6.2.09

Sem Raivinhas

Está quase tudo certo na matéria do caderno Poder, edição de hoje do IVCezal, que trata da primeira reunião entre o secretário da Fazenda, José Raimundo Trindade, e a associação dos fiscais da SEFA, presidida por Charles Alcântara, o saudoso Mr. Johnson, ex chefe da Casa Civil do governo, que faz apenas duas observações à matéria.
Diz Charles, em conversa com o poster, que deve ser excluído o nome do secretário André Farias (Integração Regional) de sua trombada, no ano passado, com o núcleo duro do governo. Os outros tres nomes - os irmãos Monteiro e Claudio Puty - podem ser mantidos no laudo pericial da colisão.
Nega também, e principalmente, qualquer sentimento de vingança contra o governo pela sua exoneração da Casa Civil, na condução das negociações e interesses da categoria que representa.

8 comentários:

Charles Alcantara disse...

Prezado Juca,
Fortes razões fazem fortes ações, como teria dito Shakespeare. Sempre fui cativo de minha consciência e leal aos compromissos que assumo.
Presidir o sindicato dos servidores do fisco estadual do Pará e lutar pelos direitos legítimos da categoria por ele representada, é a minha honrosa e presente missão.
Com a serenidade que sempre caracterizou a minha maneira de atuar no mundo, cumprirei o mandato classista que me foi conferido por meus pares.
Não há motivo para pânico.
As reivindicações da categoria, que começaram a ser tratadas com a SEFA, são absolutamente justas e legítimas e não precisam ser encaradas como uma agressão ou ofensa ao governo que ajudei a eleger, tampouco como fruto de sentimentos mesquinhos ou infantis.
Sempre ajudei o atual governo, da maneira que julgo adequada e de acordo com o meu juízo pessoal acerca do que considero como “ajuda”. E lutar para fortalecer o papel da administração tributária e dos seus servidores, ajuda muito - mais do que o atual governo – a fortalecer a cidadania.
Um forte abraço,
Charles Alcantara

Anônimo disse...

O Charles.... como sempre, muito coerente, sereno e elegante.
Maria Aparecida

Anônimo disse...

O comentário de Charles Alcântara mostra que o governo dispensou um excelente quadro.E o Sindicato dos fiscais elegeu um excelente presidente.

Anônimo disse...

Interessante, quando ele estava no poder nada fez pela classe, agora passa a pressionar o Governo. Será para tentar voltar?

Anônimo disse...

Ora, Charles, Aparecidas, poupem-nos .

nicolau duranz vilegagnon disse...

O governo do estado acha que todos os que lá saíram clamam por voltar e, provavelmente, os mais 70% que rejeitam a governadora em Belém compõem-se de revanchistas, magoados, desestruturados psicologicamente porque de lá foram embora.
Não perceberam a lama em que estão atolados, no fracasso que comandam, no vexame que fazem o povo honesto paraense passar em cadeia nacional e os prejuízos que somam à boa imagem da esquerda e do PT.
Se João (de João e Maria) fizesse o rastro que faz este governo, não teriam se perdido na floresta, pois passarinho não come degetos.

Anônimo disse...

Alô anônimos das 9:32 e 9:48 (será que são clones? ou será que são anônimos mesmo?...hum...). A eleição acabou, chega de ataques, desmanchem seus palanques! Procurem ajudar! Chega de "chororô". Só falta a turma do "Caracas" por estas bandas ou os informes a cada 15 minutos.

Anônimo disse...

Oh, anonimo das 9:32, acho que vc está confundindo as estaçoes. Veja bem,acho que o Charles quando estava na Casa Civil, certamente não estava lá para defender interesses de auditor fiscal, nem de quem quer seja, se o fizesse aí sim mereceria reprovaçao.