20.6.08

INCRA de Marabá Contesta MPF

A propósito de decisão judicial que impede o repasse de recursos para assentamentos, em respeito à opinião pública e a bem da verdade, a Superintendência Regional do Incra em Marabá - SR-27 – informa o seguinte:

1 – Em todos os casos de desvio de crédito na SR-27, o próprio Incra tomou as providências cabíveis e encaminhou os casos a Justiça – o que demonstra que a apuração de eventuais irregularidades é de total interesse do Incra. Aliás, das 120 ações encaminhadas pelo Incra, 80 por cento dos casos aconteceram há bastante tempo, mais precisamente antes de 2003.

2 – Na área da SR-27 existem 481 assentamentos, nos quais vivem 76.500 famílias. São cerca de 350 mil pessoas que nada tinham antes de assentadas e, hoje, plantam alimentos em seus lotes para sobreviver e contribuir para o desenvolvimento do país. O Estado brasileiro tem um papel importante na renda e no desenvolvimento dessas crianças, mulheres e homens. Por isso, o Incra vai recorrer da decisão da Justiça.


3 – A SR-27 tem 28 servidores atuando no acompanhamento dos Projetos de Assentamento. Entre eles, um que entrou no Incra em 1980 como auxiliar de enfermagem e outro que entrou no Incra em 1981 como agente de portaria. Esse tipo de cargo foi extinto em 1998 nas autarquias e órgãos federais, impulsionando a reciclagem e a capacitação de milhares de servidores. Os dois funcionários citados possuem ensino médio completo e ocupam a função de assistente administrativo. Não há motivo conhecido que coloque em dúvida a capacidade técnica de exercerem tal função.


Fonte: Assessoria de Comunicação da SR-27/Marabá.

--------

Atualizada às 15:50.

No blog Espaço Aberto, um link para a sentença do juiz federal Carlos Haddad fulmina a nota da SR-27. Vale a pena ler a sentença.

8 comentários:

Bia disse...

Boa tarde, Juca querido:

uma defesa como esta merece perguntas que necessitam respostas:

1 - estaria a Superintendência do INCRA-Marabá acusando o MPF de leviandade? Pois se as questões são "muuuuuuuito antigas", o MPF passou 5 anos ou mais sem cumprir seu papel. Correto?

2 - Se estamos falando de 481 assentamentos é muito fácil o INCRA disponibilizar a relação de PAs por data de criação. Ou o INCRA pode informar, quais os assentamentos CRIADOS no período 2002-2007. Assim, podemos cotejar se agora " ...São cerca de 350 mil pessoas que nada tinham antes de assentadas e, hoje, plantam alimentos em seus lotes para sobreviver e contribuir para o desenvolvimento do país..."

3 - quando o INCRA declara que existem 76.5oo famílias assentadas, ele dá a impressão de que já realizou um novo Censo! O úlrimo do qual tenho notícia foi realizado em 1995/96, pela INCRA/CRUB/UNb.
Se o controle interno do órgãos está tão correto como aparenta - ou esses totais são a rápida sona das RB-relações de beneficiários?_ é simples fornecer as informações solicitadas.


Beijão

PS: como sei que o Quinta não é ag~encia de correios...rsrsrs... estou enviando as perguntas para o e-mail do INCRA.

Juvencio de Arruda disse...

Bia, a nota é "técnica", por assim dizer. O MPF tem sido acusado de atuar sob holofotes, de parcialidade, de perseguição política, isto já virou rotina.
E considerar um servidor de nível médio como apto a fiscalizar a aplicação de recursos de tal monta, francamente, é substimar a inteligência alheia e os técnicos de nível superior da autarquia.
Tres novas linhas de investigações deverão ser encetadas na SR-27, e não será surpresa para este blog se os resultados se reproduzirem em outras SR's, na região e até fora dela.
Esta decisão do juiz federal de Marabá, à qual cabe recurso, é o primeiro ato de uma longa novela, cujo final já é conhecido em aguns gabinetes do poder.

Bjão pra c.

Anônimo disse...

