24.4.09

Farsa Desmontada

No blog do Hiroshi Bogéa, sob o título Mentira tem perna curta.

Miguel Cunha, Delegado de Polícia de Interior, acaba de ouvir o depoimento do repórter Victor Haor, da TV Liberal. Em essencia, o rapaz desmente a versão de que os repórteres levados em uma aeronave do banqueiro Daniel Dantas para a fazenda Espírito Santo tenham sido usados como escudos pelos sem-terras, durante confronto a tiros com seguranças do Grupo Santa Bárbara.
Outra versão desmantelada pelo repórter, a de que a mesma equipe tenha ficado em cárcere privado.Victor Haor disse que só entrou na aeronave depois de ter sido autorizado a cumprir a "pauta" pela Chefe de Reportagem da TV Liberal, Lene Andrade.

----

Desculpem, mas eu tinha que voltar antes do previsto.
A confissão do repórter Victor Haor, da TV IVCezal, confirma as notícias que Hiroshi Bogéa antecipou às 10:00 da manhã de hoje.
Haor e seus comparsas foram "escudos de Dantas".
E em cárcere privado ficou quem acreditou na mídia dantesca.
O episódio mostra que nem todo mundo voa neste país.
Amanhã a gente se vê.

10 comentários:

Anônimo disse...

O jornalismo no norte do subdesenvolvimento dá pena. E, Luís Fernando Veríssimo, lá do sul do subdesenvolvimento já sentenciou que no jornal impresso só podemos confiar na data. Na televisão, depois dessa, só no botão de liga e desliga. Esse tal repórter, no carrossel, merece o quê? A resposta é sua quintaemenda.

Anônimo disse...

Vou citar outros mestres prá girar nesse imenso carrossel, flutuar e ser gás paralisante e saber que a cidade é de papel (esse é Alceu Valença), mas quero dizer também o que Raulzito Seixas disse: "não preciso ler jornais. Mentir sozinho eu sou capaz. Não sou besta prá tirar onda de herói, sou vacinado ...".

Anônimo disse...

Deve ser ainda a Leni Sampaio a chefe de reportagem da Tv Liberal. Única incorreção no post.

Anônimo disse...

17/07/2008 09:41 - Redação

Crédito: Divulgação

Os empresários Eike Batista e Daniel Dantas travaram uma "disputa de lobbies" no Senado, há cerca de dois meses, em torno da atuação do setor empresarial nos portos do país. Segundo relatórios da Polícia Federal relativos à Operação Satiagraha, o embate pode ter envolvido pagamento de propina e tráfico de influência. O motivo foi a votação de uma emenda a medida provisória que tratava dos portos.

Em escuta telefônica que consta do relatório da PF, Arthur Joaquim Carvalho, cunhado e homem de confiança de Dantas, afirma ter ouvido que a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), relatora da MP, recebeu R$ 2 milhões da empresa OAS para propor uma emenda à medida provisória. Essa emenda era contra os interesses de Dantas. Kátia Abreu nega ter recebido propina.

A conversa gravada pela PF em 27 de maio é de Carvalho com o publicitário Guilherme Sodré, o Guiga, amigo do governador Jaques Wagner (PT-BA). Segundo a PF, Guiga também atuaria para Dantas. Ontem, o Painel revelou que o Opportunity tinha forte interesse na MP.

A senadora desistiu da emenda à MP no dia seguinte porque, segundo ela, houve acordo com o governo, que teria prometido publicar um decreto com o teor da emenda.

Kátia Abreu pretendia permitir que controladores de portos privados pudessem movimentar cargas de outras empresas, sem limites de quantidade. Uma resolução da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) limita essa movimentação. A emenda beneficiaria Eike Batista, que tem o projeto de investir R$ 6 bilhões em um porto em Peruíbe (SP).

A senadora afirma que se encontrou de forma "transparente" com Eike e com representantes de outras 11 empresas, incluindo a OAS, para tratar de sua emenda. Vários congressistas ouvidos pela Folha disseram que Eike fez lobby a favor da proposta. Se passasse, a emenda de Kátia Abreu prejudicaria Dantas, cujo grupo possui a Santos Brasil, empresa que opera terminal portuário. Entre outras coisas, abriria espaço para a entrada de uma forte concorrência.

Jones/Tucuruí disse...

A grande imprensa nacional sobrevive de investimentos do setor privado e público, infelizmente somos obrigados a ler jornal sem a menor credibilidade, justamente para saber quem são os financiadores desta farsa chamada “Grande Imprensa” entenda-se no Pará empresas do grupo ORM e RBA. Tais órgãos que deveriam ser uma fonte verdadeira de informação estão a serviço dos maiores empresários e políticos deste estado. O povo do Pará padece de pessoas como vc JUVENCIO DE ARRUDA, que sempre tem sido a válvula de escape do jornalismo comprometido com a verdade. Parabéns e obrigado por nos oferecer informações fidedigna .
Coisas da Política, 14 e 15 de abril de 2009

Juvencio de Arruda disse...

Jones, muito obrigado por suas palavras, mas me considere no rabo da fila de muitos jornalistas e blogueiros que tem a mesma postura.
Abs

Juvencio de Arruda disse...

A postagem anônima das 8:41 reproduz matéria da Folha de SP linkada aqui:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u423291.shtml

Anônimo disse...

nA VERDADE... OBSERVAMOS QUE A MIDIA...DE CERTA FORMA TEM LÁ SUAS CULPA. MAS ENTENDO QUE TAMBEM SÃO FORÇADOS... MAS A VERDADE VEM A TONA..... E ESSES GRILEIROS CORVARDES, QUE SÃO ENGANADORES... TEM QUE IR É PRA CADEIA...

DETALHE disse...

Queria fazer uma perguntinha simples para os que aqui criticam construtivamente a imprensa: nesse caso alguém ligou para o delegado Miguel Cunha para confirmar o depoimento ou só confiaram no blog onde notícia foi divulgada? Eu ligue e ele me disse que nunca ouviu ninguém em depoimento não.

Juvencio de Arruda disse...

Para quem quer usar esse pseudônimo, vc não presta etnção para os detalhes.

"O blog esclarece também que os pontos mais importantes do depoimento de Vitor Haor foram repassados ao poster pelo Diretor de Polícia de Interior, Miguel Cunha, contatado ao celular, por volta das 17 horas, de ontem."

O post completo está aqui:


http://hiroshibogea.blogspot.com/2009/04/vitor-haor-esclarece.html

O detalhe de seu comentário é o seguinte: vc mente.