16.12.08

Nepotismo no TCE

A edição de ontem, 15, do Jornal da Globo, em matéria da repórter Jalília Messias ( TV Liberal), explodiu o nepotismo que grassa no TCE do Pará. A parentada de seis dos sete ministros, que já deveria ter sido afastada há tres meses, segundo a presidente da OAB, Angela Salles, permanece na Corte pelo menos até o final do ano.
A autora da denúncia, advogada Maria de Jesus Bentes, foi devolvida ao orgão de origem, de onde foi redistribuída há 21 anos, sob alegação de que seus serviços eram dispensáveis.
Não esse.

21 comentários:

Yúdice Andrade disse...

E o Coutinho Jorge, hein? Terminou a entrevista com um sorrisinho na cara. Ele não sabe que essa atitude dá o maior azar? Vide a mãe daquele jovem que provocou a morte de outros dois, anos atrás, e que acabou no "Linha Direta", da Globo. Riu e, logo em seguida, o filhusco acabou presusco em Fortaleza. Será que existe uma "maldição do risinho safado"?

Juvencio de Arruda disse...

É patética a sonora do presiddente da Corte, prof. Yúdice.

Anônimo disse...

Meu irmão, o que tem de rolar naquele encosto de parentes, amantes, acochados, são duas decisões: exonerá-los imediatamente, a bem do serviço público e a abertura de concurso público.Urgente!

Anônimo disse...

Seria o sorrisinho de certeza da impunidade?
Com algumas pitadas de sarcasmo?
E algumas gotas de cinismo?
E um aroma de cara-de-pau no ar?
Seria?

alessandro amaro disse...

Perguntar não ofende!!!!!!


Por onde anda o Ministério Público ?

Anônimo disse...

Sem a realização de concurso público para o TCE e TCM essas imoralidades continuarão ocorrendo. Não é de hoje que os tribunais servem de cemitérios para políticos decadentes que irão receber uma significativa remuneração e, também, agasalhar familiares. A cara de pau e arrogância de Coutinho Jorge é de dar raiva em qualquer um.

Anônimo disse...

Juca!
Tenho uma opinião pessoal a cerca da Súmula que barra, com algumas exceções, o nepotismo, afinal cargo de confiança você coloca quem você, é claro, confia!
Mas, queria me valer do seu comentário acima para fazer algumas citações:
"A emenda saiu pior que o soneto"
"Falar é prata, mas calar é ouro"
"Ele calado é um poeta"
Para um bom entendedor, meia palavra basta.
Abs,
O Vigiador.

Anônimo disse...

Juvêncio, infelizmente o assunto não se esgota no TCE. Logo ao lado do vistoso prédio se encontra o Ministério Público de (faz de) Contas que, em matéria de nepotismo, é tão ou mais agressivo (aos cofres públicos) que o Tribunal. O bonito prédio rosa (ao lado do Colégio Nazaré) é assombrado por dezenas, eu disse dezenas, de servidores fantasma, dos quais só se sabe o nome, nunca foram vistos pessoalmente nos corredores do parquet especializado. Todos são parentes dos Procuradores. Filhos, genros, cunhados, amigos, apaniguados. Toda a sorte de sortudos. Ah, e ultimamente têm havido o nepotismo cruzado com outros órgãos. Bastaria uma pesquisa cuidadosa no Diário Oficial para confirmar tudo isso... Pará, terra de direitos...

Raphael Teixeira disse...

Uma praga que nos acompanha de nossa herança colonial. Apesar de os autores acharem tudo normal e certo, tanto que saem rindo cinicamente quando contestados, a sociedade já não concorda mais e não tolera. Alô MPE!

P.S. Só queria a marca do óleo de peroba utilizado pelo conselheiro Coutinho Jorge. Seu cinismo risonho o condenou.

Juvencio de Arruda disse...

Certo, grande Rafhael.
Chammos isso, lá na Ciência Política, de patrimonialismo.
Vide, a propósito, Raymundo Faoro em "Os Donos do Poder".
Abs

Alex Lacerda disse...

Juvêncio, amigo, Tribunais criados e mantidos, para e como premio de velhos e novos derrotados e apanigados só podem dar nisso.
E o que não é dito é que um dos conselheiros está a pouquissimo tempo no tal tribunal, senão a chance de serem sete com parentes seria muito maior.
Tratam tais cargos como feudos, e a culpa maior é nossa, ou alguém já está se mobilizando para alguma passeata ou protesto ?
Nosso comodismo é maior que a vontade de corrigir as coisas.
Lanço aqui no seu blog a idéia, vamos protestar contra tal afronta, vamos as ruas, no menor espaço de tempo possível, mostrar a cara dos Paraenses que tem vergonha na mesma, e que não vão mais suportar essa canalha mandando e desmandando no Estado, a seu bel-prazer.
Grande abraço,
Alex Lacerda de Souza

Juvencio de Arruda disse...

