31.5.09

As Páginas Começam a Virar

O blog parabeniza o juiz federal Rubens Rollo D'Oliveira, ao que saiba o primeiro juiz em toda a história da JF no Pará a manifestar, de público e nos autos, seu estranhamento ao que rola no TJ.
Rollo revelou o mesmo desconforto que é punjante, por exemplo, nos corredores do MPF contra o MPE paroara. Só falta um procurador da República vir à público e passar o rolo.

-----

Nesta semana, o CNJ sentou a pracuúba no Corregedor Geral do TJ amazonense. E o Conselho Nacional do Ministério Público fez o mesmo com o ex Procurador Geral de Justiça do mesmo estado. Os dois são especialistas em falcatruas com os recursos públicos, segundo os órgãos fiscalizadores.

----

CNJ e CNMP fecham o cerco.
Ótimo.

8 comentários:

Anônimo disse...

É por isso que o MPE diminui o envio de ações para o TJE, pois é tanto o acúmulo e ineficiência dos processos na corte, que desestimula o trabalho dos procuradores. Diminui a justiça e aumenta a impunidade. Ladroes de galinhas, de lata de leite, apodrecem nas imundas seccionais durante um, dois anos, aguardando sentenças. Enquanto um criminoso pedófilo ou banqueiro ladrão não passam 48 horas preso.

Juvencio de Arruda disse...

Sua indignação é procedente, mas a justificativa da inércia não.

Anônimo disse...

Exato. O MPE também investiga menos que o MPF e precisa nesse ponto alcançar o nível de ação institucional do irmão federal.
Agora um direito penal democrático e garantista ainda parece bem longe de ambos os MPs e a milhares de kilometros do TJE.

Anônimo disse...

No TCM o nepotismo é, também, cruzado, tendo como "parceiros" o Ministério Público junto ao tribunal, o MP estadual, a Assembléia Legislativa e o próprio TCE.
E os Conselheiros e Conselheiras vomitam aulas de moralidade...
Vem aí o Conselho Nacional dos Tribunais de Contas. Se o Lula não vetar, é claro.

Anônimo disse...

Das 5h08, garantismo no Brasil é sinônimo de impunidade. É o que já ocorre.

Anônimo disse...

todo mundo errado aí em cima:
1) a estrutura do MPF está a aos-luz do MPE que dias destes fez concurso público; os procuradores da república tem melhor estrutura de trabalho; mas é verdade que o MPE é omisso: santa casa, duciomar, saúde, ladroagem, etc, kits escolares, nenhuma ação nada;
2) garantismo não tem nada a ver com impunidade, pelo contrário, tem a ver justamente com os pobres que são presos e condenados, enquanto ricos estão à solta, praticando os mais sórdidos crimes, como este que abalou o Pará;
3) essa de dizer que os pocuradores do MPE estão desestimulados, é interessante - quando o foram operosos?

Anônimo disse...

A atuação da Justiça Federal e muito mais eficiente e independente funcionalmente do que o TJE. Consequentemente os Procuradores Federais, sem dúvida, tem muito mais recursos e incentivos do que os Promotores do MPE.Contando inclusive com o respaldo da polícia mais bem aparelhado do pais(PF).Isso com certeza é um fato. Mas o MPE não é tão omisso assim, possui açoes importantes em favor da saúde;da probidade; inclusive contra o Pres.Câmra Walter Arbage;contra o Duciomar, com pedido de prisão desse Prefeito;requisitou recentemente a preventiva do Sefer; moveu ação de improbidade contra a ex-presidente do TJE-Nazaré Brabo; também contra o ex-presidente do TCE Sebastião Santana,ajuizou demanda contra inúmeros secretários, dentre eles o hoje vereador Fernando Dourado; improbidade contra o ex-presidente do Detran Lívio Assis; contra vários magistrados do Pará;contra Diretor do Renato Chaves e muitas outras. O problema é que o Judiciário Paraense é useiro e vezeiro em passar a mão na cabeça dos ímprobos e malfeitores. E a imprensa não acompanha e nem cobra quase nada do judiciário paroara.E uma pena!

Anônimo disse...

Garantismo é papo furado de advogado. Ajoelhou tem que rezar.Não tem esse papo porque é pobre a justiça tem que fechar os olhos.