É verdade, mas não podemos negar que o judiciário de Marabá, tanto o Estadual como o Federal, tem sido implacável com o MST e MTM. O juiz que assina essa decisão, inclusive, é o mesmo do interdito proibitário da VALE, ele tentou imunizar a VALE da ação dos movimentos sociais.

Decretou prisões cíveis das lideranças dos movimentos e outras tantas medidas controvertidas.

Em se tratando de VALE e sendo contra os movimentos sociais acho esse juiz muito "voluntarioso".

Pode não ser uma decisão partidária ou que mereça esse tratamento, mas de qualquer jeito, prudência é bom, principalmente para um JUIZ.

Val-André Mutran disse...

Conseqüências diretamente proporcionais na composição dos acertos políticos em todo o Carajás essa alopração da SR-27 - a maior superintendência do órgão em todo o Brasil -, cujo o orçamento, sozinho, faz corar o MinC e muitos municípios.

Anônimo disse...

Não vi a denúncia do MPF, mas devia ele ir direto ao assunto.

Em Parauapebas, tem um empresário, de nome Branco, que tem uma empresa, de nome WHITE TRATORES, que tem boa parcela do orçamento do INCRA e da Prefeitura de Parauapebas. Esse Branco é o principal financiador da campanha de BERNADETE BEN CATEN e DE DARCI LERMEN.
Pode também o MPF também investigar o Sr. Eduardo Gomes, dono da ETEC, jovem empresa, que nascida ontem, parece muito promissora nas hostes petistas e peemedebistas.

Pode o MPF e o voluntarioso JUIZ, desfocar um pouco suas canetas dos trabalhadores e direcioná-las aos corruptores.

Ou será que têm algo que impeça.

Todo dia eles têm uma sentença, uma lei de segurança nacional, uma ordem contra MST e MTM, contra VALE e fazendeiro, nem pensar.

Anônimo disse...

Vamos começar a puxar o novelo todo?
Vamos investigar a distribuição dos recursos do INCRA Marabá para financiamento de campanha que fez com que deputada se orgulhasse de ter tido mais de 30 mil votos?
Mas assim não ?

Anônimo disse...

Bom dia!!!

A direção do INCRA SR 27, Cooperativas de Crédito e a maioria dos SRTs da região não passam de uma grandiosa quadrilha. Investiguem o senhor Zé Valdo e a ligação dele com o senhor Apío (Chefe de Créditos de Habitação da SR 27) e presidentes de associações da região, a comunidade não sabe e nem conseguira calcular o montante desviado de recursos de construções de casas nos PAs e isso sem falar em recursos de estradas, que muitas das vezes nem são se quer construidas. Em Itupiranga a direção STR do Municipio e os irmãos cara de pau "Zé Bonzim e João Bonzim"(isso é só no nome)estelionata e ameaça quem aparecer em seu caminho. Esses senhores, a poucos anos atrás não tiha nem um Coura para dormir em cima, manda a pf verificar os bens espalhados em nomes de laranjas e parentes próximos...
É amigos, a coisa anda feia...
Mande seus comentários, fale um pouco do que vcs sabem, ajunde o MPF derrubar essa quadrilha que aniquila trabalhadores rurais.

Anônimo disse...

Boa noite!!!

Se +- 20% dos recursos do MDA Nacional vai para o INCRA de Marabá SR 27, parte desses recursos são roubados em Itupiranga pela quadrilha(STR,Copserviços e Banco do Brasil), segundo informações um suposto membro sumiu e todos os outros membros da organização resolverão jogar todas as culpas de fraudes no SUMIDO.Mas o que se sabe é que o sujeito, tão somente facilitou as fraudes, atraves de ameaças e pressões dos camandantes do Quadrilia, dizem que o rapaz até fome esta passando e caso seja encontrado antes da policia pode até ser assasinado pela quadrilia.Fugio e teve que assimir toda a culpa.
Mas acredito que a verdade vai aparecer.
Meu amigo velho, caso consiga ver esse recado, tenha fé e força..Abraços...gtrd2005