3.11.08

Castelo em Novo Endereço

No blog do Cjk, o destino do marginal Paulo Castelo Branco.

O prefeito reeeleito de Belém vai sentir uma perda importante na sua futura administração. Já transitou em julgado na Justiça Federal a ação penal em que seu maior amigo foi condenado a pena de prisão em regime fechado, por carregar a maleta dos outros em público.

8 comentários:

Anônimo disse...

E a Valéria perdeu a eleição porque é rica e foi apelidada pelo PT, de Barbie.

Juvencio de Arruda disse...

Óhhhh...

Anônimo disse...

Juvêncio, desculpe a chatice de voltar ao assunto, mas a legislação brasileira é clara: político só pode fazer propaganda (usar veículos de comunicação de massas, a saber: rádio, jornal e outdoor) nos períodos "previstos", ou seja, três meses antes do pleito, seguindo-se as normativas em vigor no momento. Não há, no Brasil, mídia à disposição de políticos fora do tempo previsto em lei. Gostaria, assim, que alguém me explicasse como pode Valéria, Vic, Duciomar, Jader... fazerem propaganda sem que nenhum juiz indaque algo simples: quem está pagando, como está pagando, de onde saiu esse dinheiro (fundo partidário, doação de terceiros)... O crime fica impune. E a gente comprando jornal e tendo que deparar com essas peças de puro horror.

Juvencio de Arruda disse...

Das 1:57, volte quantas vezes desejar. E não se esqueça que tem os programas e inserções semestrais dos partidos, outra janela permitida pela lei.

Anônimo disse...

Pois, Juvêncio... Mas o horário é PARTIDÀRIO. A Lei amarra, mas ninguém obedece. A Lei diz que o horário partidário deve ser usado para expor "programas, doutrinas e propostas" das agremiações partidárias. Assim sendo, ainda nesse momento é vedada a aparição de políticos fazendo proselitismo pessoal, como agradecer pelos votos que obteve - que significa, em ultima instância, desprezar os votos que não teve, o que não cabe, por exemplo, em um prefeito eleito, que não governa para aqueles que votaram nele, mas para a cidade inteira. Fechado o resultado das eleições, eu e você não somos eleitores de ninguém. Esse ato encerra-se com o voto. Após, somos cidadãos, com direitos iguais e, portanto, não me cabe, como cidadão de Belém, ver o prefeito eleito da cidade dirigir-se a um grupo de cidadadãos, discriminando os que nele não votaram. É ilegal, sim, esse uso e o outro. Ocorre que no Brasil a Lei não é para ser obedecida. Ela é, no máximo, uma orientação geral de conduta.

Anônimo disse...

O Thales martins ambientalíssimo seu genro vai levar sua generosa comida todos os dias.

Anônimo disse...

Caro Juva seria mera coincidência o sobre nome do amigo do Nefasto Uftaumo ser o mesmo do atual Chefe da Casa Civil da Exma . Esclareça-nos please.

Anônimo disse...

Ao anônonimo das 4:29 .Quem vai fazer a manutenção semafórica de BLM então ?