16.12.08

Começou Mal

O poster conversou com várias fontes, da Assembléia Legislativa e fora dela, sobre o pronunciamento do deputado Luis Seffer ( DEM ) ontem, no Plenário da AL.
Resumo da ópera: um amontoado de contradições e omissões.
Disse que não havia processo, mas há uma investigação formalmente aberta.
Disse que tinha sido chantageado e não provou.
Disse ao deputado João Salame ( PPS ) que tinha gravado a suposta tentativa de extorsão, depois desmentiu e, por fim admitiu, em Plenário que tem a tal gravação.
Apelando para fatores subjetivos, como a dor de sua própria família, não os estendeu para os familiares da suposta vítima, que preferiu tratar por adolescente, mesmo sabendo que se trata de uma criança.
Ao pedir o apoio da Assembléia, lembrou Collor: "Não me deixem só."
Seffer não convenceu os colegas, nem ficou convencido pelas manifestações de solidariedade recebidas. Sabe que elas fazem parte do jogo de cena. Em off, alguns vazam detalhes das denúncias.
As críticas à imprensa e aos blogs, de Seffer e outros menos votados, devem ser lidas como manifestação do pavor que certos parlamentares tem aos holofotes, quando não voluntáriamente por eles procurados, pessoalmente ou por suas assessorias de imprensa. É uma maneira oblíqua de se mostrarem sinceros com os jornalistas, a quem odeiam com todas as forças de seus sobressaltados corações. Há exceções.
Quando desceu da da tribuna, questionado pela jornalista Franssinete Florenzano, Seffer disse que já havia dito tudo. Há controvérsias.
O caso vai continuar se desdobrando e novos personagens poderão surgir, talvez próximos da cena do suposto crime.

-----

Esta é uma avaliação presente, em maior ou menor grau, nos blogs que cobrem o assunto. Um entendimento diferente do exposto acima, porém, pode ser lido aqui.
-----

A Comisão de Direitos Humanos da AL vai se reunir com o juiz da Vara da Infância, Dr. José Maria Teixeira do Rosário. A reunião será realizada hoje, às 12h.

-----

No site de Claudio Humberto, hoje.

Pedofilia: deputado jura inocência
O deputado Luiz Afonso Sefer (DEM) fez um discurso de duas horas, ontem, na Assembléia do Pará, jurando ser inocente da acusação de pedofilia. A corporação se manifestou: ele foi aparteado por todas as bancadas. É a palavra dele contra a da menina, que, hoje aos 12 anos, o acusa de molestá-la desde os 10. Criava a menina como filha e acha que ela se vinga de suas exigências para melhoria do desempenho escolar.


Tutela do Estado
A garotinha que acusa o deputado Luiz Afonso Sefer de pedofilia está em local ignorado, sob a proteção da Promotoria da Infância e Adolescência.


Prejulgamento
Luiz Afonso Sefer pediu ao deputado Vic Pires Franco (PA), presidente do DEM-PA para não o prejulgar. Franco ameaça expulsá-lo do partido.


----

Vic tem linha direta com Claudio Humberto. Diretíssima.

----

A governdora Ana Julia continua sendo uma mulher de sorte. Bateu na trave.

10 comentários:

Anônimo disse...

Sem me ater ao mérito. gostaria de fazer algumas considerações sobre o caso Sefer:
O deputado Luiz Afonso Sefer sempre foi arrogante e desrespeitoso com o trabalho de jornalistas. Achava-se intocável por ter o amigo certo no lugar certo. Orgulhoso de sua amizade com o poderoso dono do jornal acreditava que nunca, jamais, seria alvo de qualquer notícia negativa e propagava isso aos quatro cantos, especialmente na presença de repórteres. Saber aquele “sei que isso não vai sair” que os repórteres tinham que engolir em seco? Pois é.
Agora, ironicamente o deputado Luiz Sefer passa por uma gravíssima crise de imagem. Culpado ou inocente terá que se defender não apenas perante a justiça, mas perante a opinião pública. E já começou mal (como bem diz o título deste post) afinal culpar a imprensa é o recurso mais usado por aqueles que não têm bons argumentos de defesa. Felizmente para sociedade e infelizmente para o deputado, ele não conseguiu calar os blogs e muito menos conseguirá calar as colunas e agências nacionais. Terá que lidar com a imprensa de maneira correta, respondendo aos questionamentos publicamente, sem acertos de bastidores regados a uísque.
Minhas sugestões ao deputado: se for inocente, contrate um bom advogado e também um bom jornalista gerenciador de crise. Seja menos arrogante, forneça o máximo de informações sobre o caso, dê o nome de quem o chantageou, etc, etc. E se for culpado? Aí é comprar uns bons livros para ler na prisão.

