13.4.09

Juíza Ordena Retirada de Posts

Cumprindo liminar deferida pela juíza da 3ª Vara Cível da capital, dra. Teresinha Moura, em ação movida por Elias Sefer e outros, o blog informa aos seus leitores que retirou dos arquivos alguns posts referentes ao caso Sefer.
O poster vai levar a papelada aos seus advogados.
Até mais tarde.

58 comentários:

Anônimo disse...

Juvêncio,

Vixe, a ditabranda contra-ataca!

Não se arreceie , amigo!

Cabelo Seco disse...

só faltava essa...

Prof. Alan disse...

Vixe, a censura chegou a Nova Déli...

CJK disse...

Esta ação é a maior homenagem que a sua atividade blogueira já recebeu. Estou à sua disposição. Abraços.

Jubal disse...

Mestre,
será que esta ação foi contra todos os blogs ou só contra o Quinta?
Se foi só contra o Quinta deve ser uma vingança desta thurma de "sabichões".

Romolo Sampaio disse...

J,caso precises, quero me voluntariar a colaborar em todos os niveis que me sejam possiveis, com puro intuito de preservar os seus Direitos Constitucionais ,como o de qualquer outro Cidadao, sobretudo comentando fatos de inteiro conhecimento e indignacao publica.
Conte comigo.

. disse...

Ei, Juvêncio, o dia 1o de abril já passou...

Anônimo disse...

Em países como Georgia, Tailândia, o povo vai pras ruas manifestar insatisfação contra os respectivos governos demagogos, ditadores e corruptos. Por aqui o povo tá que nem carneiro, sofrendo calado, doente e orando, pra que um dia as melhorem.

Anônimo disse...

Prezado Juvêncio,
Estava demorando acontecer alguma ação por parte da "elite dominante" com o uso de instrumentos que faziam parte do vasto elenco dos "entulhos autoritários", que imaginávamos estar em outros lugares da história. É mano velho a luta continua e parece agora ser mais braba, porque certos segmentos da "elite atingida" estão querendo que sejam esquecidas as tenebrosas páginas de um crime hediondo, com o simples ato de deletar registros. Estaremos de olho nesse processo em que alguns tentam silenciar um dos poucos canais de comunicação, onde notícias que jamais seriam publicadas pela grande e comprometida imprensa deste estado. Neste blog, após criteriosa análise do poster as informações são registradas, discutidas e analisadas democraticamente. Nesse processo busca-se a construção de uma consciência crítica numa sociedade historicamente excluída da informação sobre ética, moral, situação educacional, sanitária e outras. Mas, a medida que passa exercitar o acesso a informação, indigna-se ao tomar consciência dos descalabros e desrespeitos cometidos contra os cidadãos, especialmente, ao saber dos diversos tipos de crimes contidos nos fenômenos sociais, econômicos e políticos da atualidade paraense. É parece que estão querendo ressuscitar os instrumentos da "ditadura", que prendeu e matou muitos brasileiros nos sangrentos anos de chumbo na história recente deste país. Aliás, muitos desses atores da ditadura estão por aí, alguns de pijame, outros ainda não, mas que continuam conspirando contra a democracia.

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Meu caro Juvêncio.

Sob o estado democrático de direito as decisões judiciais devem ser cumpridas, o que você fez com a celeridade devida, respeitando e homenageando um dos poderes da República.
Pelo que conheço, sei que você não negou o direito de resposta e suponho que isso não foi sequer solicitado.
Sei também, pelo que conheço de você, que agora vais estabelecer o contraditório, exercer amplamente seu direito de defesa, para tentar reverter a decisão judicial.
Se não prejudicar sua defesa e se o processo não correr em segredo de justiça, mantenha seus muitos leitores informados da tramitação.

Anônimo disse...

Grande Mestre dos Blogs...saudações dos ''Homens de retos'' rs....e eu que pensei que os blogs não tivessem problemas em informar a verdade, apenas a verdade...Em tempo : O Mediador ontem se enrolou um pouco, he he he he ...1 abraço do Mediador de Emoção, triste com a Drª Teresinha Moura com todo o respeito a decisão dela...

Anônimo disse...

