5.3.09

O Réquiem da Justiça

No blog de Luis Nassif, sob o título acima.

Essa vergonhosa ação do Supremo e do CNJ, sob o comando do Gilmar Mendes, está desmontando o sistema judiciário brasileiro.
Antes, havia abusos de 1a Instância sim, uma certa compulsão para prender, condenar. Essa tendência tinha que ser moderada, mas por alguém que prezasse a Justiça. Não é o caso de Gilmar.
Sua atuação - através do STF e do CNJ - está desmantelando toda a estrutura da Justiça criminal. Espalhou o medo entre os juízes, deflagrou brigas intestinas nos tribunais, passou para a opinião pública a sensação de que a Justiça usa dois pesos nos seus julgamentos, sempre a favor dos poderosos.
Os juízes de 1a Instância não conseguem mais trabalhar. Primeiro, pela sobrecarga de pedidos de informação por parte do CNJ. Depois, pelo receio de errar. Qualquer decisão errada, ou não confirmada em outras instâncias, sujeitará o magistrado a punições. Passou-se dos 8 aos 80. Comprometeu-se radicalmente o processo penal.
O CNJ define, agora, que deve haver prioridade para processos envolvendo ocupação de terras - justamente no momento em que as fazendas de Daniel Dantas são ocupadas. Toda manifestação de Gilmar tem, na outra ponta, o interesse de Dantas. É muita coincidência, típica dos despreocupados com a imagem do poder que representa.
Neste exato momento, o processo do Banco Santos está paralisado. O processo de Dantas, no caso Kroll, está até hoje sem sentença. O caso UBS (União de Bancos Suiços) começou a ser investigado aqui, parte das investigações foi aproveitada pelos Estados Unidos. Lá, houve condenações, multas, acordos para abrir os dados de operações de lavagem de dinheiro. Por aqui, nada.
Esses episódios, que envergonham o país e, especialmente, o sistema judicial, não mereceram uma observação sequer de Gilmar ou do CNJ. Ele é despudoramente a favor dos influentes, vergonhosamente a favor dos direitos dos criminosos de colarinho branco.
Todos seus atos visam defender direitos individuais dos criminosos de alta estirpe e forçar condenações de réus sem influência política. A troco de quê essa prioridade para invasões de terra? A Justiça tem se manifestado, condenado invasores, sem a necessidade dessa pressão de cima.Está se impondo uma ditadura no Judiciário. Em pouco tempo, graças a Gilmar, o Judiciário passará o Legislativo, como poder mais odiado pelos brasileiros.

7 comentários:

Anônimo disse...

o mandato de Gilmar Mendes irá até quando? Até quando!

Juvencio de Arruda disse...

O mandato termina bem ali, mas suas nádegas continuarão sentadas na mais alta Corte por mais 17 anos.
Isto se um prego não atravessá-las antes.

Vladimir Araujo disse...

Collor foi ótimo para reforçar a democracia brasileira pela contramão, nem pro Gilmar alcancar tanto mérito também...
Nós precisamos de um poder judiciário sério e respeitável!

Prof. Alan disse...

Juvêncio, Mano Velho, enquanto isso o processo do Sobrancelhudo dormita em algum escaninho do STF.

E o Sobrancelhudo aprontando, sob os olhares complacentes do STF, CNJ, Gilmar Dantas e todo o resto da escumalha!

Digo (para honrar a casa...), da cabroeira ordinária...

Juvencio de Arruda disse...

Profesor, a casa, honrada, agradece.

Prof. Alan disse...

Falar em Gilmar Dantas, o blog do Josias destaca que ele ligou pra Ana Júlia e passou o be-a-bá pra ela!

Tudo por conta das fazendas invadidas do Daniel Dantas...

Emociona ver a imparcialidade do presidente do STF!

Anônimo disse...

Professor Alan o sobrancelhudo não é pobre nem preto nem puta, por isso, não será condenado.