5.3.09

Candidato

Aquecem as eleições na OAB Pará. Ontem à noite, Jarbas Vasconcelos confirmou que vai disputar a presidência da entidade.

10 comentários:

Anônimo disse...

Juca,
Eu não conheço esse pessoal - advogados - e portanto gostaria de ler aqui os comentários de quem os conhece. Esse Jarbas é da mesma turma do Ofir, da Ângela, enfim, do grupinho Liberal-Assembléia Paraense, que marcha na contramão da valente OAB nacional?

Anônimo disse...

Meus Caros:
Agora clareia o futuro da OAB-Pa. com o estabelecimento das candidaturas contrárias ao atual estado de coisas, que impera desde a implantação do tucanato no Governo do Estado do Pará. A pretensão do filho do ex-Consultor Geral do Estado a seguir os passos do pai na presidência do Conselho Federal da OAB, deve ser pedregosa, árida e sem muita certeza de resultados, quer aqui nas suas "bases", quer na conformação do novo Conselho Federal. A sua base está rachada com a defecção de Duda Klautau, vice-presidente de Ângela Salles. A situação deve ter mais defecções e enfraquecer-se no interior do Estado. Finalmente a oposição tem chances reais de atingir seus objetivos e os advogados do Pará, pelo menos, ter mais orgulho da hombridade de sua OAB.

Mauricio disse...

Acredito que a provável candidatura de Jarbas Vasconcelos, permitirá que a mesma atue com mais firmeza diante das violaçoes aos direitos humanos e socioambientais em nosso Estado, pois é reconhecido o compromisso de Jarbas.

El Cid disse...

Caro Professor,

Que bom que esse Jarbas Vasconcelos, fosse o mesmo valente e ítegro senador pernambucano...

Anônimo disse...

O Jarbas Vasconcelos tem a seu favor o fato de que sua trajetória na advocacia tem sido a de um advogado militante, que trabalhou e continua vivendo unicamente da advocacia, fato que o identifica com 99% por cento dos advogados e advogadas paraenses.Essa identidade é importantíssima, pois sem essa identidade por parte de quem ocupa a direção da OAB-PA,a defesa das prerrogativas da advocacia no exercício profissional vira exceção ou é exercida com timidez sob o véu de fumaça(defende-se toda a sociedade e o advogado que a sustenta a entidade, fica chupando o dedo), como de fato tem ocorrido nos últimos três mandatos na entidade.
Ele, vencendo, vai vencer a eleição de novembro próximo.Todavia, vai ter muito trabalho pela frente para sanear a entidade, a começar por fazer uma radiografia séria através de uma auditoria externa e independente da situação dos empregados na entidade que regra geral tem sempre algum parentesco ou relação íntima com gente da presente e anterior direção da OAB-PA, CAAP,CLUBE DOS ADVOGADOS. A tal da Cooperativa dos Advogados,então, está totalmente desvirtuada emprestando dinheiro para a OAB emprestar para empregados da OAB-PA. Por sinal, o presidente da Cooperativa da entidade é também presidente do Clube dos Advogados e da Caixa de Assistência dos Advogados(CAAP)e também está defensor defensor público.Digo que está defensor público, pois considero que aquele que foi tornado efetivo no cargo(obra do tucanato) sem concurso público não merece ser denominado pela dignidade do cargo. Essa situação de TRI-PRESIDENTE é única no país. Tem mais um detalhe, o tri-presidente não foi eleito para os referidos cargos, no máximo ele como de costume prepara a ata da "eleição" e pede para os incautos assinarem.

Anônimo disse...

Jarbas Vasconcelos, que nada - exatamente nada - tem a ver com aquele probo senador que denunciou a corrupção em seu próprio partido, é íntimo de Ana Júlia. Tanto que a fez rasgar a constituição do estado ao indicar desavergonhadamente o seu amigo (de Jarbas) Daniel Levareda para o cargo de conselheiro do TCM, sem que fosse auditor efetivo daquele tribunal.
Que compromisso com a justiça e com a sua classe esse cidadão pode ter?

Anônimo disse...

Encaro com grande entusiasmo a candidatura de Jarbas Vasconcelos, este que é um dos advogados cuja trajetória tem sido reconhecida tanto no Estado quanto fora dele, pela coerência e militância ancoradas em valores tão importantes para o Estado Democrático de Direito.Isto é o que importa.Quanto àqueles que jogam a pedra, mas não têm a coragem e a honradez de mostrar a cara, não merecem crédito nem o respeito dos advogados e advogadas que labutam diuturnamente para assegurar vida digna para si e seus familiares neste Estado continental.
Os advogados paraenses têm o direito de optar por mudanças qualitativas na direção da OAB-Pa, pois quem fica parado é estátua e quem anda pra traz é caranguejo.
O advogado e advogada paraenses não engolem mais o chavismo que tem presidido durante mais de 12 anos à seccional, cujos resultados só cabem em fotos e bolsos publicitários, mas não cabem na realidade.

Anônimo disse...

Cumprimento Jarbas Vasconcelos pela pré-candidatura à presidência da OAB-PA, que traz grandes esperanças para a classe advocatícia da qual faço parte.Sou advogada, casada e mãe de dois filhos, que rala todo dia para assegurar uma vida digna e honesta.Há dez 9 anos me tornei advogada e o único "direito" que a "minha"entidade me tem oferecido ao longo desses quase dez anos é o de remeter todo ano ou todo mês o boleto do pagamento da anuidade.Quanto ao resto,NADA, ABSOLUTAMENTE NADA ME OFERECEU.NEM DEFESAS DAS PRERROGATIVAS NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO.Aliás, defesas das prerrogativas do advogado tem sido um pingo de água no oceano ou privilégios de poucos da panelinha.

Anônimo disse...

Parabéns. Pois,é a mais pura verdade que a defesa das prerrogativas dos advogados tem sido um pingo de água no oceano tanto perante autoridades judicias quanto diante de autoridades administrativas(delegacias etc).Até as Associações de Magistrados defendem mais e melhor as prerrogativas de seus integrantes, quando violadas.Do jeito que as coisas andam, os advogados vão ter que recorrer ao próprio Judiciário para terem suas prerrogativas profissionais respeitadas.

Anônimo disse...

É lamentável e também é verdade o fato de que uma gestão que perdeu sua capacidade de defender séria e celeremente as prerrogativas profissionais de seus membros não merece permanecer dirigindo a entidade.Chega de faz de conta, chega de imobilismo.