Juvêncio dmeu caro! Isso só reforça e demonstra o alcance e o poder que o Blog tem, se incomoda é porque eles sentem a pressão.

Abraços solidários e desde já, abaixo a mordaça.

Josué Cidade

Anônimo disse...

Juva já passei por isso, o Lira Maia processou, eu e o Jeso, a ordem judicial mandava retirar o texto da Internet. É estranho por que a cada 20 minutos o Google faz uma varredura e copia os conteúdos dos Bolgs e Sites para arquivo, fora as pessoas que copiaram pela Web afora, então vejo que é impossível retirar da Internet.

Agora o que é mais interessante – Os provedores do Bogspot ficam nos EUA, isso significa que o texto implicado não pertence ao Brasil, está apenas global, mas pertence aos americanos. Será que não seria um tribunal internacional que deveria mandar retirar algo da Internet? Ou judiciário de um país tem poder de mandar no outro?

ESTAMOS SOLIDÁRIO COM VOCÊ. Na constituição o texto diz que “todo mundo tem direito a informação”. Ainda reforça que o jornalista tem direito a preservar a fonte, acho que é o Art. 5 ₢ 14, se não estou enganado.

Nelson Vinencci

telmachristiane disse...

Vixe, censura ?

Anônimo disse...

Icoaraci chora. Tá na seca: três dias sem água sob o pretexto de "ajustes" na sucateada SAAEB, dirigida pelo "companheiro" Raul Meireles.
Mas o problema já dura há mais de três anos, três anos de água imprópria para o consumo, três anos de faltas constantes do precioso líquido. Olha que o médico falsário foi muito bem votado na vila sorriso, lá tinha eleitor que só faltava ir pro braço por causa do oftalmo-charlatão. Taí, o resultado da infeliz escolha.

Anônimo disse...

Liga pro Gilmar Mendes !

Francisco Rocha Junior disse...

Amigo Juca, toda força para ti. Isto não há de ser nada, na tua batalha diária (que é, ou deveria ser, de todos os cidadãos desta cidade) pela informação.
Vamos em frente.

Anônimo disse...

A censura está de volta. Idéias, pensamentos e conceitos estão sob o crivo de uma juíza paraense. Era só o que faltava!

Carlos Barretto disse...

Vamos em frente, flaneur!

Itajaí de Albuquerque disse...

A reação é o reconhecimento do justo (e doloroso) açoite de uma informação livre das amarras de nomes, partidos e conveniências.
Acate, mas o riso é todo seu.
Gr.Ab.

Lafayette disse...

Vamos consultar o oráculo. Vejamos o que ele nos diz (Quintana):

LibertaçãoNão há euforia, numa orquestra, como a dos pratos - tlin! tlin! tlan!!! - quando se vingam, enfim, do seu longo, do seu forçado silêncio.

Parábola?Os espelhos partidos têm muito mais luas.

Cartaz para uma Freira do LivroOs verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem.

AmizadeQuando o silêncio a dois não se torna incômodo.

Das indagaçõesA resposta certa não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.

ReticênciasAs reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho...

...conte com o amigo...

Anônimo disse...

ANTE O EXPOSTO, defere-se a liminar requerida, para determinar que o requerido retire imediatamente e, ainda, se abstenha de veicular em seu blog ou em qualquer outro meio de informação de sua autoria expressões ofensivas como: seferização, seferice, seferizada e Sefer Sport Clube ou qualquer outra expressão similar, e, ainda, de utilizar expressões injuriosas como: canalhices, safadezas, corrupção, truculência, preversões sexuais e outras congêneres, fixando-se multa diária de R$1.000,00 (um mil reais) em caso de descumprimento da ordem. Expeça-se mandado de intimação para o cumprimento desta decisão, e, após, cite-se o requerido, para que apresente contestação, no prazo legal, com as advertências dos arts. 285 e 319 do Código de Processo Civil. Defere-se o plantão para o cumprimento do mandado. Intime-se. Cumpra-se


