19.2.09

Juízo, Tribunal

O Tribunal de Ética e Disciplina da OAB se reúne hoje no final da tarde. O affair Hamilton Gualberto, que publicou o nome completo da menor que acusa Sefer de pedofilia vai entrar na berlinda.
O blog espera, sinceramente, que o Tribunal se exima de reprisar o procedimento vergonhoso com que tratou a agressão covarde de Ronaldo Maiorana à Lucio Flavio, um episódio que dividiu a Ordem e provocou estragos até hoje não reparados.

11 comentários:

Anônimo disse...

Olá Juvêncio
Na época, como foi o procedimento com o caso Ronaldo Maiorana e Lúcio Flávio?

Anônimo disse...

Depois de apurado, se der uma advertência por escrito eu duvido. Vamos ver.Acredito que na OAB não vai dar em nada, porém, se fosse um advogado desconhecido da diretoria da OAB, com certeza, esse pobre desconhecido estava ferrado.

João Carlos

Juvencio de Arruda disse...

Das 9:07, leia aqui:

http://quintaemenda.blogspot.com/2009/01/o-julgado-de-ex.html

Anônimo disse...

Esse pessoal da OAB-PA deslustra a atuação da nacional. São apenas de frequentar a AP, as colunas sociais e bajular os poderosos. Não farão nada.

Anônimo disse...

A OAB, assim como o MP, há muito tempo virou casa de politicagem e se presta a fazer tucanagens, como foi no caso do Lúcio. Não acredito que aconteça alguma coisa ao advogado colunista. Só gostaria que o Sindicato dos Jornalistas mandasse um representante para acompanhar o caso, pois trata-se de falha grave do autor da matéria e do jornal, que aceita seus trabalhos gratuitos.

Anônimo disse...

Ok, ok ok, mas o cara só publicou o nome completo ... querem pena de morte?!

Anônimo disse...

Ele cometeu um crime como o Chico Ferreira e o Luiz Araujo. Ele é tão criminoso quanto os Nardoni. CRIME é CRIME. Como castigo poderia ficar na mesma cadeia ouvindo as mentiras do WANZELER, conhecido como OFÉLIA.Seria o mínimo.

Juvencio de Arruda disse...

12:17 e 1:26, declaro-os empatados.

Anônimo disse...

Em 0x0.

Fernando Bernardo

Anônimo disse...

No episódio do LFP, mais vergonhosa que a OAB, só mesmo o Sinjor, que apoiou a agressão e queimou-se irremediavelmente.

Anônimo disse...

Para quem já cometeu homicídio, impunemente, uma advertência pela desfaçatez e desrespeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente já seria alguma coisa. Mas que o jornal é cúmplice, lá isso é.