6.6.08

A Caserna das Loucas

No blog Página Crítica.

A prisão do sargento do Exército que assumiu corajosamente na revista Época desta semana sua relação homoafetiva com outro integrante da Força revela como o conservadorismo hipócrita sentou praça nesta instituição da República.Punindo o militar herege, sacrificado em uma espécie de auto de fé em nome da suposta pureza moral da corporação, o Exército também sinaliza para a existência de dois pesos e duas medidas quanto o assunto é disciplina e hierarquia. Ou não merecia uma punição exemplar e imediata o general Augusto Heleno, comandante militar da Amazônia, por afrontar seguidas vezes e com amplíssima cobertura da mídia o decreto presidencial de homologação da reserva Raposa/Serra do Sol, em Roraima?Para o general, panos quentes. Para a raia miúda, a mão pesada do Código Militar. Assim, o Brasil vai entrando no terceiro milênio arrastando a pesada crosta da intolerância e da violência sistemática contra os diferentes

21 comentários:

Anônimo disse...

caro blogueiro nãos ei sua preferência sexual, mas militar baitola é o fim da picada. A| caserna é lugar de homens e não de bichas.

Juvencio de Arruda disse...

Caro anônimo, a orientação sexual - a minha, a sua, ou de qualquer pessoa - não está em questão. E a cserna, como se vê, não é exatamente o que vc acha.

Anônimo disse...

Os caras têm livre arbítrio, como determina a bíblia para fazer da vida que Deus lhes concedeu para fazerem o que quiser, mas as conseqüências são inerentes ao seus atos. Eles podem ser o que quiser, mas precisam expor a instituição e a própria vida deles daquela forma? Estão pagando o preço. Ou eles não sabiam desde que nasceram que as forças armadas são instituições ultraconservadoras?

Anônimo disse...

Os gays precisam entender que é natural que lutem por respeito, mas também é natural existirem pessoas que não aceitam a opção deles como normal. Essa história de querer que todo mundo entenda e tenha tolerância em ver homens com homens e mulheres com mulheres é muita utopia.

Juvencio de Arruda disse...

A instituições também pagam o preço. Ou vc acha que elas devem ser ultraconservadores ad eternun?

Juvencio de Arruda disse...

Claro que é natural que existam pessoas que não aceitem a opção da homosexualidade como normal, embora seja normal.
E vc tem razão: a tolerância é uma eterna busca. No meio do caminho ficam os, digamos, Carmonas da vida.
Vida que segue.

Anônimo disse...

O Carmona, assim padres pedófilos, pais de santo charlatães, espíritas pilantras, monges briguentos e tantos outros falsos religiosos, existem em todas as religiões, caro Juvêncio. O que não se pode, é querer e forçar, a sociedade a pensar que todo mundo vai achar que é natural ser gay. Há um grande número de pessoas que pensam e vão continuar pensando que o natural é ser homem e mulher (macho e fêmea). O que não significa que os gays devem ser desrespeitados. Eu trabalho e tenho amigos gays, mas continuo acredito que a criação natural é o homem e a mulher e que essa situação de mudança, troca de sexo não agrada a Deus, que criou a todos nós. Mas, nem por isso, sou intolerante com os gays. Os trato até melhor do que muitas pessoas que juram que apoiam a causa GLBT.
É preciso que compreender que não são leis que vão mudar o pensamento das pessoas.
Um bom-dia pra você Juvêncio. Sucesso no seu blog, que é muito bom. é preciso espaços democráticos com este na sociedade.
Apesar de saber que você é agnóstico, desejo muitas bênçãos de Deus para sua vida.

Juvencio de Arruda disse...

Ok, das 10:18. Acho que a gente deve viver como pensa, pensando sempre pra frente.
E tenha certeza que mesmo agn�stico sou capaz de identificar e me sensibilizar com as ben�os que vc envia, e que, fraternalmente, retribuo.
Obrigado pelos elogios, que divido com comentaristas como vc, que tamb�m ensinam e contribuem com a discuss�o.
Bom dia pra vc!

Bruno Monteiro disse...

Exército: Em que pese a falaciosa disciplina e hierarquia militar, não podemos perder de vista que o Exército Brasileiro é, antes de mais nada, uma instituição do Estado, e como tal, jamais deve promover ou admitir o preconceito ou a discriminação em qualquer de suas nocivas formas. A postura do Exécito foi absurdamente axcessiva e discriminatória.
Pessoa: tem pessoas que se dizem politicamente corretamentas por não hostilizarem homossexuais, mas se escandalizam ao ver cenas de homossexuais em novela. Vamos parar com a intolerância e com a hipocrisia. O Amor e o Ser são assexuados!

Bruno Monteiro.

Anônimo disse...