Sera mesmo que as expressões identificadas acima faziam parte do conteúdo informativo?
Talvez a postagem, ao utilizar a expressão "algumas postagens", não foi clara o suficiente. Como qualquer pessoa pode atestar, TODAS as postagens que possuem conteúdo informativo permanecem (e permanecerão) disponíveis para qualquer interessado.
As futuras notícias com conteúdo informativo não foram obstadas pela decisão da juíza.
O que a magistrada fez foi coibir aquilo que julgou ser um abuso do direito de imprensa, consubstanciado pelas expressões ofensivas dirigidas a toda a família.
Pela função pública que exercem, os jornalistas devem compreender que sua profissão objetiva uma finalidade social, a qual certamente não foi cumprida quando da utilização das expressões referidas no despacho.
Não espero nenhuma adesão à minha opinião, torço para que compreendam como uma simples manifestação legítima!

Patricia Nascimento disse...

Solidariedade ao teu sentimento, que deve ser de indignação.
Repúdio á decisão judicial.
"Mesmo calado o peito
Resta a cuca".

Deves manter a certeza de que isso confirma a função social do jornalismo e que, sobretudo, estás cumprindo essa função.

Isso é o medo que os poderosos têm.

Como diria, talvez, o Lúcio Flávio, a maior arma que podes ter é seres temido pela tua inteligência e não pela força do poder. Poder têm eles. Inteligência tu tens e é disso que eles têm medo.

Grande Abraço, grande Juvêncio.

Patricia Nascimento

Lafayette disse...

Anônimo das 11:34pm, seu direito a ter opinião, e dizê-la, é democraticamente exercida e efetivada, como se vê.

Existem duas democracias?

Juvencio de Arruda disse...

Das 11:34:

É claro que sua opinião é legítima, o que não quer dizer que seja correta, como tb não o é a presunção de que blogs, jornais ou qualquer meio de difusão devam ter, somente, caráter informativo.
A coexistência de pocilgas e mídias que veiculam informações sérias atesta o que digo.

Tb não é verdadeiro que todas as postagens que possuem caráter informativo foram preservadas. Há várias com conteúdo analítico que foram mantidas pela simples razão de não veicularem as expressões mandadas retirar liminarmente pela juíza, e só por isso.

A finalidade realmente social da informação pública não pode ser avaliada por quem comete, num simples texto de 20 linhas, a variedade de equívocos como o seu.

Não há, em nenhum post do blog sobre o caso Sefer, a mais remota alusão depreciativa a qualquer membro da família não envolvido nas acusações de pedofilia e co laterais que oneram o ex deputado Luis Sefer, um de seus filhos e seu pai.
Isto já está provado nos arquivos deste blog.
Resta-me agora, por meio de meus advogados, provar isto em juízo.
É o que farei. Aliás, já começei hoje mesmo a fazê-lo.

Tenha a boa noite que terei, e não me apareça mais por aqui com meia conversa.
Repudio pedófilos, dissimulados, bandidos de toda a sorte e os fracos que não sabem apartar-se do delito.
À esses, mais do que o repúdio, sinto dó.

Juvencio de Arruda disse...

A todos os comentaristas deste post antecipo agradecimentos que amanhã farei com mais vagar.
Abs a todos, e muito obrigado.

Diniz Sena disse...

Perfeito Juvêncio.

Diniz Sena disse...

Nós é que agradecemos por sua coragem de falar, de enfrentar assuntos que são "abafados" com maestria.

Numa região onde imperam os meios-políticos-feudais-familiares de comunicação, gente como Você, Alcinéa, Alcilene, Corrêa Neto e muitos outros fazem a diferença para que possamos ter INFORMAÇÕES e não MANIPULAÇÕES que nos são entregues empacotadas em cápsulas.

Parabéns.

Parsifal Pontes disse...

Olá Juvêncio,

Na minha página, a minha primeira postagem de hoje é sobre o assunto.
Algumas vezes discordo do modo como você informa, mas, jamais concordarei com qualquer tipo de censura que anteceda uma sentença judicial transitada em julgado.

Obrigado,

Parsifal Pontes

Lívia Condurú disse...

Posso dizer que tenho muito orgulho de ti! Por tudo. Sempre...

Te amo!

Charles Alcantara disse...

Meus cumprimentos, Juca, pela já indispensável fonte de informação e de opinião que se tornou o seu blog, que haverá de fortalecer-se ainda mais após a derrubada dessa lamentável ordem judicial.
Abraços,
Charles Alcantara

Xurupita do Taua disse...

