4.3.09

O Silêncio Continua

Pelo terceiro dia consecutivo, hoje com o concurso do chargista J.Bosco, o blog Espaço Aberto tenta abrir a caixa preta dos kits escolares do governo do Pará.
A Secom saiu fora da parada e não vai assinar nota oficial nenhuma, pelo menos por enquanto. Sabe-se, entretanto, que a secretaria não concordou com a operação, que teria sido lastreada em parecer elaborado pelo Consultor Geral do Estado, Carlos Botelho.
Para bom entendedor, este lastro embute o aval pessoal da governadora à operação.
O secretário de Comunicação, Fábio Castro, que retornou segunda, 2, de uma mini temporada de dez dias de férias, já viajou sabendo que a operação estava sendo bombardeada na Rádio Extorsão FM, digo Rauland FM, no programa do notório radialista Jefferson Lima. Num só dia, foram mais de dez menções ao caso da compra dos kits escolares, segundo monitoramento do serviço terceirizado de rádio escuta do governo.
Ontem, em reunião no Palácio dos Despachos, cuidava-se da confecção de uma nota que seria enviada à imprensa e aos blogs, elaborada pela Seduc e pela Auditoria Geral do Estado.
Mas até agora nada.

8 comentários:

Anônimo disse...

Caro amigo.
Veja o que este FDP do Mianardi escreveu em seu artigo sobre cidades paraenses esta semana:

VEJA
Edição 2102
4 de março de 2009

Diogo Mainardi
Quatipuru, quem?
"A internet é como uma cidadezinha no interior
do Pará, assolada por parasitas que proliferam
nessas zonas insalubres do Terceiro Mundo"
PCdoB tem um blogueiro. O nome dele é Ananindeua Borges. Ananindeua Borges ou Quatipuru Borges? Agora estou meio embananado. Só sei que ele tem o nome de uma cidade no interior do Pará. Abaetetuba Borges. Paragominas Borges.
Ulianópolis Borges apresenta-se como membro do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil. É como se alguém se apresentasse como membro do Terceiro Reich do Brasil. Na última semana, ele me citou em seu blog. O texto contaminou a internet, como um parasita transmissor de esquistossomose.
Parauapebas Borges disse o seguinte:
Karen Kupfer, da revista de fofocas Quem, publicou há poucos dias uma notinha reveladora: "Para comemorar o sucesso do programa Saia Justa, Suzana Villas Boas abriu sua casa para uma festança daquelas. A turma de convidados, que também era recebida por Arnaldo Jabor, marido de Suzana, reuniu políticos, artistas e jornalistas. O candidato José Serra, para quem Suzana presta assessoria, foi prestigiá-la".
E Parauapebas Borges concluiu acidamente:
O filhinho de papai Diogo Mainardi criou no início do mandato de Lula o seu tribunal macartista mainardiano, no qual promoveu abjeta cruzada contra alguns profissionais da imprensa. Será que o difamador travestido de jornalista fará barulho agora contra seus amiguinhos da TV Globo que gozam das intimidades demo-tucanas?
Itaituba Borges é jornalista. Sua principal fonte de informação: a revista Quem. Mais precisamente: um número da revista Quem de meados de 2002. A notinha, que, segundo ele, foi publicada "há poucos dias", na verdade é de sete anos atrás. De lá para cá, Suzana Villas Boas saiu do Saia Justa e da assessoria de José Serra. Ela também já se separou de Arnaldo Jabor. Arnaldo Jabor deve ter se casado umas sete vezes desde aquela festa.
Se Mocajuba Borges fosse menos parasitário e consultasse o arquivo de Veja.com, descobriria que o colunista que mais avacalhei em minha coluna (e também no Manhattan Connection) foi o próprio Arnaldo Jabor, condenado reiteradamente pelo tribunal macarthista mainardiano.
Depois de comentar a notinha de Quem, Oriximiná Borges comentou uma notinha de Hildegard Angel. O blogueiro do PCdoB é assim: só abre o jornal para ler a coluna social. Sorry, periferia, mas Oriximiná Borges é o Ibrahim Sued do maoísmo, o Bola Branca da Revolução Cultural. De acordo com ele, além de denunciar Arnaldo Jabor, eu deveria denunciar também Miriam Leitão, cujo cunhado é irmão de Edmar Moreira, deputado do DEM. Miriam Leitão é a melhor colunista de economia do país, mas, se Curralinho Borges fosse menos parasitário e consultasse o arquivo de Veja.com, leria o que escrevi sobre o ex-marido dela, Marcelo Netto, antigo assessor de imprensa de Antonio Palocci. Bujaru Borges poderia verificar igualmente o que escrevi sobre o filho dela.
A internet é como uma cidadezinha no interior do Pará, assolada por parasitas que proliferam nessas zonas insalubres do Terceiro Mundo. Quer um conselho? Cuidado com a água parada. Quer outro conselho? Use botas de borracha.

