6.3.09

Kits Escolares: o Governo Fala

A Seduc emitiu ontem à noite uma Nota Oficial a respeito do caso dos kits escolares. Segue:

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) esclarece que, a campanha promocional de volta às aulas é uma ação do programa “Pará, Minha Terra, Minha Escola, Minha Paz”. Este visa divulgar e mobilizar a comunidade escolar para a execução da política de Educação Básica do Estado do Pará, lançada em dezembro de 2008, que traz como um princípio fundamental a educação como direito universal básico, bem social público e como condição de emancipação humana.
A aquisição de kit é parte da ação promocional acima referida por meio da qual a Seduc divulga e reafirma os compromissos do Governo Popular com uma educação democrática e de qualidade.
1. Os kits estão sendo entregues a cerca de um milhão de alunos da rede pública estadual, que abrange todos os matriculados nas escolas públicas estaduais e conveniadas, as escolas indígenas, os jovens cumprindo medidas sócio-educativas de internação em unidades da Funcap – por meio do convênio Seduc/Funcap -, as escolas do campo e jovens e adultos do Pará Alfabetizado, projeto Educação para a Liberdade – convênio Seduc/Susipe - para atender os jovens e adultos que estão privados de liberdade.
2. A confecção das camisas escolares está ocorrendo por meio dos Conselhos Escolares por meio de convênios firmados com os mesmos, de acordo com a legislação vigente, portanto, obrigados a prestar contas ao término da ação.
3. Exceção, no caso das camisas, é a manufatura de 100 mil delas, serviço contratado a uma cooperativa de jovens oriundos do Programa Bolsa Trabalho. Essas 100 mil camisas serão distribuídas aos alunos matriculados em escolas que não possuam Conselho Escolar ou em que este esteja inadimplente, seja com a Seduc, seja com o Ministério da Educação.
4. A ação referente ao restante do kit está sendo executada por meio de cinco das oito agências de publicidade licitadas para prestar serviços ao Governo do Pará, pois trata-se de uma ação de promoção.
5. A Secretaria de Educação solicitou, após aprovação da campanha, que fosse garantido requisitos básicos:
a. Apresentação de menor preço;
b. Capacidade de produção no prazo solicitado;
c. Qualidade e garantia dos materiais e sua durabilidade no uso diário.
6. O Custo da ação apresentado pelas agências licitadas totaliza R$ 27.800.000,00. Tendo em vista que esta atenderá 1.000.000 de alunos temos um custo por aluno de R$ 27,80, um investimento pequeno diante da notória aceitação do material que visa elevar a auto estima dos estudantes e resgatar a qualidade do ensino público com dignidade.
7. Reafirmamos que a campanha Pará, Minha Terra, Minha Escola, Minha Paz terá continuidade.
Esta Secretaria reafirma seu compromisso de gestão pública ilibada e ratifica a lisura e a transparência do processo, colocando-se à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais.


----

No blog Espaço Aberto, as críticas à nota da Seduc. Como o Quinta antecipou, a Secom não se posicionou. Por enquanto.

35 comentários:

Prof. Alan disse...

Juvencio, Mano Velho, a Ana Julia tem que ficar mais esperta: por muito menos cassaram o Lago e o Cunha Lima (vulgo filhote de pistoleiro...).

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

A nota parece indicar uma trapaça, daquelas que se fazia na infância, quando havia testes (pequenos labirintos) para ajudar o rato encontrar o queijo. Às vezes, ia-se do fim para o começo. Ia-se do queijo para o rato. Na brincadeira, o caminho ficava certo, ainda que descumprindo a regra. Aqui nem isso.

Teria feito melhor o governo, tal qual Davi, não ter dado ouvidos ao "Parla" de Michelangelo, no caso, em especial, o Espaço do Paulo. O silencio da falcatrua dizia melhor do que a nota. Assumia um erro sem tentar impingir-nos uma seriedade que jamais existiu. Mais um ponto para a arrogãncia e impertinência que grassa no governo democrático do Pará.

