30.3.09

Fim de Papo

O Consun da UFPA acaba de finalizar o escrutínio que embasará a lista tríplice enviada ao MEC. Carlos Maneschy recebeu 49 votos, Regina Feio 34, Ana Tancredi 3 e 1 voto para Ricardo Ishak.
Registradas ainda 2 abstenções e 1 falta.
Amanhã comentaremos.

13 comentários:

Anônimo disse...

Que bom, a sensatez venceu! Melhor para nossa UFPA. Bom trabalho e boa sorte ao novo reitor.

Anônimo disse...

e você que um dia, no não tem emenda, disse que a carreira politica de carlos maneschy estava sepultada !!!
e agora josé????

Fala para as viuvas e viuvos do teu Guru que passarão os próximos 4anos a Pão e água.........

Anônimo disse...

ARRUDA,

SERÁS DEVOLVIDO DE ONDE NÃO DEVIAS TER SAÍDO....SEU CHEFE JAMAIS BRINCARÁ COM A DEMOCRACIA !!!

ASSINADO: TRABALHADOR !!!!

Anônimo disse...

Apesar do CONSUN haver rasgado e esquecido toda a consulta (mais conhecida como "eleição para reitor") e ter votado novamente como se nada tivesse acontecido, prevaleceu a voz da comunidade acadêmica.

Juvencio de Arruda disse...

Das 8:16, vc tem toda razão, e sensatez tb.

Diógenes Brandão disse...

então não é fim de papo, há que diga que na Justiça, tal como na UEPA, ou vice e versa, as coisas podem mudar ou ficar como estão, depende dos bastidores.

Que nossas instituições possam viver um dia, um processo legitimamente democrático. Até lá é chute na canela, dedo no olho.

Tudo vale!?

Juvencio de Arruda disse...

Claro que há quem diga o que quer e outros reproduzem o que querem, Diógenes.
O problema, de falantes e reprodutores, e não poderem provar o que dizem e reproduzem.

Anônimo disse...

O que de fato votou o conselho: Fez uma nova eleição dentro da lei, peso 70% do voto docente, 15% aluno ou funcionário, ou simplesmente mandou dizer ao MEC que a lista vai voltar tal qual já tinha enviado e que o MEC goste ou não?

Juvencio de Arruda disse...

Das 8:15.
Dentre as 9.166 postagens do Quinta desde seu início, 28 tratam das eleições da UFPA ou mencionam Carlos Maneschy.
Em nenhuma está escrito ou insinuado que a careira de Maneschy estava sepultada.
Nenhuma!
Mentiroso e patife que não pode provar sua calúnia, bem no estilo da cabroeira.


-----

Idiota das 10:09, veja aqui quem disse que não queria continuar na UFPA depois da gestão Alex, recusando um convite de Maneschy, em 3 de jundo do ano pasado, para continuar na UFPA


Das 10:32, vc mente e amanhã provarei.

Bando de marginais e burros..rs

Anônimo disse...

Acredito que cabe uma correção no comentário de Diógenes Brandão. A eleição da UEPA foi parar na Justiça por diversos problemas que quase todos os candidatos apontavam. Posteriormente, o CONSUN decidiu anular a eleição com a descoberta de inúmeros problemas em sua execução. É importante ressaltar que os Conselheiros que anularam a eleição foram os mesmos que disseram que estava tudo certo. Ou seja, houve o reconhecimento de um erro. Acredito que isso fortalece a UEPA. Aceitar a eleição como estava, só iria enfraquecer ainda mais esta instituição.
Juvêncio, parabéns pelo blog.

Diógenes Brandão disse...

Esse conto matinal do das 08:36 é de doer. Amigo oculto, só os nécios são enganados e não sabíam que a escolha tendia a chapa que ficara em 2º lugar naquela eleição e que sinais de fumaça saíram da casa civil, a qual inclinara-se em 90º para a direção da mesma, sem nenhum segredo.

A decisão de ir à justiça não foi tomada por outra pessoa, se não pela chapa que via eminente o cenário prá lá de possível ao golpe.

E foi batata, assim que ingressou na justiça Silvio Gusmão e Albene, imediatamente conseguiu paralizar o processo em curso que inexoravelmente nomearia os preferidos pela caneta de Charles.

O Borba fez um bom trabalho e paralizou tudo, tirando a caneta da mão do executivo e ão houve outra saída para aqueles que viviam à pertubar a governadora em busca de sua benção, mesmo que fosse na marra e imoralmente.

Aí sim, outros processos entraram na justiça, no afã de fazer cena e demonstrar "razão" pro outro lado. Mas as alegações e provas contundentes da chapa eleita, derrubaram até os pareceres de defesa do Estado em manter a caneta na mão, insistentemente feita pelo Procurador do Estado, Sr. Ibraim Rocha.

Basta uma busca na web e veremos a verdade dos fatos estampada. Afinal pilantras de plantão fazem isso: aposta na parca memória do povo e na repetição de uma mentira para afirma-lá.

O novo CONSUN da UEPA que reformulou o resultado e encontrou "inúmeros problemas" foi forjado, alterado e comprado com cargos pela gestão biônica que jurou de pé junto, em alto e bom som que cumpriria apenas 120 dias de intervenção e agora não quer largar o osso, no caso, um com bastante carne e de 1ª pelo visto.

As eleições da UEPA marcaram a história de muita gente e não deixarem que a infâmia deixe isso se apagar.

É um compromisso com a verdade e com o respeito à democracia e aos processos eletivos dentro das instituições.

E tenho dito, se provocado, lanço mão dos detalhes aqui ou qualquer outro lugar, doa à quem doer.

Diógenes Brandão disse...

Se Carlos for quem deve sentar na mesa de frente pro Rio Guamá, desejo sorte, a mesma que não teve quem disputou sem a benção partidária, lá no visinho local.

Anônimo disse...

Diógenes, concordo com o que vc escreveu sobre as vontades da Governadora em relação à escolha do Reitor da UEPA vide a (incompetente) atuação da Procuradoria. Mas dizer que o CONSUN foi comprado com cargos? É uma conclusão simplista da coisa.
Apresente ao Ministério Público as provas que possui, não espere ser provocado.