10.6.08

De Volta

Um dos muitos e rápidos encontros do poster na Pérola foi com ex prefeito e vereador Ruy Corrêa, do PMDB. Cabeça geladésima, Ruy não será candidato à reeleição. Vai apoiar o sobrinho Maurício.
Ruy não confirma mas, sempre elegante, espera o resultado das urnas de outubro para encomendar um paletó para a posse, dia 1° de janeiro do ano que vem, na Camara Federal. É que o partido contabiliza o favoritismo de Bel Mesquita, em Parauapebas, e - gulp! - Wladimir Costa em Barcarena.
Já em Marabá, ao que parece, na candidatura de Asdrubo, o exumador, o trombone é mais embaixo.

6 comentários:

Francisco Rocha Junior disse...

"Asdrúbal, o exumador". Parece nome de conto do Stephen King.

Alan Lemos disse...

Para deputado federal existe uma discrepância bem grande de votos entre os eleitos e os suplentes.

Em geral, os eleitos proporcionais alcançam um terço do quociente: entre os deputados estaduais, a maioria nem isso, chega a ser até 20%... já entre os federais, fica na margem dos 50% pra cima, alguns até com 100% a 200%.

Diante disso, com um eleitorado "pequeno" é possível conseguir uma boa colocação de suplência pra federal.

Juvencio de Arruda disse...

rs..Franscico, o deputado não é um bom parlamentar.
Apoia os predadores, comporta-se como um vereador distrital, e ainda responde ação na Justiça ação por laquear mulheres em Marabá em troca de votos.
King é pouco.

Juvencio de Arruda disse...

A assimetria que vc aponta, Alan, é objeto de estudos pelos cientistas políticos que trabalham na "geografia do voto", como chamamos.

Alan Lemos disse...

Legal, Juvêncio, gostei da informação. Ciência Política me chama bastante a atenção, mas minha área mesmo é economia, essa eu adoro.

Abraços

Anônimo disse...

Mauricio correa é primo e não sobrinho do Ruy, e estava sendo cotado pra ser vice da maria.