29.4.09

O Estado "Reestatiza"

Acontece amanhã, em Nova Déli, a assembléia de acionistas da Rede Celpa, quando a Eletronorte deverá aumentar sua participação para 49% do controle acionário da empresa. Falta pouco para se reproduzir aqui a situação da concessionária de energia do Maranhão, quando não houve saída senão a Eletronorte assumir o controle acionário e da gestão da empresa, num caso emblemático do modêlo de privataria tucana na década de 90, farto em casos de corrupção e equívocos em todos os setores desregulados.
É boa a situação do grupo Rede em outros estados brasileiros.

6 comentários:

Anônimo disse...

Se é boa a situação do Grupo Rede nos demais estados, por que só a Celpa entrou nesse rolo da usina em Minas Gerais?

Tá complicada essa história...

Juvencio de Arruda disse...

É...muito complicada mesmo.

Anônimo disse...

Quer dizer, a Rede pagou nada pela Celpa e agora a Eletronorte vai pagar do nosso dinheiro para a Rede? E cadê os 400 milhões que os tucanos ganharam na transação?

Alan Lemos disse...

É isso aí, meu caro Juvêncio: quando a situação da empresa está boa, tem político querendo privatizar porque (receber lucros) é "um peso" para o Estado...

E quando a situação está ruim, sanar (arcar com os prejuízos) é um papel do complacente Estado.

O bom seria agora coletar as opiniões de Smith, Mises e Hayek sobre o que eles acham do Estado não assumir essas empresas rejeitas, mas sim deixar à inequívoca iniciativa privada.

Anônimo disse...

Fui no site da indigitada, em busca dos balanços.

Ela não divulga.

Não confio em empresa que não divulga seus balanços.

Quem não mostra, quer esconder.

E, se quer esconder, boa coisa não tem pra mostrar.

Sei não... tá exalando um cheirinho meio rúim (e meio)...

Anônimo disse...

Na privatização o DEM tinha o ministério na possivel estatização o PMDB.