2.4.09

Marko de Desobediência

Liminar concedida pela juíza federal Hind Ghassan Kayath, da 2ª Vara, determinou a paralisação imediata da construção do edifício “Rio Elba”, situado na travessa Enéas Pinheiro, bairro do Marco, em Nova Déli, porque apresenta indícios de risco à segurança da navegação aérea. A altura do prédio, segundo a decisão judicial, está com 33 metros acima do padrão permitido para construções na área.
Interesante é que na sentença a juíza afirma que a empresa requerida tinha plena ciência de que, no local em que constrói o edifício, existem restrições decorrentes de limitações impostas pela necessidade de preservar o tráfego de aviões. “Tanto é que [a empresa] submeteu ao Primeiro Comando Aéreo Regional a aprovação prévia de seu projeto para a edificação do emprendimento Rio Elba. Entretanto, não apenas a empresa demandada deu início às obras antes do pronunciamento da autoridade militar como, após ter sido cientificada do indeferimento do seu pedido, prosseguiu no andamento da construção irregular”.
É incrível. E não é a primeira vez que a empresa aparece, mal, nas páginas do blog.

18 comentários:

Anônimo disse...

E o CREA? Não deveria ter tocado também neste problema? Alguém saberia dizer se não é também atribuição deles além das eficientes cobranças?

Anônimo disse...

Ninguém fala nada mas essa empresa demora 6 anos para entregar um prédio. O dobro do tempo normal.

Anônimo disse...

Paguei caro em um apartamento construído pela Marko engenharia, porém as portas parecem assombração, batem à noite toda(folga), já cansei de pedir à empresa conserto das mesmas.

Anônimo disse...

Esta irregularidade aconteceu com a torre da RBA e nada aconteceu. Será que vão derrubar o que passou da altura prevista?

Anônimo disse...

Juvêncio, é aquelas duas torres monstrengas de 40 andares lá da doca? Tem bronca? Aliás, tem de ser corajoso pra morar num prédio que foi construído em cima de um terreno lamacento.

Juvencio de Arruda disse...

Sem broncas.
Busque pela nome da construtora nos aqruivos do blog que vc verá a interessante história do cálculo estrutural da obra.

Anônimo disse...

A Leal Moreir & Agra vão lançar duas torres na mesma enéas pinheiro, de 30 andares cada.....Melhor ir avisando à juíza!
Poderia ter interidição de prédio feio?? O porto dias está construíndo um caixotão na mauriti que nunca acaba!

Anônimo disse...

ME INFORMARAM QUE A EMPRESA DEU ENTRADA NO PROJETO,EM 2004.A PREFEITURA APROVOU E TEM ALVARA DA SEURB E BOMBEIROS.MAS,EM 2006 A LEGISLACAO MUDOU...COMO MUDAM A LEI ,SE EXISTE A TORRE DA RBA AO LADO??
EU TENHO APTO NO RIO ELBA,E CONFIO NA CONSTRUTORA MARKO.POIS,TODA A MINHA FAMILIA TEM IMOVEIS DELA E SEMPRE NOS ATENDERAM BEM!

Juvencio de Arruda disse...

Informaram-lhe, já que vc não se deu ao trabalho de ler o post e o link "que a empresa requerida tinha plena ciência de que, no local em que constrói o edifício, existem restrições decorrentes de limitações impostas pela necessidade de preservar o tráfego de aviões. “Tanto é que [a empresa] submeteu ao Primeiro Comando Aéreo Regional a aprovação prévia de seu projeto para a edificação do emprendimento Rio Elba. Entretanto, não apenas a empresa demandada deu início às obras antes do pronunciamento da autoridade militar como, após ter sido cientificada do indeferimento do seu pedido, prosseguiu no andamento da construção irregular”.

Mas que encheção de saco, pô, querer ignorar os fatos!

Anônimo disse...

Nao meu Sr.Me desculpe....Nao e enchecao de saco,apenas vi na empresa as aprovacoes da prefeitura e vi tambem a legislacao da epoca,onde era permitida a construcao(tanto e que tem a torre da RBA)!Depois mudaram a lei....
Temos que ouvir os 2 lados e nao sair criticando!

Juvencio de Arruda disse...

É incrível que o senhor tenha visto as aprovações a prefeitura, que o sr. tenha visto a legislação da época mas que não tenha lido o post corretamente, pois se o tivesse feito em vez de correr pra caixinha de comentários não diria que o post "sai criticando".
Ora, o post reproduz uma sentença de uma juíza federal!!!
Ela não ouviu a empresa?
Ela não ouviu a Aeronáutica?
Tenha a santa paciência, e boa noite.

Anônimo disse...

Trabalhei na FAB e esta lei não é nova, a Torre da RBA foi aprovada a sua construção e depois de pronta a Aeronáutica quiz botar areia mas o Jair Bernadino fez que não era com ele e ai esta este grande mostrengo a enfeiar a Almirante Barroso além de causar perigo a navegação aérea

Anônimo disse...

que absurdo!! Santa ignorância... Jair Bernardino era um visionário! Pena ter morrido tão jovem. Homem admirável e empreendedor! O Pará seria mais forte com ele. Qto ao comentario da FAb,me desculpe mas todo piloto que voa no aerop.julio cesar(polêmica do rio elba)me diz que não atrapalha em nada! Inclusive,os aviões são proibidos de sobrevoar a cidade! Voam na direção de ananindeua!! Tanta coisa mais importante pra resolver....só no Brasil mesmo!

Anônimo disse...

Anonimo das 03:30 - Acho que vc deve ser algum corretor a serviço da Marko? Como que justificar o injustificavel? Acho que tem dedo do Oftalmobaxareu na parada.

Anônimo disse...

Se a construtora estiver errado esta ferrada. Com a Aeronáutica não tem trambicagem.

Anônimo disse...

A Aeronáutica disse que está errado, se a mesma liberar por questões politicas, coisa que eu não acredito, entrarei na Justiça Federal contra esta empresa. OK.
Pedro Carvalho

Anônimo disse...

Prezados, tenho acompanhado de perto esta questão da União X Marko (Rio Elba), pois comprei na Torres Ekoara ao lado (da Leal Moreira). O que ocorre é que o 1º Comar que autoriza ou não as alturas de empreendimento em Belém/Ananindeua, torna-nos refém do Aeroporto de Val-de-Cães. A cidade vive em função do Aeroporto, e não o contrário. A defesa da Empresa (Marko) no processo, levanta a seguinte questão: tudo bem, 1º Comar não autoriza a construção, mas porquê? Cadê laudos técnicos invibializando tal obra? Apresentaram, PORÉM, estão sendo questionados, pois, outros profissionais do ramo dizem que o laudo do 1º Comar é equivocado, e aí, a lide esta criada. Terão ambos que provar, se aquela região é ou não área de contigência. Conheçam o processo na Justiça Federal de nº 2009.39.00.002087-7 (2ª Vara Federal).

Anônimo disse...

KKKKKKK A Aeronautica já liberou a contrução do Rio Elba, no final tudo acaba em pizza.