Resposta ao provocador Mainardi no blog http://altamiroborges.blogspot.com/
Diogo Mainardi, colunista da Veja e comentarista da TV Globo, parece que ficou irritadinho com uma postagem deste blog. Na revista estadunidense de maior circulação no Brasil, ele atacou esta página – omitido meu nome e sem dar o endereço deste blog, talvez para evitar que seus leitores leiam opiniões antagônicas as suas. Aproveitou-se de um erro de informação – que teve origem numa notícia que circulou amplamente na internet, inclusive com fotos da festança que reuniu o tucano José Serra e o colunista Arnaldo Jabor. Reconheço o erro e peço desculpas aos leitores. Não padeço da doentia vaidade do provocador global, um hitlerzinho egocêntrico.

O erro, porém, não nega as relações íntimas entre o presidenciável tucano e as “estrelas” globais. A data pode ter sido trocada, mas as relações de vassalagem só aumentaram. Arnaldo Jabor ficou ainda mais rancoroso nos seus comentários na TV Globo, tornando-se um ícone da direita nativa. Miriam Leitão, tida pelo provocador como “a melhor colunista de economia do país”, expressa as idéias neoliberais mais anacrônicas, bancadas pelos demos e rentistas. Em síntese, o erro de informação não anula a essência das críticas às posições fascistóides de Mainardi. Ele até tentou posar de jornalista “neutro”, que critica os seus cupinchas da direita midiática. Puro engodo!

A reação de Mainardi evidencia que a blogosfera incomoda os serviçais da mídia hegemônica – a Folha, que recentemente qualificou a ditadura brasileira de “ditabranda”, também está sentindo a sua força. “A internet é como uma cidadezinha no interior do Pará, assolada por parasitas que proliferam nessas zonas insalubres do Terceiro Mundo”, esbraveja este elitista, na sua linguagem tipicamente preconceituosa. A sua ira, porém, não mete medo. Mainardi é um pitbul desdentado, que late, mas não morde. Não retiro uma palavra que já disse sobre este “difamador travestido de jornalista”. Para reforçá-las, reproduzo artigo de minha autoria publicado em vários sítios em novembro de 2006:


Flávio Sacramento

Juvencio de Arruda disse...

ahahaha...esse Mainardi não se manca mesmo. Mas é um mestre na porrada, hein Dom Flavio?
Foi bem o Parauapebas Borges...eheh
Apareça por aqui!
Abs

Anônimo disse...

Essa foi de lascar mestre Juva.
Esta devendo uma visita ao Pebinha de açucar.
Abs.
Flávio Sacramento

Anônimo disse...

Esse artigo do Mainardi, muito, mas muito possivelmente, é uma resposta a outro, assinado pelo Chico Cavalcante (ou Borges, como sacaneia Maianardi). No texto enviado por e-mail, o publicitário paraense detona o comentarista Arnaldo Jabor, que seria um apaixonado tucano. Segundo Mainardi, a notícia é velha e é ridículo o ultrapassado discurso socialista do Chiquinho Ananindeua, ops, Chiquinho Santarém, ops, Chiquinho São Luís, ops, Chiquinho Borges Cavalcante. Enfim, como queiram! Diego Mainardi deve usar o artifício dos nomes e do partido fantasia para evitar processos. PS: Não sou fã do Mainardi, mas ele acertou em cheio nessa! Pena ter metido o Pará no meio dessa baixaria.
DD

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

azar do Mainardi por não conhecer Altamiro Borges. Eu sou sua leitora contumaz. E, mais recentemente, eu o invejo como crítico da mídia imbecil, tipo a que Mainardi faz e coonesta.

Mas, serviu, pelo menos para o Mainardi aprender o nome de cidades paraenses. De grátis, porque o Altamiro, apesar do nome, se não me engano, é paulista.

Beijão.

adelaide disse...

nossa, eu não sabia dessa história.os nomes criados, inventados,batizados, ou sei lá o que, parecem que saíram de um romance e do bom humor do haroldo maranhão neh?
haja criatividade!!rsrsrs

Ana Lucia Prado disse...

Ah!! Tem horas q o Maianardi me enfada.

Anônimo disse...

A pergunta que não quer calar: quem pagou essa conta astronômioca? Quem recebeu essa dinheirama toda? Por que não foi feita licitação? O dinheiro veio donde, do Estado ou Federal? Qual a quantidade de material já feito? Qual a quantidade de material pra ser entregue?
Com a palavra o Goevrno do Estado, ou através da Secretaria de Comunicação ou mesmo por quem pagou.

Ia esquecendo: por que o Governo Ana Júlia está demorando tanto a responder questões que deveriam - eu deveriam , se ter respostas na ponta da língua?