11.12.08

Pauta

A Assembléia Legislativa não votou as alterações orçamentárias para 2009 na sessão de ontem. E nos corredores do Palácio da Cabanagem o assunto era um só: pedofilia.

7 comentários:

Anônimo disse...

O disco vai furar.

Anônimo disse...

E salve a fibra da deputada Regina Barata que lembrou, no plenário, que o PPA sempre foi votado pela maioria da Casa, com o massacre da minoria. Ela e todo o PT eram oposição nos governos anteriores e nunca suas contribuições foram acolhidas pelos tucanos. Ela defendeu o governo popular, em recado especial a Megale (só a ele?), argumentando que o governo agora age democraticamente quando põe seus programas para avaliação do povo no Planejamento Territorial Participativo (PTP), inclui suas contribuições no PPA e traz de volta o projeto à assembléia com a revisão. Conselheiros estavam lá, mas a pressão não rendeu votação.

Simone Romero disse...

Não existem adjetivos para qualificar o triste papel que está sendo desempenhado pela Assembléia Legislativa neste momento. Hoje a Casa usou rios de artifícios regimentais para empastelar a instalação da CPI da Pedofilia.

A comissão foi criada sem a definição de quem será o presidente e com o raio de atuação - se restrito ao Marajó ou ampliado para todo o Estado - ainda a ser discutido em reunião marcada para a próxima semana.

A deputada Bernardete Ten Caten não apareceu no Palácio Cabanagem. O motivo de sua ausência foi uma viagem de urgência a Marabá.

Em entrevista a jornalistas, o presidente Domingos Juvenil disse desconhecer qualquer denúncia de crime de pedofilia contra deputados da Casa.

Com tudo e por tudo, apenas um providência parece estar sendo tomada, e de forma célere: pairam rumores de que a jornalista Franssinete Florenzano será alvo de uma ação administrativa. Franssinete, saiba que o Sindicato dos Jornalistas do Pará está pronto para lançar uma nota nacional em sua defesa. Nos procure.

É necessário que a sociedade paraense dê um basta a essa situação. As instituições da sociedade civil precisam cobrar explicações urgentes do Legislativo, já que, tudo indica, dentro da Assembléia o caso começa a ser varrido para debaixo de grossos tapetes.

Juvencio de Arruda disse...

Oi Simone.
Existem adjetivos sim: uma assembléiam indecente, covarde, mesquinha, que não se dá ao respeito.
Não tem tapete que segure mais este pedófilo.
Acho que o Sindicato deveria, imediatamente, trombetear a safadeza que o parlamento urde, às escâncaras.
E o Sinjor deveria, imediatamete, trombetear o escândalo desses péssimos elementos em nível nacional. Já!

Simone Romero disse...

Boa idéia. Aguarde notícias.

Juvencio de Arruda disse...

Valeu Simone.

Anônimo disse...

Estás incomodado, anonimo das 10:17? Qual o problema? Estás compactuando com o Deputado Pedofilo?