Santo Ambrósio sequer merece um apelo para este caso.

Beijão.

PS: o democrático ali de cima não é ironnia. Democracia também é isso.

Anônimo disse...

Leram bem?
R$ 27 milhões é quando vai custar a tal campanha.
Pode a Seduc dizer o que quizer, mas que isso tem cara de campanha eleitoral, isso tem.
Sabem como esse material está sendo entregue aos alunos?
Como "um presente da tia Ana".
Os professores são instruídos a dar essa informação aos alunos, orientados a reproduzir em casa que foi a "tia Ana" quem mandou o pacote de bondade escolar, ou "bolsa do estudante" - ou qualqwer coisa do gênero demagogo.
Depois eu conto mais detalhes desse discurso populista, eleitoreiro, safado e ilegal que está sendo ditado nas escolas.

Anônimo disse...

Ao invés de ficarem dando quinquilharias aos estudantes, modelo inclusive usado pela ditadura militar, acaba indo de encontro aos velhos princípios politicos do PT, de que os trabalhadores e trabalhadas teriam de ter empregos e salarios dignos para proverem as necessidades de suas famílias.
A governadora poderia pegar essa grana e melhorar a infra-estrutura das escolas, que é uma vergonha, basta observar as escolas de Belém que estão caraquentas, sucateadas. Ela diz que reformou mais de 600, mas não é o que se observa, por exemplo, lá no jurunas, guáma, terra-firme, condor, cremação e até nas maiores escolas do centro da capital. Poderia também reforçar a melhoria dos vergonhosos salários dos professores, que pra variar ainda não tiveram reajuste, apesar de estar vigorando o novo e irrisório piso mínimo nacional.

Barroso disse...

Publique-se a ata de apuração da licitação. Cooperativas também participam de licitação.

Anônimo disse...

Bem que a governadora poderia contratar mais uns dois médicos peritos, lá no IASEP/PAS da Primeiro de Dezembro, pois tá um sufoco pra conseguir liberar procedimentos de exames com apenas dois médicos que atuam nesse instituto. O tempo de espera passa de uma hora.

Maroca disse...

As críticas do Espaço Aberto estão excessivas e confusas.

Vamos aos fatos. Se os kits custaram R$ 30 milhões, essa grana não foi toda em agenda, não é? Tem os uniformes (que nao parece ter problemas) e as mochilas (idem).

Pela cobertura do caso, feita pelo PB, o problema está no que gráfica imprimiu, ou seja, agendas!

Ele deve apurar melhor isso aí.

Não confunda a gente, Paulo!

Anônimo disse...

Era melhor ter ficado calado. Passarram quase uma semana procurando uma saída. E encontraram a pior delas.
Realmente um escândalo. Confessam literalmente a contratação de quase 30 milhões de reais sem licitação. Não seria esse o valor de todo o orçamento de comunicação do Governo do Estado para um período de um ano?
E agora Ana Júlia?

Anônimo disse...

Meu Deus do Céu...
Não acredito no que acabei de ler.

Anônimo disse...

Ei, Maroca, por favor, leia direito o que foi reportado sobre o assunto. Foi o próprio governo quem disse que gastou quase 30 milhões de reais com agenda e mochila. E que as camisas estãos sendo confeccionadas através dos Conselhos Escolares. Tá lá na nota ofical que eles divulgaram ontem à noite.
A pergunta que não quer calar é: por que não fizeram licitação públcia e pagaram essa grava toda através de ag~enmcia de publcidade?

Anônimo disse...

A política de educação do governo está incomodando muita gente, basta ver a qualificação dos professores, os incentivos para os jovens e adultos estudarem, os programas de ingresso ao mercado de trabalho, a reforma das escolas esquecidas pelo governo da Bia, os kits escolares, os computadores, a inclusão digital do Navega Pará etc etc e etc O que tinha sido feito antes???

Bia disse...

