7.12.08

Onda

O Repórter Diário, na edição de hoje do Diário do Pará, gasta metade da coluna na tentativa de construir um segundo turno nas eleições da UFPA. Esqueceu de dizer aos leitores que nenhum dos 57 reitores nomeados nos governos Lula deixou de ser o mais votado pela comunidade universitária, independente das regras eleitorais de cada instituição.

4 comentários:

Haroldo Baleixe disse...

Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008
Carlos Maneschy é oficializado reitor pela Comissão Eleitoral.

Parte do post do Blog HB:

Nota da Memória: “A César o que é de César!” em qualquer tempo.
Alex Bolonha Fiúza de Mello (foto) sagrou-se reitor com o resultado extra-oficial sabido no início da madrugada do dia 10 de abril de 2001 — estávamos com o professor José Luiz Lopes (apoiador de Alex) no Cosa Nostra quando um telefonema anunciou o escore com vitória de Alex.
Mesmo na condição de eleitor de Maneschy, seguimos com o Zé e outros colegas partidários e apartidários para parabenizá-lo em um boteco na Pariquis com a 3 de Maio — local dos festejos de sua eleição.
A consulta à Comunidade Acadêmica fora feita com regras estabelecidas por uma Comissão Eleitoral aprovadas no Conselho Universitário da UFPA, tal qual as do dia 03 de dezembro de 2008.
O CONSUN, após o resultado do pleito, reviu a fórmula primeira e aplicou outra, distinta, dando a Carlos Maneschy o encabeçamento da lista tríplice enviada ao Presidente da República: Fernando Henrique Cardoso.
Alex Bolonha Fiúza de Mello, pelas razões justas, cercou-se de todas as forças políticas disponíveis para consagrar-se reitor da UFPA, ratificando assim uma decisão coletiva depositada nas urnas no dia 09 de abril de 2001. Equívocos dessa natureza não devem ser reeditados pelo CONSUN, menos ainda por uma desforra extemporânea. Cabe ao próprio Alex, reitor eleito para dois mandatos consecutivos e presidente do Conselho Universitário, conduzir a homologação esperada por todos; evidenciando desse modo sua melhor consciência em defesa do direito dos homens e a magnificência de sua função pública.

Juvencio de Arruda disse...

Vc tem boa memória, Baleixe, ao contrário de alguns camaradas que vagueim por aí tentando mudar os fatos tão pouco tempo depois deles terem acontecido.
É bom rememorar 2001.
Mas cabe uma correção. Antes do Consun mudar as regras, uma resolução assinada pelo então reitor Cristovam Diniz, salvo engano a de número 616, "ad referendum" do Consun, foi urdida na calada desta madrugada que vc se refere. Desavergonhadamente, o Consun apoiou-se nessa malsinada resolução e inverteu a ordem dos candidatos tal como emergiu das urnas.
Desforras, extemporâneas ou não, só cabem em determinados figurinos.
Num deles já o sabemos.
Veremos se cabe no do reitor Alex.

Haroldo Baleixe disse...

Alex Fiúza fará cumprir a vontade da Comunidade Universitária.

Um fide dignu amigo do professor Alex Bolonha Fiúza de Mello jurou que o reitor não fará absolutamente nada para modificar o resultado da Consulta à Comunidade Acadêmica oficializado na sexta-feira, dia 05, pela Comissão Eleitoral instituída pelo CONSUN.
Alex disse ao seu intelocutor que "Eleição: ou se perde, ou se ganha; mesmo que seja por um único voto!".
Fiúza também está plenamente convencido que um ato de grandiosidade garantirá seu nome imaculado na história da UFPA e que, "infelizmente, carisma é intransitivo.".

Anônimo disse...

Confio no Prof. Alex em respeitar a vontade das urnas. Mesmo tendo votado contra o candidato que delas saiu vencedor (votei na Ana Tancredi).É uma pena o Maneschy, mas fazer o que?