, em relação ao Reitor sabemos, pelo mesnos eu, desde os tempos do CFCH, que ele sempre teve uma postura democrática, vamos esperar setembro chegar para podermos julgar alguma coisa

Abreijos

Juvencio de Arruda disse...

Valeu, Janjão.
Abs

Anônimo disse...

O reitor Alex Fiuza de Melo tem sido um exemplo de homem público da nossa geração.
Se depender da minha torcida, Alex continua na vida pública, depois de deixar a reitoria da Universidade Federal do Pará, orgulho para todos nós, paraenses.
Vic Pires Franco
Deputado Federal

Anônimo disse...

Caro Juca,

O Reitor da UFPA não é ingênuo, mas também nenhum de nós é. Mas daí acharem que o homem quer manipular as coisas é desculpa de quem não sabe fazer suas idéias virarem algo concreto.

Depois que ouvi a 1ª vez não consigo deixar de pensar: o tal do Repórter 70 tem esse nome porque 70% do que publica é falso, o restante merece alguma confiabilidade.

Dai a alcunha dada pelo poster ao jornal como um todo que também repete a prática.

J. BEÁ

Anônimo disse...

Palavras sua "Cada um defende as regras de acordo com sua conveniência eleitoral..." e você acha que o Fiuza não defende a sua (dele)? ou você acha que só a dele é que é a justa? justa para quem? A legalidade quando é defendida pela legalidade, como está sendo feito por você e outros, inclusive o Fiuza, o qual sempre faz isso em defesa de seus interesses eleitorais acadêmicos, corre o risco de validar um AI5, para citar um caso extremo, que, também, era lei, ou mão????
É muito legalisno para esses tempos dos fins das certezas.
Ricardo CL.

Juvencio de Arruda disse...

Vc escolhe entre a legalidade e o golpe, como o que patrocinou o AI 5
Vc quer o fim da legalidade em nome "desses tempos dos fins da certeza", Ricardo CL?

Anônimo disse...

É uma possibilidad, que pode explicar as ações e as minhas intenções, como o legalismo que patrocina as intervenções e a extrema necessidade de um espelho para me ver cada vez mais belo. Mais que os outros e... principalmente, falar sobre mim, sobre a minha "beleza" e ouvir, dos outros sobre a possibilidade dela. Espera-se do conhecimento mais que isso e de um reitor a transparência, a humildade de quem tem a certeza de que nem tudo sabe. O seu ídolo tropeça...
Ricardo CL.

Juvencio de Arruda disse...

Vc está confuso Ricardo CL.
Pare de tomar essas coisas.

Juvencio de Arruda disse...

Hum hum..mas a velha vadia está danada hoje...eheh

Anônimo disse...

Quem é velha vadia, juca?

Juvencio de Arruda disse...

Fica só entre eu e ela.