30.4.09

Exceção

O Público foi o único dos quatro jornais da capital que esteve presente no debate sobre Ética e Liberdade de Expressão promovido ontem pelo Sindicato dos Jornalistas do Pará.
Representou o mais novo jornal do estado seu diretor de redação, Paulo Uchôa.

10 comentários:

Luciane disse...

Amado, me arrumei toda para ir, mas a chuva me impediu. Sem grana pra táxi, esperei passar e quando vi já passava mais de meia hora do início da palestra. Espero que tenha sido um sucesso. Já esperava a ausência dos jornalecos.
Abs!
Lu.

Juvencio de Arruda disse...

Amada, foi bem interesante o debate. Postarei sobre ele durante o feriadão.
Abs

Anônimo disse...

o Gerson, do Diário, não foi???

Juvencio de Arruda disse...

Vc sabe ler?

Luciane disse...

Legal, vou esperar.
Bjs!
Lu.

Anônimo disse...

Foi o único que aceitou o desafio, não é? Nesse duelo entre pessoa física X pessoa jurídica, digamos assim nem sempre sobram sobreviventes; ser humano e sociedade se esfarelam.
O debate franco é digno dos cidadãos de bem, esses sim capazes de resistir.
Fiquei curiosa para saber exatamente que informações sobre o MST faltam ao Lúcio Flávio Pinto, para que ele tenha condições de fazer suas avaliações sobre o movimento, conforme argumentou o Ulisses Manaças. Talvez fosse mais corajoso ele reconhecer que nem todos aqueles que ele admira comungam das suas concepções...
O debate pode ser azeitado, sim, e ter maior número de participantes também... quem sabe isso aconteça quando o Sinjor se desencastelar. Com os próprios sindicalizados, só se relaciona para cobrar a mensalidade. Que dirá com os demais mortais que compõem o cenário social. Aí não é que não dê, é que não dá.
Juca, você está cada vez mais “apurado”, se me permites. De uma perspicácia cada vez mais fina e admirável; de um charme e uma sedução imbatíveis. Muito bom te-lo na blogosfera.
Um grande abraço pra você.

Juvencio de Arruda disse...

De acordo.
E concordo que faltou o Manassas esclarecer este ponto, embora o Lucio tenha explicado bem o conrexto de sua avaliação do MST dentre tantos atores na questão amazônica.
Entendo que o Sinjor - ao realizar o debate e acolher a sugestão para estendê-lo a poutras faculdades e espaços públicos, e até internamente - se desencastelou.
Quanto ao carinhoso encerramento do comentário, até fiquei enrubescido...rs. Obrigado. É muito bom ter os leitores que tenho.
Abração pra vc

Helena disse...

Um resumo do debate com todo esse charme e sedução?

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...Tentarei.

Carlos Mendes disse...

Fale, primo
Eu ia aparecer por lá, mas ainda estou buscando resolver a minha rescisão com O Liberal. Além disso, O Estadão precisou de duas matérias ontem à tarde e eu tive de atendê-lo. Soube que meu amigo-irmão Afonso Klautau esteve por lá e gostaria muito de abraçá-lo. Tenho a maior consideração por esse cara.
Um abraço
Carlos Mendes