9.2.09

Achados e Perdidos

A comentarista Bia, que trabalha na Assembleia Legislativa, cumpriu o que prometeu. Voltou hoje das férias e já localizou o ofício que as entidades enviaram ao presidente da AL.

A cópia do Ofício 083/2009, em papel timbrado da SDDH, datado de 2de fevereiro passado, dirigido ao Exmo. Deputado Domingos Juvenil, Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará, solicita que "...Vossa Excelência ...nos assegure desde já que o caso envolvendo o Deputado Luís Afonso Seffer, ... se constitui de grevidade e crueldade sem precedentes, seja passado a limpo´pela CPI para que não perdure nenhuma dúvida de tolerãncia e quiçá envolvimento desse Parlamento com a impunidade e esse tipo de crime hediondo."
Assinam: a SDDH, o CDA, a OAB e a SÓ DIREITOS.
Foi formalmente entregue na Seção de Protocolo da Assembléia, no dia 04 de fevereiro, às 14:00 horas, como mostra o carimbo.
Agora fica mais fácil alguém localizá-la.

10 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Juca!

Bia é uma fonte preciosa, lamento o que possa acontecer com ela. Mas espero que nada aconteça.

[]'s

a.coutinho

Juvencio de Arruda disse...

rsrs..que isso, Coutinho,meu camarada. De certo modo "já aconteceu tudo" com a queridona.
Alem do que ela conta com nAmbrósio...eheh
Abs

Anônimo disse...

Já cresceu o nariz do Juvenil, que garantiu não ter recebido nada?

Anônimo disse...

Que escândalo, e enquanto isso a açeçoria do Presidente nega de pé junto que ele não recebu o ofício, santa incompetência.

E o Diário do Pará que repete na Coluna Repórter Diário "o presidente não recebeu ofício ....larilari.

Juvenil o povo quer saber, um oficizinho só não dói, pro que tanto pavor e tanto salamaleque com o ofício, tudo isso prá encobrir Seffer e cia?

Anônimo disse...

E o Diário do pará de hoje veiculando notícia que Bira Barbosa é o presidente da CPI que apura casos de violência contra menor?

Mais errado e atrasdo impossível!!! E o Juvenil não recebeu ofício da SDDH...

Anônimo disse...

Oi Juvêncio, esta nota que envio aí embaixo é parte do artigo do Gilberto Dimenstein na Folha de SP sobre uma avaliação dos professores da re pública de lá. Achei interessante te enviar como forma de reflexão. Qual seria o resultado se fosse feita a avaliação aqui no Pará?

Abraços

Aline Brelaz

Professor nota zero

Dos 214 mil professores que se submeteram à prova da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo, 3.000 tiraram zero: não acertaram uma única sobre a matéria que dão ou deveriam dar em sala de aula. Apenas 111, o que é estatisticamente irrelevante, tiraram nota dez. Os números finais ainda não foram tabulados, mas recebo a informação que pelo menos metade dos professores ficaria abaixo de cinco. Essa prova tocou no coração do problema do ensino no Brasil, o resto é detalhe.

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Dá-lhes, Bia.

É de servidoras públicas assim que a República precisa.

Que matem a cobra e mostrem o... Ofício!

Cássio de Andrade disse...

Ou o orifício...

Anônimo disse...

O juvenil disse que ainda não recebeu o oficio porque ainda não é profissional, imagine quando ele chegar lá.

Bia disse...

Boa noite, Juca querido:
Boa noite, Alencar idem:

só passsei pra dizer que tive bons exemplos para ser servidora pública.Um deles era um jovem técnico da antiga SEPLAN. Coincidentemente, homõnimo do nosso José (Maria Quadros) de Alencar...rsrsrs...

Beijão pros dois. Sem ciúmes, Juca querido.