Boa noite, Juca querido:

Boa noite, anônimo das 6:46:

só um reparo. O "governo da Bia" é uma tola provocação sua. Ele era seu e meu, gostasse você ou não. Como esse que está aí. E que eu não gosto. Simples assim. Por isso é democrático, apesar de irresponsãvel.

Abração.

Beijão, Juca.

Anônimo disse...

Para todas que estão fazendo a diferença ao contrario de muitos, e principalmente para Ana Julia Governadora...
Mulher...

Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas
Para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha o mundo com sua coragem
Que traz paixão no olhar
Mulher,
Que luta pelos seus ideais,
Que dá a vida pela sua família
Mulher
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço
Mulher,
Que chora e que ri
Mulher que sonha...


Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas,
Cheias de mistérios e encanto!
Mulheres que deveriam ser lembradas,
amadas, admiradas todos os dias...

Para você, Mulher tão especial...

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Anônimo disse...

juva,isso nao vai dar em nada,haja vista,que ja compraram os deputados estaduais da base aliada do governo,o alessandro novelino estava distribuindo esses kit´s em ponta de pedras, como se ele tivesse beneficiando a populaçao.tudo com o nosso suado dinheiro,esta tudo filmado e comprovado.

Anônimo disse...

Anonimo das 6:46, vc deve ser um dos agraciados de receber em casa sem trabalhar como recompensa pelos trabalhos alturisticos prestado ao PT. Ninguem está condenando os tais kits e sim como foram adquiridos. Não é o pessoal do PT que usa a seriedade em tudo. Vcs quando eram oposição bradavam aos sete ventos a moralidade e agora como justificam estas jogadas?

Anônimo disse...

esses valores que estao anunciando,é so aponta do ice berg que vem por ai,a bila que se cuide,porque o negocio gira em torno de oitenta milhoes,e ela nao sabe da missa a metade.

Anônimo disse...

E o que a auditoria geral do Estado fez? E o escandalo Hangar? vamos ficar todos de braços cruzados? apenas chorando nossas lamentações nos blogs? É apenas catarse? Ah não... acredito no poder dos blogs, como o canal de informação mais legítimo na atualidade, nem se compara ao podre "poder" das mídias tradicionais e pré-históricas. Ei Juca... vai nos dando mais informações por que se o caso hangar não ferveu ainda... este vergonhoso caso dos KITS tem que EXPLODIR SIM!

Anônimo disse...

Juva, quer dizer que seguindo esse raciocinio de ação promocional, no próximo carnaval a Castilho compra os preservativos e os remédios para tartamento de DST/AIDS? interessante. Fábio Castro, te manca, deixa de ser menino, tá pensando que a gente é idiota? levaram todos esses dias esquentando as notas, montado a versão maquiando e depois aparecem com essa desculpa esfarrapa? a verba de comunicação do governo chega mais ou menos a 3,5 milhoes mensais é isso? quer dizer que já gastaram toda com essa ação? não vai mais ter mídia do Governo até o final do ano? tá na hora do MP investigar ( Delirio meu essa do MP investigar, mas tudo bem!) as agências de propaganda que estão se transformando em verdadeiras lavanderias.Chega a dar nojo esse cinismo desse povo. Ação promocional? HA HA HA HA HA faça me rir. O máximo que as agências poderiam ter feito era ter criado a arte para as agendas, sugerindo cores para o uniforme algo que o valha, menos comprar as agendas via agência. Acho que vocês esqueceram que o menor caminho entre dois pontos e uma reta, porque não fizeram a licitação pelo menor preço, tendo como critério a arte criada pelas agências e as determinações técnicas do tipo: Agenda medindo X por X cor vermeha com o rosto da governadora estampado na capa, sorrindo com cara de boazinha, favor realçar os dias 13 de cada mês com a cor vermelha que consequentemente é o numero da governadora pro governo, favor usar também a mensagem subliminar a seguir.. não era mais fácil assim? Secretaria de Comuniçaõ rsrsrs bando de menino.

Anônimo disse...

Acho correto o questionamento. Mas acho mais correto que se faça a denúncia no local correto, que são o MPE e outros. Que os órgãos de fiscalização fiscalizem. Se o Governo estiver errado, punição. Se estiver certo, louvação.