Bia disse...

Bom dia, de novo,

discordo sobre a sorte da Governadora. Sorte temos nós dela ser péssima atacante, centro-avante e "batedora", se quisermos falar de baseboll...rsrsrs... Ao que parece do seu post antigo, ela chutou mas a trave é que andou. Por ela, o gol teria saído.

Beijão.

Anônimo disse...

Juca,
não estou percebendo a manifestação dos movimentos sociais... Isso é triste, porque é exatamente quando momentos que precisamos mais deles...
Acorda OAB, SPDDH, CNBB... !!!!!!!

Bia disse...

Boa tarde, Juca querido:

o comentário do anônimo das 10:18 é daqueles que eu gostaria muito de ter assinado.


Beijão, Juca.

Juvencio de Arruda disse...

Das 10:02, vc quis dizer, queridona. Então tá subscrito por vc.
Bjão.

Bia disse...

Obrigada, querido.

Beijão.

Anônimo disse...

Não acho que ele seja inocente. Mas não acho que ele vá ser declarado culpado num tribunal, se é que vai haver um. Basta uma busca pelos casos de pedófilos acusados por crianças, os desgraçados dos advogados que os defendem quase sempre conseguem a desqualificação do depoimento da coitadinha. Para um caso assim terminar em condenação, é que nem filme, alguém do círculo dele falaria sobre o assunto. Já se perguntou à mulher do Seffer se ela havia desconfiado de alguma coisa? Ele tem filhos? E filhas? O que a governanta da casa viu? Existe consulta ao médico? Fez-se exame ginecológico nela? Será que o Delegado do inquérito será honesto? E os investigadores? São muitas perguntas com resposta na ponta da língua, mas que ser humano significa não perder as esperanças em um futuro melhor.

Alessandro de Melo

Anônimo disse...

Ainda bem que a governadora já tá pra lá de quarentona, pois fosse uma criança talvez não tivesse tanto pra sorrir nesta nossa terra de Pará dos "direitos humanos".

Não se trata de responsabilizá-la por todos os males, mas lhe falta "indignação" para tentar mudar um pouco a pauta do noticiário paraense.

Ela ri muito, dança muito, fala muito e faz pouco.

Ana, votamos em você, todas as vezes, queremos continuar votando, mas do jeito que vai, não dá!

Como as crianças, todas, mas em especial as do sexo feminino sofrem "abusos" na terra da Ana!

Anônimo disse...

Juca, parabéns ao blogueiro das 10:02. Globo e vc tudo a ver. Ah, querido, a matéria do deputado acusado de pedofilia está na Folha de Sampa de hoje. Li aqui no Ibirapuera, sentado na grama. E assim vou ficar pra ver o resultado dessa c.p.i. Quanto a C.P.I. de Brasília, está eu acho que vai dar bode pro acusado e pra quem o defende. Como diria um ex-governador da Terrinha: EU CHORO!

Anônimo disse...

Juca, cá entre nós, você não acha um exagero a tentativa de envolver a governadora nesse caso?

O Seffer é de um partido de oposição ao governo.

O Seffer é do partido do Vic.

O Seffer passou o ano todo em conflito com o governo:

Ajudou a obstruir a pauta da ALEPA

Deu pitis multiplos ao reclamar do tratamento dispensado a ele pelo governo(bloqueio total de emendas)

Foi às lágrimas pelo endurecimento no tratamento da SESPA.

O inquerito foi aberto, a garota está em um programa de proteção bancado pelo estado.

O PT está liderando a pressão pela investigação dos crimes, contra a vontade do PMDB e PSDB.


E a culpa é da Ana Julia???? Caramba...


Bob