6.6.08

Baloneiros

Na mesma hora em que o prefeito falsário soltava balões coloridos na Praça da República ontem, em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a secretária da pasta, Sílvia Santos, em entrevista à Radio UNAMA, referindo-se a derrubada de árvores da Av. Pedro Álvares Cabral, disse à repórter: "o que você chama de derrubada, eu classifico como supressão de vegetação com compensação. As árvores sacrificadas serão substituídas por outras que serão plantadas em outros locais."
A imagem do falsário, sorridente, está na capa da edição de hoje do último reduto midiático do nacional, o jornal que fraudou o IVC.

8 comentários:

Anônimo disse...

Juvêncio, também na mesma manhã que o Duciomar fazia festa soltando balões, o TRE o condenava, já pela quarta vez este ano, por propaganda ilegal, uso da máquina administrativa para fazer campanha política. Ele e o Priante estão na dianteira para ver quem será o campeão de irregularidades nesta eleição. Valha-nos quem?
Mas, o Liberal nunca viu, nem soube desta história.

Um abraço

Anônimo disse...

O mais engraçado é que os balões estavam cheios de sementes. Dentro em breve os leitos das ruas de Belém estarão cheios de mudinhas de árvores.

Poster disse...

Juca,
Vamos anotar esta "supressão de compensação de vegetação".
É o "duciomarês" que surge no pedaço. Um novo idioma, amigo.
Abs.
PB

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia, Grande PB.
Depois do tucanês, o duciomarês, exatamente a pegada do leitor Alcyr Lima, que em mail ao blog mandou a notícia.
Novas linguagens para o cinismo de sempre.
Abs

Anônimo disse...

A secretária Silvia Santos nada mais disse além do que entende, pois é formada em Arquitetura, se não me falha a memória.
Fica assim esclarecido o ponto de vista, mas não o motivo de mante-la em cargo da área ambiental, de que pouco ou nada entende, como prova com a declaração e como estão cansados de saber os servidores da SEMMA.

Anônimo disse...

Soltar balões é uma prática muito anti-ecológica. Que contradição!

Anônimo disse...

Foi bem bonita a cerimônia de lançar um milhão de sementes. Mas não entendi direito: se foram lançadas a partir de Belém, ou cairão em área urbana ou na água, vai ser difícil elas "acharem" solo de praça ou de quintal, ou afim, pare germinarem.

Desses um milhão, talvez poucas virem árvores, não?

Anônimo disse...

Valeu, Juvêncio, estou atento aos discursos e aos "neologismos" de araque!
a) Alcyr Lima