O problema é que o Espaço Aberto, infelizmente o Quinta, e meia dúzia de comentaristas já julgaram, antes de uma investigação mais cuidadosa de quem tem legitimidade para investigar. E condenaram, inapelavelmente.

Saindo da questão legal, se deveria haver licitação ou não e se houve ou não, de acordo com a lei, entra-se na crítica política de alguns.

Dizem que é demagogia, campanha, "tia Ana" e outras considerações, inclusive comparando com a ditadura militar. Eu estudei na ditadura em escola pública. Nunca recebi agenda, nem caderno, nem uniforme, nem merenda (tinha que levar a cebola ou a banana de casa, prá tia fazer a sopa ou a salada).

Se os estudantes carentes hoje recebem material é por conta do avanço da Democracia e pelo uso correto do dinheiro público, onde deve realmente ser utilizado: como elemento de distribuição de renda e não concentração.

Bom, mas com certeza este blog não é frequentado por quem vive de salário mínimo (isso não é uma provocação, é uma constatação), porque se fosse, teríamos os depoimentos aqui de quem recebeu uma agenda como essa para o seu filho. Aí poderíamos ver se como política pública estava certo ou não.

Juvencio de Arruda disse...

O Quinta não julgou nada, apenas comenta fatos. E posta a opinião de que é contra e a favor das medidas.
Acho que a licitação deveria ter sido realizada, e estou de acordo com o do alcance social da medida, o que já expus na caixinha de comentários de outros posts referente ao assunto.

Anônimo disse...

Os Kits são bem vindos. Alíás, todo mimo é bem vindo. A pergunta que não quer calar é: Diante da crise, da escassez de recursos será que essa seria a prioridade? Ou isso é uma demonstração de que esse governo não tem planejamento, não tem foco na gestão? Os indicadores educacionais pioraram neste governo. Estamos entre os 10 Estados com os piores indicadores no ensino médio. No ensino fundamental não é diferente. A rede estadual tem indicadores no IDEB piores do que a maioria das redes de ensino municípais paraenses. Os índices de analfabetismo está entre os piores. Só ganha praticamente de alguns estados do nordeste. O Pará tem municípios com analfabetismo em torno de 50%. As escolas estão com a infraestrutura degradada. A maioria não foi feita manutenção nesses dois anos e dois meses. Algumas escolas quando chove o diretor tem que dispensar os alunos porque alaga. às vezes pelo telhado e por enxurrada. Outras o sistema elétrico precisa de reparos. E assim vai. Os professores do sistema modular de ensino em algumas comunidades tem que pedir para morar na casa de um aluno porque não foi providenciado sequer aluguel de casa para os professores. Às vezes as aulas são ministradas em baixo de árvores porque não tem sala de aula. Quando chove não tem aula.
Tudo indica que mesmo que as licitações tivessem sido corretas, que as compras das agendas tivessem sido feitas no Pará e gerado empregos aquí, talvez esse não seria o uso mais adequado dessa dinheirama. Trinta milhões não é pouco dinheiro para um estado pobre como o nosso. Dá para construir e equipar um hospital regional de médio porte.
Quando a nota fala em entrega do material em tempo hábil é porque faltou planejamento para desenvolcver a ação. O tempo entre a decisão e a necessidade do produto era curto. Na maioria dos municípios do interior os kits não foram entregues. Talvez em alguns nem chegue esse ano. Já vai precisar de uma agenda 2010. Ou não? Isso é verdadeiramente um derrespeito com o uso do dinheiro do contribuinte. Isso é gastar mal o dinheiro público. Isso chama-se incompetência.

Anônimo disse...

"Estamos entre os 10 Estados com os piores indicadores no ensino médio". Esse é um dos resultados das gestões tucanas. Aliás, o que eles fizeram mesmo pela educação para que chegasse neste ponto? E o que foi feito em dois anos??? Quem se habilita a responder???

Anônimo disse...

