24.3.09

Sem Tréguas

Se não conseguir levar a análise do pedido de CPI para a Comissão de Justiça da casa de Noca, os vereadores da oposição vão entrar na Justiça. A peça, da lavra do advogado Inocêncio Mártires, será distribuída para uma das varas da Fazenda Pública da capital.

----

O poster teve acesso ontem a íntegra do relatório do MPF - elaborado pela procuradora da República Ana Karízia - sobre as condições do PS do Umarizal, um libelo impressionante do descalabro a que chegou a corrupção desenfreada que manieta a capital. As imagens - há muitas fotos no documento - são piores do que um hospital de refugiados. A mesma Kombi leva roupas sujas e limpas na mesma viagem. O teto desaba, os arquivos são um amontoado de caixas abertas e rasgadas. As paredes infectas, infiltradas e emboloradas. É o mais perfeito exemplo da ausência da mais longíqua réstia de respeito, de sentido humanitário. É o horror.
O PS da 14 é uma história de monstros.
A cadeia é pouco, mas é o máximo que pode receber a organização que controla a saúde na capital.

7 comentários:

Anônimo disse...

E os nossos Vereadores, aqueles do mensalinho ainda não enxergaram como está a saude na Prefeitura de Belém, está faltando o nosso Oculista passar um colirio de pimenta malagueta para estes elementos ordinarissimos. A sorte desse Prefeito malversador de dinheiro publico é que é facil quando se tem dinheiro usar as mumunhas da lei para ficar as solta.

Anônimo disse...

Vão perder, adianto. Não pelo mérito, mas pela forma. Esqueceram de registrar elemente formal mundamental (período da CPI). O Judidiário não vai poder intervir, pelo tal interna corpuris.

Anônimo disse...

O período da cPI não está definido pelo regulamento da Cãmara? Por que então o pedido de CPI tem que repetir isso? A quem o anônimo duciomarista das 4:24 quer enganar?

Anônimo disse...

E ainda tem gente torcendo a favor do nosso bandido maior. É o fim da picada. Se tudo valesse na justiça o Oculista e sua turma já estariam vendo o sol quadrado.

Anônimo disse...

Juvêncio, trago o poema abaixo, que soe como um despertar para que façamos alguma coisa enquanto há tempo.Se não o fizermos, silenciaremos e seremos coniventes, sei que o 5ª faz sua parte, que ós leitores façamos o mesmo, cheguei a surtar hoje e recordei do " Rouba mas faz" hoje eles só roubam, não tem mais propin, tem o todo, ficam com tudo e não fazem nada. Descarados, açoitam nossa inteligência e consomem nossa disposição, cansam nosso dia com seus atos covardes que consomem vidas e vidas, todo o inferno é pouco para os que se apropriam do alheio.


NO CAMINHO, COM MAIAKÓWSKI
de Eduardo Alves Costa, Niterói, RJ, 1936



Tu sabes,
Conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.




Josué Cidade

Juvencio de Arruda disse...

Oi, Josué. Obrigado pela visita e colaboração.
Abs

Anônimo disse...

Certo dia, encontrei um sobrinho do Duciomal - o mentiroso que adquiriu a habilidade de mentir, mentir e mentir, e sua cara safadinha não tremer - que me disse que reformava escolas e postos de saúde, e que ainda sempre era assaltado nas obras do titio...
Outro sobrinho, dirigiu este mesmo PSM - o Mário Pinnot - e ajudou a encravar em nossas costas, caras e bocas esse caos, este cenário de - como diria o nefasto em sua campanha eleitoral - "Cenário de TERRA ARRASADA"
Certo dia, vi uma irmanzinha sua, dona Ana Claudia Costa, na Sesma, DAS como o diabo gosta...
Noutro, vi o ordinário mentiroso - possuidor de uma tal maleta de Israel - Comprar carros para a guarda municipal com nosso dinheirinho da saúde, e lembrem, demitiu tantos guardinhas nos primeiros dias deste ano.
O que fazer? Esse cidadão, que consultou até um oftalmologista, que agora, não me recordo o nome, e com a cara, sem nenhum sentimento, nenhum movimento facial, disse que: "nunca vi esse cidadão na minha frente." Reapareça doutor, oftalmo de verdade, nos ajude a relembrar a quem de direito da persona desse malandrinho.
Bem, como ia dizendo, o que fazer, para quem recorrer???
Com tantos delitos, com tantas malversações e maldades durante seu reinando, nada pega, nada o atinge. Desacredito da justiça? ou desacretdito do Ministério Público???
ou da vida, ou de Belém, ou dos belenenses???