22.12.08

Sobre Rodas

Uma carvoaria itinerante. É a nova modalidade de crime ambiental dos predadores que abastecem as guseiras de Marabá, conta uma fonte do blog recém chegada da área. E explica: colocam pedaços de babaçu em tambores de óleo e queimam, deixando-os no mato ao lado da estrada. Depois vem buscá-los e entregam o produto aos consumidores.

6 comentários:

Anônimo disse...

Será que o senhor não sabe que as guseiras de Marabá estão paradas? Carvão só se for pra fazer churrasco...

Juvencio de Arruda disse...

Então o senhor conhece o esquema. Que agora faz churrasco.

Anônimo disse...

Até onde eu sei carvão de babaçu não é o mais indicado para fazer gusa,duvido muito que as siderúrgicas continuem comprando carvão ilegal,carvão molhado é bom para churrasco?

Juvencio de Arruda disse...

eheh...e se eu disser que algumas siderúrgicas podem ter mais de uma razão social? E só numa concentram seu passivo ambiental?
Arde ou não arde?

Anônimo disse...

Então o senhor tambem conhece o esquema. Assopra que passa, heheh.

PS:Recolher tambor em beira de estrada vai se tornar um negócio lucrativo

Juvencio de Arruda disse...

rs...é, minhas fontes conhecem e eu publico.

Tem razão.Mais um subemprego na beira da estrada. Melhor do que a fome.