7.7.08

Ninguém é Responsável

O Ministério Público Federal no Pará (MPF) alertou à Justiça que a morte em série de recém-nascidos ocorrida na Santa Casa de Misericórdia de Belém pode se repetir em Marabá, no sudoeste do Estado.
A informaçãofoi encaminhada à Justiça Federal nesta segunda-feira, 7 de julho, emmanifestação que faz parte de processo aberto em 2005, quando o MPFajuizou ação civil pública para cobrar do Estado e do município de Marabá melhorias no atendimento a recém-nascidos.De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sespa), a Santa Casa de Belém já registra 32 bebês mortos desde o dia 20 de junho.
“Parece que o Estado e o município querem repetir em Marabá os fatos ocorridos emBelém e que têm ocupado o noticiário nacional nas últimas semanas”,afirmou o procurador da República Marco Mazzoni, referindo-se ao fato de que, no processo judicial, nenhuma das duas instâncias de governo quer assumir a responsabilidade de melhorar a prestação do serviço médico.
No processo, o Estado diz que a responsabilidade pela instalação deUnidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal no Hospital Municipal de Marabá é exclusiva do município que, por sua vez, alega ser desnecessária a UTI porque o Hospital Municipal tem Unidade de Cuidados Intermediários (UCI).
Na manifestação, o procurador volta a solicitar à Justiça que determine a implementação de leitos de UTI Neonatal no Hospital Municipal de Marabá, a compra de ambulância para o atendimento neonatal e a contratação de médicos especialistas no ramo. “A situação lamentável da assistência à saúde em Marabá se encontra inalterada desde o ajuizamento desta ação civil pública”, observa Mazzoni.

Fonte: Assessoria de Comunicação do MPF no Pará.

6 comentários:

Flanar disse...

Ei! Unidade de Cuidados Intermediários de maneira nenhuma nunca foi e nunca será a mesma coisa que Unidade de Tratamento Intensivo. Neonatal então, nem se fala.

Anônimo disse...

Inalterada não, cada dia pior, melhor dizer assim. Para o todo poderoso Prefeito Tião Miranda, saúde nunca foi prioridade, afinal, como ele costuma mencionar, saúde não dá voto, o que dá voto é o asfalto. A saúde no município de Marabá é uma vergonha! O Hospital Municipal FEDE, mas mesmo assim, "tá tudo muito bem", Marabá tem um excelente administrador....CHEGA de TIÀO MIRANDA, o JOão Salame há de perder essa eleição.

Oliver disse...

Unidade de Cuidados Intermediários sem o suporte de uma UTI? Quiéquiéisso??!!
Bom lembrar que em 2003 Marabá deu notícia nacional exatamente por causa de problemas com terapia intensiva... e... vai dar de novo, pelo dito.
É inadmissível que a Secretaria de Estado não atente para o risco da situação denunciada pelo promotor. Uma das responsabilidades das secretarias de estado de saúde é estabelecer cooperação técnica com os municípios exatamente em áreas onde esses demonstrem dificuldade na gestão e prestação de serviços de saúde. O caso citado serve perfeitamente de exemplo.

Juvencio de Arruda disse...

Oliver e Flanar, é isso mesmo que o MPF diz. E a família de minha companheira, que é de Marabá, confirma as acusações: a saúde da cidade está no chão, pela iniquidade, irresponsabilidade, cara de pau e impunidade dos gestores criminosos, sejam do município ou do estado.
Enquanto isso, rouba-se descaradamente os recursos da sáude, governo após governo.
É nesse clima de patifaria generalizada que os candidatos virão aos mídias, pedir e prometer.
E não cumprir, mais uma vez, é claro.

Anônimo disse...

No governo do Jatene houve mortes de recém nascidos por conta da falta de UTIs Neonatal.
O governo de Ana peca por não ter feito um diagnóstico real da situação que herdou a saúde pública e por conta disso não ter encontrado as soluções necessárias e emergenciais.
Da mesma forma que não houve um diagnóstico das cadeias publicas onde se descobriria que não havia cadeias femininas no interior.
Ou seja, os cargps foram loteados pelos aliados de esquerda, centro e direita que se aboleletaram e encheram de apaniguados correligionários para trampolim político e com muita sede ao pote.
O loteamento de cargos nas Secretarias envidenciou-se no leilão de vices onde forças inexpressiva do ponto de vista político ganharam Secretarias de porteira fechada para posicionar seus quadros.
Ou seja os Secretarios na sua grande maioria esta lá para servir as suas forças políticas e não para servir ao povo.
Mas ver o que mais vai acontecer de tão trágico neste Estado pela ineficiencia e inoperancia.

Quaradouro disse...

Enquanto Tião & Parceiros enchem as ruas de asfalto e de calor (tá batendo nos 30 graus e quebrados, já a partir das 11 da manhã)idosos, muilheres e crianças atulham o corredor do Hospital Municipal, onde nem os bancos chegam para alojar um terço de tantos. Mas o Secretário de Saúde, é verdade, foi indicado a vice na chapa do deputado João Salame; saem rumo à Câmara, o ex de Cultura, o ex de Terras, o ex de Assistência Social, o ex-diretor do Serviço de Atendimento ao Cidadão... alguns são ex-vereadores, que acabaram banidos da política e tentam retornar pela via do tráfico de influência política.
Vamos ter, é verdade, que batê-los todos outra vez.