21.6.08

A Moral Cínica e Algumas Mentiras

Em resposta à revista Valor - Se a eleição presidencial fosse hoje, qual seria a bandeira do PSDB? - disse FHC: Nós fazemos melhor e com menos corrupção.

Fonte: blog do Noblat.

12 comentários:

PinkY - everyday is like a sunday disse...

Acho que ele se enganou, na verdade queria dizer "nós fazemos menos e com melhor corrupção".

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...bom dia, Pinky.
Muqueca de cação hoje?
Bjs

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

o PSDB trabalhou muito bem em setores que o próprio PT só pode avançar porque havia condição para isso. A unificação dos programas sociais no Bolsa Família - carro chefe do governo Lula - só foi possível porque os "programas sociais" já existiam!

Aquilo que hoje é uma "griffe" do atual Governo - a inclusão digital - só é possível porque as medidas necessárias estavam implementadas.

Mas, bom mesmo foi a política macroeconômica que o PT referendou na íntegra!Está aí o fantástico superavit para provar que Collor e FHC fizeram escola! E antes deles a interminável lista de patriotas.

Quanto á corrupção, só mesmo contabilizando pra afirmar quem ganha o campeonato.

O problema dos governos, ou melhor, dos governantes, é impingir ao povo que tudo antes não prestava e que a partir deles fez-se a luz. Com isto, cometem sempre o mesmo terrível ero: não avaliam, não reformulam, não avançam. Generosidade política não é carga genética. Nem pra torneiro mecânico nem pra professor honoris causa da Sorbonne.

Esa é a nossa triste história contemporãnea. Lá, cá e alhures.


Beijão

Raphael Teixeira disse...

Lança-se pois o "corruptômetro"! FHC desconstrói o "rouba mas faz" e institui o "roubamos menos, com muito mais pra vc"!

Cínico demais pra um partido que quer voltar ao poder central da nação.

Li a entrevista do nosso ex mais pomposo. Diz-se por ai que como a abertura econômica se deu no governo Collor, o plano real foi instituido em Itamar (com FHC ministro, é verdade, mas ninguem lembra disso) e que, por gravidade, a economia já estava estabilizada na metade de 1995, FHC passou sete anos tentando convencer o país de que ele havia feito tudo!

Bia disse...

Caro Raphael,

o corruptômetro não é uma invenção minha, sua ou da comentarista que nos anteceu. Foi uma "criação" dos defensores do Maluf, depois dos amigos de Jader Barbalho e foi reformulado por algumas figuras do atual governo.

Na medida em que os escândalos estouram, busca-se um "parâmetro" do governo anterior.

Estamos aí,com um exemplo atualíssimo: tem a VARILOG da Dilma? Ah!!!! mas vamos ver, porque teve também a Alshtom do Serra!

Tem o Lulinha, talentoso empresário? Ah! mas tinha o Paulo Henrique Cardoso!

FHC é a esclorose do PSDB. Mas considerar que os governos do PSDB nãotiveram aspectos positivos,´não nos leva a canto algum. Nos leva apenas e ficar instigando o "pirraçometro".

Quanto a contabilizar os casos de corrupção, foi uma maneira de dizer que , infelizmente, é impossível, sem termos todos os dados de todos, afirmar quem é a Madre Tereza ou o Ali Babá dos últimos 50 anos.

Abraço fraterno.

Beijão, Juca.

Raphael Teixeira disse...

Oi Bia,

É verdade, o corruptômetro já vem de longas datas, fruto da tentativa de justificar o absurdo e por isso mesmo não pode ter sido criação nossa. Mas FHC faz uso de uma variante elegante da idéia.

Entendo que o país não foi criado em 1995 ou em 2003, mas a agenda do governo anterior, inclusive no ponto de vista econômico possui diferenças em relação a este.

Senão, como explicar os diferentes números do PIB, criação de emprego, renda...

Isso não tira o mérito de José Serra na saúde, de Sérgio Mota nas telecomunicações. Mas tem um ponto crucial...

Arrisco aqui que apesar de juros, superavits, cambio flutuante, metas de inflação, ter se mantido, a concepção de Estado como elemento indutor da economia foi o que provocou a mudança. Deixa-se de lado a privatização de tudo e lança-se o PAC!

Falando em PAC, ontem a PF meteu o pé em portas de bacanas. Corrupção pra desviar verbas do Programa. Deputados da base aliada (PMDB e PDT) e prefeituras do PT estão na mira da PF. E muito mais virá por aí!

Acho que ações como estas, de intolerância sem olhar para as legendas, legitimam o governo quanto ao discurso anti-corrupção, não que exista nele alguma Madre Tereza e no outro Alí Babás! Como vc bem frisou.

Um abraço

Anônimo disse...

Pelas próprias palavras, já temos a resposta para a futura pergunta histórica:
Quem foi FHC na história do Brasil?
Resposta curta e simples: Foi um político assumidamente corrupto que presidiu o País.
Esse fato é histórico! Não conheço nenhum outro presidente ou ex-presidente que tenha assumido publicamente que foi e é corrupto.
Alguém pode me ajudar?

Anônimo disse...

Vamos nos lembrar dos crimes lesa pátria tais como a privatização da Vale do Rio Doce, que sempre foi lucrativa e vendida por bagatela.
Privatização fraudulenta, vide Daniel Dantas das telecomunicações.
Diretoria do Banco do Brasil respondendo processos e já condenados por Gestão temerosa.
E por aí vai.
Porém alguem pode perguntar se não há um rol de itens no Governo petista. Claro que sim.
A diferença: O estardalhaço midiático.Barando muitíssimo brando com FHC, impiedoso com Lula.

Bia disse...

Um abraço, Raphael.

È bom conversar com você.

Beijão, Juca.

Anônimo disse...

FHC e Lula, gêmeos separados no nascimento. FHC é o metalúrgico que não deu certo, Lula o príncipe dos sociólogos que não deu certo. Mas numa coisa fica patente a univitelinidade: ambos falam muito e dizem muita merda pra desviar a atenção da brasileirada otária, que perde tempo discutindo qual dos dois é mais!

Anônimo disse...

1. A política econômica do governo Lula não é a econômica de FHC. Semelhança não é sinônimo de igualdade.
2. A política externa do governo Lula definitivamente superou a anemia da era FHC.
3. A política de saúde do governo Lula e de FHC não são iguais. É política de estado. Aliás, na era FHC, o que mais tinha no MS era petista assessorando Serra e Cia.
4. A política de ciência e tecnologia de Lula dá banho - um chuá, mesmo - na plaquinha "em reformas" da época FHC.
5. A política de Cultura com o baiano Gil dá axé no elitismo à DASLU, marcada por festivais de ópera, financiamento de sinfônicas e maestros malcriados.
6. Corrupção: FHC é vitrine para qualquer hora, basta querer mexer no que fede. Lula não escapou dos efeitos. O país tem ambiência para o crime organizado e não é inteligente ver culpa apenas no governo federal. Estados e municípios tem muita culpa na arquitetura do caos.
Por fim um piadinha com o Roberto Freire... Diz que quando o Muro de Berlim caiu, ele estava por perto e um tijolo lhe acertou a caixola. A conseqüência é isso que se vê hoje. Tá na Época desta semana.

Anônimo disse...

O problema do PSDB é achar que só ele é cheiroso.