3.2.09

Ódio Justificado

Acabo de ver um fato inusitado embaixo de minha janela, sempre ela.
Sobre um carro som de médio porte, e sob a chuva fina que cai na capital, uma mulher ao microfone dizendo o diabo dos conselheiros do TCE parora.
Sozinha, sem uma faixa, sem uma identificação partidária.
O tom de evidente revolta não tirava a respeitabilidade de suas acusações.
Mas dizia o diabo a cidadã, menos solitária do que aparenta.

21 comentários:

Lafayette disse...

A cidade, ao contrário que muitos políticos pensam, tem ouvidos!

morenocris disse...

e a alma encantadora das ruas.

beijos.

Anônimo disse...

Ei Juva,
Deve ser a Jesus funcionária que por conta das denuncias que fez o Coutinho mandou ela de volta pra SEGUP.

Anônimo disse...

Tomara ela tenha dito algumas e várias pra cima do "virtuoso" Coutinho Jorge!
Aquele que empregava a esposa, o papagaio, o motorista, a parentada e, cinicamente, frente a camera da tv, sorriu o sorriso da impunidade e do deboche.
E vomitou:
"- devolver dinheiro do nepotismo? eu não, nada a devolver..."
E ficou por isso mesmo.
Foi até "medalhado" pelo "co-irmão" TCM, imagine.
E é colunavel constante daquela coluna que faz e acontece...
Que coisa.
Palmas para solitária cidadã.

Anônimo disse...

deveriam fazer uma séria reportagem sobre o grupo de extermínio que atua em Marabá. Toda semana mais de 4 pessoas são assassinadas por dois elementos em uma moto preta,sempre com tiros nas cabeças e sempre sem nenhuma pista. A unica informação que os jornais divulgam é que os elementos "abatidos" tem ou tiveram alguma ligação com algum crime

Ale Carvalho disse...

Juca, o delegado Protógenes resolveu reunir os "solitários" em uma rede social, veja: http://protogenescontraacorrupcao.ning.com/

Anônimo disse...

Nada justifica uma pessoa perturbar a paz pública, berrando impropérios e palavras de baixo calão. A justiça existe pra isso, ela que a procure e tome as medidas legais e não fique azucrinando os outros que querem estudar, trabalhar, etc.
Eu também a vi pela janela, se o nome é Jesus, ela estava mais para o tinhoso. E não parecia nenhum pouco normal. Aqui nessa terra se o namorado briga com a namorada, fecham o trânsito, tenha dô.

Juvencio de Arruda disse...

Nâo sei se era Jesus, mas o Tinhoso não era, com certeza.
Conheço os dois...rs
Também não ouvi palavras de baixo calão, p0elo menos não mais baixo que o calão das atitudes nepotistas do TCE.
De fato não é normal, embora seria desejável que fosse, pois aumentaria o calão das autoridades.
E olha, dependendo da namorada, vale a pena brigar e fechar a rua.

Anônimo disse...

Boa , seu Quinta!
Nenhum palavrão nem barulho é mais grave do que a imoralidade desse "time" do tce.
E mandar procurar justiça é fazer graça, ilustre das 3:13.
Procurar justiça onde? aqui? então tá...
Vai lá pra ver.
A "thurma" do tce tá morrrrrrrrrrendo de medo dessa tal dona justiça.
Célere, imparcial, dura, atenciosa,é assim?
"tamus combinados"?!

Anônimo disse...

Repito: se existem imoralidades, ilegalidade, nepotismo e o raio que o parta. Nada justifica uma senhora enlouquecida ficar gritando palavrões. Eu moro em Nazaré, em um prédio em frente ao Remo e essa senhora gritou sim, de filho da p... pra baixo, estava ao lado de minha mãe e ela ficou estarrecida.
Juvêncio e anônimo das 3:55 enviem suas reclamações ao MPE, tenho certeza que ele tomarão as medidas legais que vocês denunciam. Eu ainda acredito que o legal é melhor caminho do que ficar pertubando a paz pública. Quanto a namorada tenho que concordar com você, Juvêncio. Muita Paz pra você.

Anônimo disse...

Caro Juca,
A senhora aparentemente desconhecida que passava num carro som, soltando o verbo contra o TCE fez um inferno na frente do Tribunal, mas não contra o conselheiro Coutinho Jorge, o coitado foi o conselheiro LAURO SABÁ! Ela passou a porta do TCE gritando aos quatro cantos que ele empregou sua filha (segundo ela, uma preguiçosa que se recusava a fazer concurso, mas queria ser funcionária da casa), sua mulher (uma médica que não faz nada da vida, apenas recebe uma fortuna como salário, segundo ela) e outras pessoas mais do Tribunal. Toma-te a dose!!!
Os funcionários ficaram olhando pelo vidro sem poder fazer nada, mas sempre atentos, enquanto alguns fingiam que nada ouviam...
Quem será essa Mr. M (de mulher)??
Abraço

Anônimo disse...

