17.4.09

Tratamento Demorado

Não há corpos exibidos no caderno Sangue da edição de hoje do Diário do Pará. Mas como ninguém se livra rapidamente das psicopatias, há uma foto de uma poça de sangue no asfalto. Só da poça, como a assinar o laudo...que atesta a doença.

10 comentários:

Anônimo disse...

Tem a cabeça do rapaz e o indefectível sangue escorrendo...
Tá difícil a coisa.
Artur Dias

Juvencio de Arruda disse...

Mandem seus nomes e endereços que os encaminho, com muito prazer, para a psiquiatria forense do Renato Chaves.

Anônimo disse...

O que eu fico mais puto é de saber que na matéria na qual os "leitores" apóiam o jornal (pg. 3) a maioria das falas foram plantadas pelos editores no sistema de comentários. Tb foram deletados comentários, que já estavam aprovados, de apoio ao que a justiça determinou. E o sangue continua...

Fernando disse...

Juca,
Em conversa com colegas de redação, existe essa sensação de "mordaça". No entanto, vejo um momento de reflexão, exigimos tanto dos políticos, ética, respeito, entre outros valores, mas não fazemos isso no dia-a-dia.
Além disso, nossos veículos devem ser os últimos no país a mander esses cadernos de polícia.

grande abraço

Fernando Segtowick

Juvencio de Arruda disse...

Compreendo a sensação, Fernando.
Poderiam tentar experimentar a sensação "do outro lado".
Sua opinião é muito sensata.
Abs, diretor.

Anônimo disse...

Frase final com a categoria e o estilo de um mestre , desculpe a puxada mas é sincera
abração
Tadeu

Juvencio de Arruda disse...

Mestre Tadeu do Frangó..rs
Valeu, bro.

Anônimo disse...

Finalmente um governo que não se rende canhestramente aos grupos de comunicação do estado,estão de parabéns a Governadora eo Procurador Geral do Estado por terem promovido esta Ação Judicial,algo muda no Pará, devagar e vacilantemente é verdade, mas muda.

Ivana Oliveira disse...

Mestre Juvêncio, daqui o registro que seu blog é leitura obrigatória nas minhas aulas, para futuros jornalistas, publicitários e relações públicas. Leitura diária imperdível dos bastidores das notícias, com o acesso indispensável dos comentários. Os acontecimentos, como lembra Segtowick, nos empurram a reflexão sobre o papel social da mídia. Mas normalmente quando estamos do lado dos julgados - e não dos julgadores - queremos estar acima dos mortais. Bjs pra ti e pra família! Ivana

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, mestra Ivana. É recorfotante saber que preparas umaeração de profissionais preparados para uma nova realidade. Terão embates com os donos das pocilgas, os verdadeiros responsáveis pelas psocopatias que exibem nas páginas de seus jornais.
E, aí sim, através de alguns prepostos, comparecem ao blog para exibir os cadáveres que são. Já sem sangue, evidentemente.
Bjs pra vc tb e sua família.
Marise manda um grande abs.