Estes povo e mesmo cara de pau, cade o oleo de Peroba, cade o direito a livre expressão de pensamentos e opiniões.
Justiça universal para todos e não para amigos proximos.
Direito do povo se informar e o que e melhor para a internet não existe uma censura como esta.
E so colocar o nome do nosso amigo que veras no googlo, cade e etc, sera que ja citaram todos a nossa amavel justiça.

Anônimo disse...

Democracia é isso, meus caros. O Juvêncio tem todo o direito de informar. E da parte de lá o "jus esperniandi", resta ao Juvênciao contestar. Em frente, Juva!!!

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

ainda que a decisão seja um triunfo do Quinta sobre a ignomínia, reagir com veemência - o que você fez - é fundamental.

E, como muitos justificam a censura a bem da família brasileira, sugeriria que a Justiça, por livre arbítrio, censurasse também colunas e textos que elogiam - e com isso ofendem os cidadãos de bem - beneficiários de falcatruas, criminosos explícitos, chacais do dinheiro público e outros "pequenos" delitos.

Há momentos em que se perde o senso, reonheço.

Beijão.

Anônimo disse...

Não temos noticias na ¨grande¨imprensa de alguns fatos graves que acontecem no Estado porque a maioria é chapa branca, os blogs que se presam era a salvação da lavoura e agora como ficaremos. O certo era as pessoas neste caso não gostarem de comer criancinhas e ai não seriam noticias. A ditadura já passou e não deveria ter mais censura! Será que estamos voltando ao passado?

Anônimo disse...

Juca, querido, parabéns pela cobertura do caso Sefer, especificamente, mas também pelo conjunto da obra.
Como alguém já falou aqui, em casos, um processo pode ser um grande elogio.
Abraços
Rita Soares

Anônimo disse...

Caro Juva. Sempre valerá a 'pena' e muito mais a cuca, todas as tuas informações do caso Sefer. O Judiciário é isto mesmo, sempre está na defesa desta elite mediocre, corrupta e criminosa, que o sustenta e lhe dá 'status', às vezes nem sempre decente.
Esta decisão fortalece a tua história de lutar por uma imprensa livre e não sujeita às amarras dos interesses escusos de gente que pensa poder manipular informação.
Na luta sempre!

Celivaldo Carneiro

Alessandra - Lain disse...

Juca, bola pra frente! Esse povo acredita que pode fazer uma pessoa ficar muda, mas não sabe que a web é feita de reverberações. Não publiquei no blog, mas publiquei no twitter com link para o blog do Jeso. E assim fizeram alguns seguidores meus que mandaram para outros seguidores no twitter! E assim caminhamos contra a censura ridícula. abraços

Juvencio de Arruda disse...

Lívia, filha querida, eu é que sinto orgulho de vc.
Obrigado.
Te amo.

Val-André Mutran disse...

Mestre absolutamente ninguém apagará da sua própria memória, não a das máquinas, a lições de moral aqui aplicadas contra essa gente.
Três gerações... Que coisa.

Anônimo disse...

Depois de falar muito, alegando indignação, mas sem convencer, Luiz Afonso Sefer calou no segundo depoimento na CPI da Assembléia Legislativa, por fria oprientação do seu advogado. Agora quer calar a opinião pública. Não conseguirá. Para isso, é preciso haver a devida reação e a repulsa de todos, os que, de boa fé, ainda acreditam nele, e os que já formaram seu juízo contrário ao ex-deputado. Ele, que se diz previamente condenado, quer sentenciar sua inocência, sem o devido processo - legal e legítimo, nos autos e na arena pública, dada a gravidade do crime que lhe foi imputado. Independentemente do que você escreveu, tem que continuar a escrever. A prova da verdade é o contraditório, não a mordaça. O silêncio é a arma dos que temem. Minha solidariedade. Lúcio Flávio Pinto

angelcam disse...