A população tem que ir pras ruas, e para a militância política, Alex, vc está certo.
Grande abs

Anônimo disse...

A cerca da súmula que barra o nepotismo é uma bela imagem poética. Uma cerca barrando o nepotismo é o que precisamos, só não sei que madeira é essa: súmula. Vou procurar nas estivas da Bernardo Sayão.

Anônimo disse...

Juvêncio, falta incluir na matéria a Assembléia Legislativa e a PMB. Tá só o filé!

Anônimo disse...

"Isso é Elementar,(...) simples assim"

Anônimo disse...

ATENÇÃO POVO BRASILEIRO: se querem ter uma oportunidade de mostrar a capacidade de vocês, rezem, mas, rezem muito, para que nenhum parente seja inteligente, capaz e competente para ocupar um cargo público, pois, nesse caso, de nada adiantará você se "matar" estudando, gastar seu tempo fazendo especialização, mestrado ou, até mesmo, doutorado, pois, você será um segregado. Você será um verdadeiro excluído, pois, não poderá exercer nenhum cargo público, nem no órgão onde trabalha seu parente nem em qualquer outro, opois, nesse último caso, também, será nepotismo cruzado. " Mundo de fantasias". Porque os incompetentes, despreparados, vagabundos e oportunistas não abrem o jogo e dizem que essa cruzada contra o nepotismo, nada mais é do que uma forma de excluir os competentes, preparados e trabalhadores que, muitas vezes, deixaram aquilo que lhes dava mais prazer para se prepararem para a vida profissional.Ora vão encher o saco!

Anônimo disse...

Nepotismo a parte. Será que vcs não perceberam que o objetivo é tirar o foco do assunto principal hoje que o suposto caso de pedofilia? Essa estrategia é antiga mas muito usada. Dá uma olhada pra ver se O Liberal dá uma linha sequer sobre a situação do dep. Sefer, a não ser quando ele foi à tribuna se defender. Amanhã vai aparecer outra coisa pra tirar o foco.

Anônimo disse...

O das 11:57 deve estar se coçando porque seus apanigüados vão perder a boquinha, só pode. Será um conselheiro do TCE? Por que não assinou embaixo? Vai diminuir sensivelmente a renda familiar?

Anônimo disse...

É preciso informar ao anônimo das 11:57 que, caso seus familiares sejam de fato competentes e preparados, eles poderão prestar concurso, que jamais sofrerão problemas porque têm parentes em cargos públicos. Simples assim, como é simplória a bronca desonesta dele.

Anônimo disse...

O das 11:57, imagina o tipo de pessoa que deve ser..se auto-intitular competente, tá bom fera eu vou acreditar na sua versão, que outros nao prestam ao cargo, no universo que voce vive cidadão lhe garanto que tem gente muito mais preparada que voce, gente que até mesmo dispensou por questões de ética e moralidade assumir um cargo de assessor nesses tribunais, que so não vê voce que é um antro de familiares de quadrilheiros que levam aos seus lares salários absurdos se somado por todos os membros ocupantes de DAS, veja o exeplo daquele ex presidente do tce que tem o apelido igual ao do presidente do brasil, eram todas as filhas, sobrinhas, irmãos cunhadas etc etc, diria a voce cidadão o que o ingles disse ao venezuelano, por que não te calas..??? Voce e muitos so podem ser taxados de SANGUESUGAS, encontradas em piscinas de agua mineral

Anônimo disse...

Esta é uma amostra da "nobre" família paraense? Ou melhor, da rspeitada classe média tradicional belenense? o que deve estar pensando a marginal família da baixada do guamá,jurunas, bengui e outras? Como querer respeitabilidade? busquem um blog de parauapebas: um grupo de estudantes estão fazendo um movimento para mudar o nome de um auditório de lá, que leva o nome de um militar, ex-governador da ditadura militar que, parece que não é de Belém mas já criou limo. O que fez ele para evitar que a história cobre a sua(dele) responsabilidade em daseparecimentos de estudantes naquele período? ...procurem o blog do josé de Parauapebas que, também, acha que "não tem nada não é só um nome!".
Henrique CL