Maroca escreveu: "as críticas do Espaço Aberto estão excessivas e confusas. Vamos aos fatos. Se os kits custaram R$ 30 milhões, essa grana não foi toda em agenda, não é? Tem os uniformes (que nao parece ter problemas) e as mochilas (idem). Pela cobertura do caso, feita pelo PB, o problema está no que gráfica imprimiu, ou seja, agendas! Ele deve apurar melhor isso aí. Não confunda a gente, Paulo!".

Maroca, também me chamo Paulo e me sinto, por isso, à vontade para responder. Em primeiro lugar o problema não é a gráfica. Nem a mochila. Nem a agenda. Nem os uniformes. O problema é a agência de publicidade, Double M, que foi contratada SEM LICITAÇÃO (o contrato que ela possui com a Secom não prevê compra de material escolar) para sub-contratar as demais empresas. Se a Seduc tivesse feito licitação específica (modelo Pregão, inclusive) para cada um desses itens, estaria tudo resolvido. Mas ALGUÉM olhou para os 20% de comissão que a agência receberia pelo serviço e achou que era uma boa idéia passar a mão na bunda da Lei. Tem gente aqui nesse espaço querendo diminuir o tamanho da encrenca insolúvel em que ALGUÉM meteu o governo e a secretária de educação. Não tem solução isso. A compra tem que ser cancelada e os pagamentos feitos até aqui, de cerca de 10 milhões, devem retornar aos cofres públicos. Ao invés de dar marcha ré, esse governo de estúpidos segue em frente. Vai dar de cara em uma parede de concreto. A pergunta que não quer calar é a seguinte: QUEM AUTORIZOU TAMANHA ESTUPIDEZ? Foi Ana Júlia? Foi Bila, a secretária, sozinha da silva? Foi José Raimundo, o secretário de Fazenda? Foi QUEM? Porque ninguém move 30 milhões sem fazer barulho. A nota da Seduc piora tudo.

Anônimo disse...

Anônimo dasd 9:16, ninguém aqui está JULGANDO. Se for a julgamento a Ana Júlia perde o mandato. Estamos aqui lendo os fatos. Um contrato de 30 milhões de reais (maior que a verba total de publicidade do governo e metade do dinheiro envolvido no escândalo do "mensalão") está sendo executado por uma única agência de publicidade. Isso joga, assim sem qualquer esforço, 6 milhões nos bolsos desses caras. Não são 6 mil reais. São 6 milhões. Numa única tacada, com um serviço em que agência não fez nada a não ser telefonar para os prestadores de serviço "escolhidos". Será que eles vão ficar com esse dinheiro todo. Duvido? O que está em questão aqui não é a compra de material escolar. O governo tem que fazer isso e várias prefeituras do Pará já o fazem. O que se está questionando aqui é o desvio de conduta, a burla de contrato, as evidências de bandalheira. E o que nós queremos saber é QUEM MANDOU FAZER ISSO? Se foi Fábio ou Bila, quem ESQUENTOU essa decisão, já que eles não poderiam tomá-la sozinhos. A nota da seduc é risível. Desculpa de amarelão para comer barro.

Anônimo disse...

POR QUE SERÁ QUE NINGUÉM RESPONDE??? Cadê os críticos de plantão? Só sabem falar mal para ganhar algum lá na frente ou será que falam por que já ganharam alguns lá atrás? Que a Justiça decida se o "kit" foi legal ou não, mas garanto que a população está achando muito legal. Acho que, se houve algum rombo ou engano, não deve chegar perto do episódio "Almir Gabriel" e dos problemas R$$$$$ que ficaram na construção da Estação... E o que foi feito (ou deixou de ser) para que a situação chegasse nesse ponto???:

"Estamos entre os 10 Estados com os piores indicadores no ensino médio". Esse é um dos resultados das gestões tucanas. Aliás, o que eles fizeram mesmo pela educação para que chegasse neste ponto? E o que foi feito em dois anos??? Quem se habilita a responder???