... "O certo era as pessoas não gostarem de comer criancinhas e assim não seriam notícias"...
Perfeito, das 8:06. Veja quantas chances o Sefer teve:
1 - Não gostar de comer
2 - Não gostar de comer criancinhas
2 - Gostar e não comê-las
3 - Comê-las e, mesmo assim, não se matar
4 - Se matar para não comê-las
5 - Mandar papai ficar quieto

Agora, gostar, comer e querer passar ao largo do corretivo social, exercido num espaço democratico e livre -, aí já é demais.Parece até coisa da Terra de Direitos!

Juvencio de Arruda disse...

Cabelo Seco, então não falta mais nada...rs
Abs

--------

Prof. Alan, nunca saiu!


--------


Cjk, muito obrigado.
Vou conversar com vc pessoalmente.


--------

Jubalino, foi só contra o Quinta e dentro do direito dos supostos ofendidos.
Tks e abs, mestre ambiental.

--------

Mais tarde retomo os agradecimentos.

Juvencio de Arruda disse...

Sem meia conversa por aqui, "estudante de direito".
Deixe de ser preguiçoso, abra seu blog, identificando-se, claro, como convém a um adv que se dê ao respeito, e dane-se a falar besteira edulcorada com artigos e citações.
Os pedófilos vão adorar.

ACPNeto disse...

Só para lembrar alguns:

censura | s. f.
3ª pess. sing. pres. ind. de censurar
2ª pess. sing. imp. de censurar

censura
s. f.
1. Crítica severa, repreensão.
2. Exame oficial de certas obras ou escritos.
3. Corporação a que compete esse exame.
4. Pena eclesiástica que priva os fiéis dos bens espirituais.

censurar - Conjugar
v. tr.
1. Exercer censura sobre.
2. Criticar.
3. Condenar.
4. Repreender.

Fica aqui minha solidariedade.

Anônimo disse...

Juca, esta família pensa que assim vai apagar o passado negro recente de alguns de seus integrantes por causa da censura imposta via "justiça". A reação desta triste e lamentável família demonstra o quanto a mídia alternativa faz a diferença quando o assunto é mobilização da opinião pública. Estamos com vc agora e sempre.
ABS, Amigos da Redação.

Anônimo disse...

Essa justiça paraense é interessante. Enquanto tenta calar à força a opinião pública, deixa o verdadeiro ME-LI-AN-TE livre, leve e solto para atacar outras criancinhas indefesas.
Professor Demócrito

Jota Ninos disse...

Os Sem-fé

Vociferam as feras sem fé
que se ferram com suas quimeras
qual Lucifer!

- "Não dirás a palavra que sequer
vocifera em outros corações e mentes!" - decretam.

Sussure em pensamento, pois não haverá censura dessa gente sem fé que cale o teu ser fé...

Terás de ser fé contra o sem fé...

A palavra não dita, maldita,
esvairá incontida pelas feridas
expostas de crianças sem voz.

E vós serás, e vociferarás, a própria palavra que brotará
da injúria dos sem-fé...

Sê fé, amigo, pois uma voz inocente clama n´algum canto, já sem fé...

Franssinete Florenzano disse...

Juca, só hoje soube desse fato. Fiz um post no meu blog a respeito.
Saiba que pode contar comigo incondicionalmente.
Acredite na Justiça: ela há de prevalecer.
Grande beijo!

Anônimo disse...

Juca, ofereço aos patrocinadores da censura ao seu blog (esfera pública sadia da sociedade paraense) um verso de Chico: "Apesar de você amanhã há de ser outro dia". Um dia viveremos um Pará sem esse tipo de família, que a gente pensava que não existia mais há muito tempo. Coisa de Idade Média. Que vergonha, né?! Aqui no Rio passo a maior vergonha quando falam de determinadas famílias, prefeitos, deputados e decisões judiciais de Nova Déli.

Pedro Bolonha Tavares

Anônimo disse...

Juca, quase todo mal tem algo de positivo. Nesse caso, a jogada serviu pra reacender os debates em torno do caso escabroso. É bom pra não deixar cair no esquecimento, ou seja, o tiro saiu pela culatra (mais uma vez, pois ainda tem o caso da emeaça à Irmã Henriqueta Cavalcante feita pelo telefone - também - do chefão da família). E vamos nós a mais um embate.



ABraços, Mano Velho e que Deus te proteja sempre!