Os anônimos donos da natureza precisam saber que natural é tudo aquilo que existe na natureza que eles acreditam comandar e que na natureza - que eles felizmente não comandam - existe, como dizia o Edwaldo Martins, de "um tudo". Que suas crenças religiosas afirmem o contrário, isso também é natural, porque é da essência das religiões criarem dogmas para serem seguidos por seus fiéis. Graças a esses dogmas, a Terra era achatada, e o centro do universo, gente foi queimada em fogueiras em nome de um Deus de ódio, e ainda existe gente, no terceiro milênio depois da vinda do Cristo que dá o nome às religiões cristãs, que acha poder determinar o que é natural e o que não é, como Hitler, querendo eliminar aqueles que não se enquadrem em seus princípios. Engraçado é que esses "cristãos" são incapazes de prestar atenção aos ensinamentos daquele que dizem seguir. Como eles acreditam na existência do céu e do inferno, acho que sabem que, agindo assim, estão pavimentando seu caminho para o inferno, não é? Esses "cristãos" que pelo menos tenham o trabalho de olhar em seu redor e ver que o mundo, felizmente, é feito de diversidade e que, por mais que se tente, o pensamento tacanho não prevalece. E procurem pensar no simplérrimo ensinamento de Cristo deles: "atire a primeira pedra...".
Essas pessoas espalham o ódio e vão à igreja!

Anônimo disse...

Gente, vamos baixar a bola. O sargento foi preso porque sumiu do quartel, sem apresentar qualquer justificativa, e quando reapareceu queria que fosse aceito como justificativa atestados de médicos particulares. Ora, o Exército mantém hospitais e tem um corpo médico extremamente competente, e só aceita um laudo médico oficial para estes casos, ainda mais num caso estranho como este, pois durante a ausência do quartel o sargento doentinho saiu dando (epa!) entrevistas na televisão, aparentando ótima saúde.
Assim os atestados não foram aceitos, ele está sendo acusado de desertor, o que efetivamente é, e não de ser boiola, o que também é, mas não vem ao caso.

Anônimo disse...

O problema não é estarem no Exército e serem gays. Muitos dos colegas e superiores deles na corporação já deviam ter conhecimento disso. A prisão decorre do fato de terem assumido publicamente. O problema da sociedade brasileira é que todo mundo está preocupado demais com a vida dos outros. O problema é que "os outros" são gays, baitolos, viados, o que quer que seja. E não o fato de se ter várias mulheres, abusar de meninas adolescentes, mentir e enganar a família. Isso, no Brasil é coisa de macho. Quanta hipocrisia.

Anônimo disse...

um gay entrou no ônibus com uma carteira de meia passagem emprestada por um amigo.
O cobrador disse : quer que eu acredite que essa carteira é tua?
O gay disse: e tu quer que eu acredite que esse ônibus é teu?

Anônimo disse...

Ô Juvêncio,
é necessário lembrar que é de conhecimento público que o tal Decreto de Homologação se baseou em Laudo Antropológico FALSO. Comparar alhos com bugalhos não contribui e nada e só demonstra uma antipatia gratuita. Outra, há jornalistas que já noticiaram a transferência do General Heleno.

Fernando Bernardo

Bruno Monteiro disse...

Concordo com tudo o que disse o das 10:52 AM. Abaixo a intolerância, o preconceito e a discriminação!

Bruno monteiro disse...

Muito infeliz o comentário das 09:27AM. Essa chacota e intorelância deve ser sinal de enrrustimento (pelo menos é o que dizia Karl Rogers - Pai da Psicologia Centrada no Paciente).

Anônimo disse...

Eu penso que esse papo de dizer que o natural é ter apenas dois sexos é coisa de quem não conhece a história da humanidade. Se é natural existir dois sexos apenas, o que dizer de toda a homoafetividade existente em povos antigos, como o grego e o romano? E o que dizer de homossexuais nos povos pré-colombianos? Isso sim é natural, três sexos.
Quanto ao exército, infelizmente eles estão certos. O exército brasileiro é uma instituição de um país pacífico, mas não devemos nos esquecer que foi criada para atuar em tempos de guerra e apesar de ter caido em desuso, os militares sempre disseram que homossexuais e mulheres levam desvantagem em combate, por causa da questão sexual. É que nem na Ig. Católica. Quem não aceita os seus dogmas e frequenta as missas, está na religião errada. Os militares em questão deveriam ter pedido baixa, feito concurso pro BB e ai sim, tentar virar cidadãos comuns. Contar sua história à uma revista não é levantar bandeira, apenas uma tentativa frustrada de auto-afirmação sexual.

Anonymo, o S do GLS

Anônimo disse...

Esse general foi o mesmo que num seminário na FAEPA disse aos fazendeiros que é legítimo pegar em armas para lutar contra os invasores de terras.

Diógenes Brandão disse...

sobre o milico em questão, só tenho a dizer isso...http://diogenesbrandao.blogspot.com/2008/05/rapoza-no-galinheiro.html

Anônimo disse...

Anônimo das 11:10h, não precisava ser general do exército para dizer isto, se você não sabe, fique sabendo que o Código Civil e o Código Penal dão o direito do justo desforço (inclusive de pegar em armas) para defender suas terras de invasores e de bandidos.

Anônimo disse...

Quanta ignorância! Quem somos nós para dizer o que é ou não natural neste mundo???? O homossexualismo é amplo no reino animal, e, caso tenham esquecido, também somos animais. E não venham com essa de que somos racionais porque essa de racionalidade não tem nada a ver com escolhas afetivas. A corporação mostrou o quanto é refratária e ditadora de costumes. Qual a importância daquilo que as pessoas fazem na cama???????? Se trabalham com dignidade, cumprem suas funções, não importa se são bis, tris, penta ou heptassexuais. É um absurdo! Eu não sou Gay, e confesso que olho com reservas a quem é, por defeito de minha formação. Mas jamais deixaria de contratar um profissional competente para trabalhar em meu escritório só porque ele dorme com outro homem. Acho que tudo isso é recalque da corporação!