25.11.08

Na Mira

A Sejudh, sem titular desde a saída da secretária Socorro Gomes, do PcdoB, em junho, seria o novo palco de disputa entre alguns partidos da base aliada do governo. São citados como candidatos ao cargo o antropólogo Luís Romano e o advogado Jorge Farias, ex Delegado Regional do Trabalho.

15 comentários:

Anônimo disse...

Ih !! não deixem o deputado Gerson Peres saber dessa vacância.
Agora, que ele vai dormir na guarita do Cristalville.

Anônimo disse...

Meio sem sentido a nota. Luiz Romano e Jorge Farias são do PC do B, assim como o secretário interino. Seria uma mudança de seis por meia dúzia....

Victor Furtado disse...

Falando em direitos humanos, caro Juvêncio, há algo nada direito nas salas de cinemas do monopólio Moviecom, no Shopping Castanheira. Quem tem ido, se deparou com salas quentes. É que somente 50% dos aparelhos de ar condicionado estão funcionando. Porém, a situação se repete há meses, o que irrita clientes, chateados com o preço salgado dos ingressos.

Juvencio de Arruda disse...

Victor, obrigado pela participação e longa vida ao seu blog.
Sucesso e um abs.

Leonardo Ruffeil disse...

É isso aí amigo Victor. Fui ao Moviecom Castanheira domingo (23/11) na sessão de 21:15 e a situação era esse descrita por ti. Um absurdo! Reclamei com o porteiro, que disse que falarai com o responsável, mas até o o final do filme, nada foi resolvido.

Anônimo disse...

Roberto Martins, o interino, é o melhor nome. É advogado comprometido com a causa e entende do riscado. É do PC do B.

Anônimo disse...

As grandes empresas, de Brasília para baixo, tratam o consumidor com um respeito impressionante(quase medo...). Quando se instalam em Belém, fim de mundo na ótica de muitas delas, a coisa é completamente diferente. Fazem o que querem. A começar da falta de treinamento do pessoal aqui contratado. Não investem um mísero centavo no treinamento dos empregados. Se o fazem, não dá para notar. Além disso, não dão a mínima para reclamações dos "índios" que aqui moram. O caso do MOVIECOM é emblemático: experimente o MOVIECOM deixar os espectadores de São Paulo, Rio ou Brasília com ar condicionado defeituoso (ou pela metade, por medida de economia) por uma sessão de cinema que seja... Os consumidores se unem e reclamam na hora. A empresa não ousa fazer isso (como regra geral) lá como faz aqui. Duvido. Já tive a oportunidade de me deslocar da Cidade Velha (onde moro) para o MOVIECOM do Shopping Castanheira para receber a informação da bilheteria de que a sessão (última do dia) tinha sido cancelada por falta de espectadores. Eu, claro, não contava... Comecei a reclamar e fui salvo pelo vigilante que informou à bilheteria que havia sim mais uma ou duas pessoas na sala. Assim, por pura sorte (não por ter reclamado) pude assistir a sessão. Não fosse isso, teria atravessado a cidade a troco de nada. É um retrato de Belém: todos fazem o que querem e não há ninguém a quem reclamar. Triste. Mas sem a menor perspectiva de mudança. Loris Pereira Junior

Juvencio de Arruda disse...

Bem vindo ao blog, dr. Loris, e obrigado pela participação no debate.

Anônimo disse...

Juca!
Não é só o Gerson Peres que aparece quando tem uma vaguinha. O Jorge Farias também rsrsrs (vide as últimas listas para TRT, TJE, etc, além de possíveis indicações para órgãos da administração indireta).
Não o conheço, mas pelo que ouvi falar "faria" melhor se ficasse em casa, já que não "fazia" nada na DRT. Desculpem seus defensores e o próprio Jorge, mas é a minha opinião (e de outras pessoas que já deixaram a DRT).
O Vigiador.

Lafayette disse...

Se quase fizeram isso com um Procurador Federal do Trabalho, imagine comigo, que quase nasci em Altamira! rsrsrsrsrsrs

É por essas e outras que o DVD e a Sky estão sorrindo à toa.

Um abraço meu caro Loris.

Bia disse...

Bom dia, Juca qurrido:

contraditando o segundo anônimo, o post fez muito sentido...rsrsrs...

Quanto ao Jorge Farias, não merece o comentário do prezado Vigiador. Como advogado, como militante dos direitos humanos que smpre é, Jorge tem créditos suficientes para a Secretaria.

Anônimo disse...

A grande verdade é que a Socorro Gomes indicou para a Secretaria o Luis Romano, esse sim é quem toco o dia a dia da instituição como burro de carga, se as coisas andam por aqui é graças a ele que conheçe a fundo. Infelismente no meio do processo eleitoral a governadora preferiu deixar um interino!

Anônimo disse...

Bia!
Como advogado e militante dos direitos humanos nada posso afirmar, por isso fiz referência expressa à DRT, onde posso afirmar peremptoriamente.
Aproveito a oportunidade para, longe de querer jogar confete, pois não faz meu estilo, de parabenizá-la pelos comentários que são realizado aqui no blog. Sempre pontuais, polidos e certeiros, exceção feita ao último das 7:27 rsrsr
Um beijo!
Abraços Juca!
O Vigiador.

Bia disse...

Boa noite, Juca querido.

Obrigada pela generosidade e um abração, Vigiador.

Anônimo disse...

Seriauma boa idéia sepensar em tecnicos ou politicos com militancia sobre direitos humanos.