Anônimo disse...

Que a justiça:
Censure os diabos da pornofonia, da cacofonia que impregnam o tecnobrega.
Que repreenda os bares e casas de festas que exploram e violentam crianças e adolescentes.
Que obrigue as companhias de saneamento acabar com a podridão da água consumida, da falta de saneamento.
Que repreenda os órgãos de assistência para que façam algo pelas crianças abandonadas, drogadas que vivem perambulando pelas ruas.
Que censure os desserviços prestados pelos programas bobocas e violentos dos canais abertos televisão.
Que reprove os órgãos de educação e seguranças pela inércia diante á endêmica violência nas escolas;
Que condene o abuso das tarifas de energia elétrica e dos preços de medicamentos, principalmente aos aposentados e aos mais necessitados;
Que repreenda a farra das empresas de telefonia celular;
Que censure os alimentos caros, contaminados e a carne clandestina que consumimos.
Que reprove o descaso e omissão dos políticos diante a falência da saúde pública em Belém;
Que desaprove a fabrica de multas da CTbel, as filas triplas nas escolas dos barões,
Que combata os infernais engarrafamentos e dos imundos e violentos ônibus;
Que repreenda os bingos, os jogos da azar, a sonegação.
Que obrigue os serviços da SAMU (193) ser eficiente;
Que condene o analfabetismo, o desemprego e a miséria, que assolam o povo pobre de Belém.
E deixe o 5ª trabalhar pela cidadania

Walter Junior do Carmo disse...

Juca, o sr. Elias Seffer deveria ter consultado o Sr.José Sarney , que tirou do ar vários blogs e apanhou mais do que boi ladrão, digo boi fujão. Continue e siga em frente.

Ana Lucia Prado disse...

Juca,
Como dizem os patrícios por aqui. Estou parva com essa a Justiça que manda calar. E a liberdade de pensar, de falar e de se indignar? Foi-se para o maneta? Que maçada! Não há de ser nada.
Solidária! Sempre!
Um bjo

Waldyr Silva disse...

Juca, venho acompanhando acima os comentários solidários à sua respeitosa pessoa, e aqui me coloco também ao seu lado, indignado com o poder judiciário paraense, que tenta calar a comunicação alternativa.
Continui firme, valente confrade!

Leila Jinkings disse...

Caríssimo Juvencio

Estou estarrecida com a cara de pau.

Seguramente a assessoria jurídica de blog retomará o direito de informar a sociedade.

Seffer, vai se ferrar!

abs

Juvencio de Arruda disse...

Oi, Leila, prazer em V~e-la por aqui.Bem vinda ao blog.
Obrigado pos suas palavras.
Sim, os advogados já estão trabalhando, e tenho certeza que as duas coisas acontecerão.
Abs

Dom Morais disse...

Vamos fazer uma copa pela liberdade nas sub-sedes

Vamos encher a bola da casa grande chamada Brasil

Os escravos do Brasil.
A escravidão ainda existe em quase todos os estados do Brasil, será que até 2014 iremos aderir totalmente a Lei Áurea assinada em 13 de maio de 1888?

Na Amazônia
Essa seria a maior oportunidade para o mundo ver a verdadeira face da Amazônia através do estado mais importante do Norte do Brasil, cuja capital Belém seria uma das 12 sub-sedes, mas prevaleceu a intenção política de desviar os olhares da humanidade para umas das feridas crônicas existentes no estado do Pará: O trabalho escravo.
O método empregado é o “Trabalho compulsório”, ou seja, forçar o trabalhador a endividar-se, de modo que ele seja obrigado a trabalhar exaustivamente sob cárcere privado para pagar sua impagável dívida e para evitar fugas, capangas armados são espalhados nas dependências das fazendas.

Na Região Sudeste
Especialmente em São Paulo não é raro o uso de trabalho escravo em confecções. As empresas de fachada utilizam-se de imigrantes ilegais, trabalhando em condições sub-humanas que trabalham até 18 hora diárias, monitorados por circuitos fechados de TV.
Nesse triste cenária, alem dos estados citados estão também: Mato Grosso, Maranhão, Piauí, Tocantins, Rondônia, Paraíba, Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.