CADÊ AS RESPOSTAS DOS ENTENDIDOS DE PLANTÃO?????????

Bia disse...

Boa tarde, Juca querido:

o anônimo da 1:33 reproduz um argumento recorrente toda vez que o atual governo é pego com a boca na botija, Ás vezes esse argumento reflete ingenuidade, outras mau caráter. Acho que o caso deste é o primeiro.

Na sua - dele - linha de raciocínio, compete ao Tribunal de Contas também julgar as administrações anteriores e a atual, daí que seu esbravejar perde folego. Mas, ainda na sua - dele - linha de pensamento, o atual governo foi mesmo eleito para roubar menos, trambicar menos e transgredir menos do que os anteriores? essa é a meta?

Quanto ao povo estar feliz, não discuto isso. O povo pede sempre muito pouco e o mínimo que chega a ele parece dádiva dos céus. Durante muito tempo o povo de São Paulo também ficava feliz com Paulo Maluf e suas avenidas superfaturadas. Ele foi o precursor do "rouba mas faz", lembra?

Tá legal, anônimo. Fica combinado. Vamos acompanhar o placar pra ver se essa turma desempata. Contra ou a favor, fica a seu critério.

Beijão, Juca.

Anônimo disse...

Estamos vendo mais um caso de desvio de recursos públicos para campanha, idêntico ao caso Marcus Valério, lembram?
Quanto aos procedimentos legais,

O Decreto Estadual nº 967 de14 de maio de 2008 determina o seguinte:

Art. 1° O presente Decreto altera a redação do art. 4°, do Decreto n° 2.069, de 20 de fevereiro de 2006, e de seu § 1°, que passam a vigorar com a seguinte redação:
“Art. 4° Na aquisição de bens e serviços comuns no âmbito da Administração Direta e Indireta, deverá ser utilizada obrigatoriamente a modalidade licitatória de pregão eletrônico.
§ 1° Excepcionalmente, quando o pregão eletrônico se revelar inadequado à contratação pretendida, o dirigente máximo do órgão ou entidade poderá, em decisão fundamentada, cuja cópia deverá ser remetida a Auditoria-Geral do Estado, autorizar a contratação por outra modalidade de licitação”.
Art. 2° A Auditoria-Geral do Estado, dentro de suas atribuições, acompanhará o cumprimento das determinações contidas neste Decreto, podendo propor ao Chefe do Poder Executivo a suspensão de procedimentos licitatórios instaurados em desacordo com a disciplina estabelecida neste ato normativo.
Assim assinou a governadora Ana Júlia na mesma data e entrou em vigor 45 dias depois.


Complementando o fato transcrevo dos anais do 16º Congresso Nacional do Ministério Público em Belo Horizonte, onde foram apontadas as licitações de publicidade como o maior foco de irregularidades e desvio de dinheiro.
Conforme tese aprovada no evento por unanimidade, de autoria dos promotores do Paraná Renato Castro e Leila Voltarelli, a forma como são feitas as licitações confere às agências uma espécie de “carta branca”, já que a contratação é feita com objetivos “genéricos e indefinidos”.
De acordo com os promotores, as agências são contratadas por licitação pelo período de um ano, podendo os contratos serem renovados até por mais quatro anos. O reajuste não pode passar de 25% do valor original. A distorção está nisso, já que as agência são contratadas de forma “genérica” — não há campanhas definidas. Castro disse à “Folha de S. Paulo” que o correto é licitação para cada campanha que for veiculada pelo poder público, até para facilitar a fiscalização pelos Ministérios Públicos e Tribunais de Contas.

Assim foi feito a licitação para as agências como se pode comprovar no Edital de Concorrência publicado no site do governo.
Portanto comprar bens comuns através das agências de propaganda não passa de uma forma de burlar a licitação, prática nefasta e vergonhosa que deve ser firmemente combatida pelo MP e a Auditoria Geral do Estado.
No caso do governo do Pará, que é réu confesso, a ação pública contra estes agentes públicos é urgente.

Anônimo disse...