Juvêncio, interessante notar que uma pesquisa nas páginas do Diário Oficial do Estado revela que, em janeiro, 13 felizardos nacionais (alguns com sobrenomes "notáveis" nessas paragens) foram nomeados para cargos como Assistente, Assessor e
Chefe de Gabinete de Conselheiro, Assessor Técnico, Assistente de Direção e Assistente de Auditor na "Corte de Contas".
Mais interessante ainda é que uma rápida busca no Google revela que boa parte dos felizardos não conseguiu o mesmo sucesso em concursos públicos prestados para cargos, digamos, "mais modestos".
É o TCE contribuindo para combater o desemprego causado pela crise mundial.
Pena que é com o meu, o seu, o nosso dinheirinho...

Juvencio de Arruda disse...

Mas de novo?
Vc poderia mandar a relação ao blog?

Anônimo disse...

Juvêncio,
A lista dos sortudos:

Denise Nazaré Bittencourt Santos Hage: Assessor de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-02;

Diego Sousa Carmona: Assistente de Conselheiro TCE-CPC-200 NM-02;

Marcos Aurélio dos Santos Cunha: Assessor de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-02;

Priscila Caroline Freitas da Silva: Assessor Técnico de Nível Superior TCE-CPC-200 NS-02;

Joaquim Cláudio Nobre Viana: Assessor Técnico de Nível Superior TCE-CPC-200 NS-02;

Raimunda de Sousa Costa: Assessor de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-02;

Vera Lúcia Lima de Moura: Chefe de Gabinete de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-03;

Edson Fernandes Gomes: Assistente de Conselheiro TCE-CPC-200 NM-02;

Edmundo Barros Maia: Assessor de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-02;

Lucyanna Miranda da Silva Tourinho: Chefe de Gabinete de Conselheiro TCE-CPC-200 NS-03;

Carlos Raphael Barbalho Oliveira: Assistente de Direção TCE-CPC-200 NM-01;

Priscila Caroline Freitas da Silva: Assistente de Auditor TCE-CPC-200 NM-02;

Elizabeth Rodrigues da Cunha: Assessor Técnico de Nível Superior TCE-CPC-200 NS-02;

Juvêncio, a bem da verdade cabe uma correção. Não foram 13 e sim 12 nacionais contemplados pela pena amiga da Corte de Contas. É que no caso de Priscila Caroline Freitas da Silva, a primeira nomeação foi para um cargos de nível superior. Posteriormente a moça foi "rebaixada" para um cargo de nível médio. Qual terá sido o motivo? Será que depois de nomeá-la descobriram que ela não preencheria o requisito de diploma universitário para ocupar o primeiro cargo? Fica a questão.

Juvencio de Arruda disse...

Posso estar enganado, é claro, mas não identifico nesta relação nenhum parente dos conselheiros da Casa.
Vc deve estar certo na resposta á questão que formula ao final de seu comentário.
Muito obrigado pelo envio das informações.

Anônimo disse...

São cargos comissionados, de confiança e livre nomeação. Não podem ser parentes, mas não há necessidade de concurso para os cargos em tela. Inclusive, pode até ser servidores da Casa ou de outros órgãos.
O Juva está certo, não podemos acusar ninguém sem provas. Além de dar a ampla defesa e o contraditório, aos citados no comentário.
É uma acusação séria e não podemos jogar lama em nomes de pessoas, por achismos.
Com a devida licença, acho que você, Juva, deveria ouvir as outras partes. Afinal, não são simplesmente nomes, são cidadãos.
O comentário está eivado de ironias, e poderá haver necessidade de retratação.

Juvencio de Arruda disse...

Vc já o fez, de certa maneira.
Os cidadaos citados são agentes públicos e, como tal, estão sujeitos à fiscalização da sociedade que, convenhamos, está farta de nepotismo.
Como não é o caso, tanto melhor.
De todo modo nunca vi pedir retratação à um anônimo.
Se alguém desejá-la o blog responderá pelo anônimo.
Obrigado por sua participação.

Anônimo disse...

mas que tem uns sobrenomes de peso tem: Barbalho, Hage, Tourinho...

Juvencio de Arruda disse...

Leia novamente o comentário do anônimo das 4:12 e reflita: nenhum deles é filho ou parente de conselheiro do TCE, além do que os cargos, de acordo com ele, são de livre nomeação e não hpa necessidade de concuros público.

Anônimo disse...

E O NEPOTISMO CRUZADO. AI ENTRA TODA A PARENTADA QUE FOI EXONERADA DE UM ÓRGÃO E NOMEADO EM OUTRO? INVESTIGUE. EM VÁRIOS ÓRGÃOS DO ESTADO.

Juvencio de Arruda disse...

Isto é papel do Ministperio Público, que recebe para tal.
Faça a denúncia.
E, por favor, comente em caixa baixa.