Ninguém está criticando os KITS porque em outros Estados distribuir KITS é uma prática comum que agrega a qualquer governo. Estamos questionando aqui a forma que foi feita , alguém já disse acima, ou o governo não sabe que é planejamento e gestão ou então a contratção foi feita de forma dolosa e isso precisa ser apurado, quanto aos KITS propriamente dito acho que é uma forma de envolver o alunado sim, embora che que uma boa sala de aula com professores bem remunerados e politicas pedagógicas bem definidas sejam suficientes, acredito que a Merenda Escolar teria uma importância até maior do que os Kits tendo em vista que em muitos lares falta o que comer. Agora contratar a Double M pra viabilizar a coisa foi o fim da picada. Particularmente acho que a Gvernadora é muito mal assessorada e passível desses acontecimentos que ajudam a denegrir sua imagem, ou ela coloca o povo pra trabalhar e apura quem tem culpa nisso ou ela vai pagar um preço muito alto por tudo isso. O certo é que com certeza forças obscuras e interesses excussos levaram a esse desdobramento, vamos apurar as responsabilidades, mas que alguém tá levando podem ter certeza que sim, alguém levou uma ponta.

Anônimo disse...

Estamos todos a perder nosso tempo, nesta terra de direitos se tal irreguaridade fosse corretamente apurada alguma coisa estava errada então viva a Tia Ana e sua terra de direito.

Anônimo disse...

Ok, Juvêncio. Vamos acompanhar o placar. Mas alguém já respondeu o que o governo anterior fez pela educação, cultura, segurança??? Está tão difícil assim responder. Ass: anônimo das 1:33

Bia disse...

Salve, Juca querido:

Boa tarde, anônimo 1:33:

A dúvida e o desconhecimento podem ser sanados nas prestações de contas aprovadas dos governos anteriores. As metas deste - várias não cumpridas - também podem ser checadas no site da SEPOF (orçamento anual e PPA, revisto).


Abração.

Beijão, Juca querido.

Anônimo disse...

O pessoal do Governo do PT em cada nota ou entrevista dá um novo valor para os tais kits honestidade. Pelo andar das carruagens a Tia Ana dirá que não houve licitação porque tudo foi doação. É muito cara de pau deste pessoal do atual PT.

Anônimo disse...

A Bia fala, fala, fala e não responde. Por sinal, ninguém soube responder o que o governo anterior fez pelo povo, pela educação, pela habitação etc. Quais as políticas do governo anterior e o resultado delas... É dificil citar o que foi feito pela educação, saúde, segurança pública e tudo mais. Muitas metas deste governo ainda não foram cumpridas, mas ainda poderão ser. E o que nunca foi feito, como será resolvido... Não será e o resultado está aí... a insegurança pública nao se faz em dois anos... Já vimos também o resultado com o rombo deixado nos cofres públicos. Rombos visíveis e invisíveis porque o acervo de fotos e matérias, por exemplo, evaporou junto com o dinheiro gasto para produzir o material (para quem não sabe, o governo anterior acabou com a memória do Estado); o superfaturamento de muitas obras favoreceu a quem... ao Pará é que não foi... Posso citar outros exemplos, mas vou acabar me alongando. Concordo plenamente com o anônimo: quem cala, consente.

Anônimo disse...

Ao anonimo das 11:o9 Tudo bem se osgovernos anteriores foram safados, não trabalharam, todos corruptos, tudo bem, mas o PT tambem ser trambiqueiro e fazer a mesma coisa do outros não está certo. Vcs já estão a 2 anos no poder com apoio de todos os escalões superiores e até aqui nada de serviço ou moralidade.

Anônimo disse...

Anônimo das 1:46, leia o balsnço dos dois anos e veja o que foi feito. Depois compare os números com os 12 anos. Sobre moralidade, a Justiça decide, como ainda está pendente o rombo deixado pelo governo anterior. Com fatos não se discute. Mas afinal, alguém vai falar sobre o que o governo anterior fez pela educação, saúde e segurança, por exemplo...